Propagação vegetativa de romã com material vegetal de diferentes origens sob tipos de substratos

Romulo Magno Oliveira de Freitas, Maria de Fatima Barbosa Coelho, Narjara Walessa Nogueira, Caio César Pereira Leal, Andreya Kalyana de Oliveira

Resumo


Objetivou-se com o presente trabalho verificar a influência de diferentes procedências do material vegetal e substratos na propagação vegetativa de romã (Punica granatum L.). Foi usado o delineamento estatístico inteiramente casualizado em esquema fatorial 2x3, sendo duas origens do material vegetal (Barreiras, CE e Mossoró, RN) e três substratos (Tropstrato®, Fibra de coco e Solo), constituindo 6 tratamentos em quatro repetições de cinco estacas. As estacas foram preparadas com o auxilio de uma tesoura de poda, coletadas na posição mediana do ramo, padronizadas para o diâmetro de 2 a 4 mm. Aos 45 dias foram avaliados o número de brotos por estaca, comprimento do maior broto, número de folhas por estacas, comprimento da maior raiz, percentagem de estacas enraizadas, número de raízes por estaca, massa seca da brotação e massa seca do sistema radicular. A propagação por estaquia de romã é influenciada pela origem do material vegetal e o melhor material é de Barreiras, CE. Recomenda-se o substrato Tropstrato® para a produção de mudas de romã por estaquia.

Vegetative propagation of pomegranate with vegetal material of different origins under types of substrates

Abstract: The objective of this study to investigate the influence of different sources of plant material and substrates in the vegetative propagation of pomegranate (Punica granatum L.). The statistical design was completely randomized in a 2x3 factorial, with two origins of the plant material collected (Barreiras, CE and Mossoró, RN) and three substrates (Tropstrato®, Coconut fiber and soil), constituting six treatments and four replications. Each replication consisted of five cuttings. Cuttings were prepared with the aid of a pruning shears collected in the median position of the branch for the standardized diameter of 2 to 4 mm. At 45 days, we assessed the number of shoots per cutting, length of the longest shoot, number of leaves per cutting, length of roots, rooting percentage, number of roots per cutting, dry weight and dry weight of sprouting root system. The propagation by cutting of pomegranate is influenced by the origin of the vegetal material and the best material is of Barreiras, CE. The Tropstrato® substrates are recommended for the production of pomegranate seedlings by cuttings.


Palavras-chave


Punica granatum, substratos comerciais, planta medicinal

Texto completo:

PDF

Referências


BATISTA, P. F.; MAIA, S. S. S.; COELHO, M. F. B. BENEDITO, C. P.; GUIMARÃES, I. P. Propagação vegetativa de romã em diferentes substratos. Revista Verde, v.6, n.4, p.96-100, 2011.

CARMO FILHO, F.; ESPÍNOLA SOBRINHO, J.; MAIA NETO, J. M. Dados climatológicos de Mossoró: um município semi-árido nordestino. Mossoró: ESAM, 1991. 121p.

CARVALHO, R. I. N.; NOLASCO, M. A.; CARVALHO, T.; RIPKA, M.; GIUBLIN, L. M.; NEGRELLO, M.; SCHEFFER, M.C. Enraizamento de estacas de carqueja em função de diferentes substratos e posições do ramo em plantas masculinas e femininas. Scientia Agraria, v.8, n.3, p.269-274, 2007.

CHAGAS, J. H.; PINTO, J. E. B. P.; BERTOLUCCI, S. K. V.; NALON, F.H. Produção de mudas de hortelã-japonesa em função da idade e de diferentes tipos de estaca. Ciência Rural, v.38, n.8, p.2157-2163, 2008.

COELHO, M. F. B.; MAIA, S. S. S.; OLIVEIRA, A. K.; DIÓGENES, F.E.P.; SOARES, S.R.F. Propagação vegetativa de liamba, planta medicinal. Horticultura Brasileira, v.29, n.3, p.418-420, 2011.

CORRÊA, P. M. Dicionário das plantas úteis do Brasil e das exóticas cultivadas. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1978. v.5, p.609-610.

COSTA, L. C. B.; PINTO, J. E. B. P; BERTOLUCCI, S. K. V. Comprimento da estaca e tipo de substrato na propagação vegetativa de atroveran. Ciência Rural, v.37, n.4, p.1157-1160, 2007.

FACHINELLO, J. C.; HOFFMANN, A.; NACHTIGAL, J. C. (Eds). Propagação de plantas frutíferas. Brasília: Embrapa Informações Tecnológicas, 2005. 221p.

FERREIRA, D. F. SISVAR: um programa para análises e ensino de estatística. Revista Symposium, v.6, n.2, p.36-41, 2008.

FERREIRA, M. G. R.; GONÇALVES, E. P. Estaquia e crescimento inicial de crajiru. Revista Brasileira de Biociências, v.5, n.1, p.363-365, 2007.

LIMA, C. C; OHASHI, S. T. Substrato no enraizamento de estacas provenientes de mudas de Schizolobium parahyba var. amazonicum. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v.13, n.23, p.1270-1282, 2016.

LIMA, D. M.; SILVA, C. L.; RITTER, M.; BIASI, L. A.; ZANETTE. F.; ZUFFELLATO-RIBAS, K.C. Substratos e auxinas no enraizamento de estacas caulinares de espinheira-santa. Scientia Agraria, v.9, n.1, p.85-89, 2008.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais: no Brasil: nativas e exóticas, 2 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.

LUSA, M. G; BIASI, L. A. Estaquia de Cuphea calophylla subsp. mesostemon (Koehne) Lourteig (Lythraceae). Revista brasileira de plantas medicinais, Botucatu, v.13, n.1, p.52-57, 2011.

MAIA, S. S. S.; PINTO, J. E. B. P.; SILVA, F. N.; OLIVEIRA, C. Enraizamento de Hyptis suaveolens (L.) Poit. (Lamiaceae) em função da posição da estaca no ramo. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v.3, n.4, p.317-320, 2008.

MARIN, S. L. D.; GOMES, J. A.; SALGADO, J. S. Recomendação para a cultura do mamoeiro cv. Solo do Estado do Espírito Santo. 3. ed. Vitória: s. ed., 1987. 64p.

OLIVEIRA, A. C. L.; ARRIGONI-BLANK, M. F.; BLANK, A. F.; BIANCHINI, F. G. Produção de mudas de dois genótipos de alecrim-de-tabuleiro (Lippia gracilis Schauer) em função de fertilizante mineral, calcário, substratos e recipientes. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.13, n.1, p.35-42, 2011.

SANTOS, F. M.; PINTO, J. E. B. P.; ALVARENGA, A. A.; OLIVEIRA, J. A.; OLIVEIRA, A. A.; OLIVEIRA, L. P. Produção de mudas de Aloysia gratissima (Gillies & Hook.) Tronc. por meio da propagação sexuada e assexuada. Revista brasileira de plantas medicinais, v.11, n.2, p.130-136, 2009.

SILVA, A. C.; SILVEIRA, S. S. M.; COELHO, M. F. B.; PAIVA, E. P.; CUNHA, C. S. M. Comprimento de estacas na propagação vegetativa de bamburral (Hyptis suaveolens (L.) POIT.). Revista Caatinga, v.24, n.4, p.191-194, 2011.

SOUZA, C. S. S.; ALVES, M. C.; CASTILHO, R. M. M. Avaliação de substrato no enraizamento de estacas de acalifa (Acalypha wilkesiana). Revista Brasileira de Biociências, v.12, n.1-2, p.8-15, 2006.

TAVARES, I. B.; MOMENTÉ, V. G.; BARRETO, H. G.; CASTRO, H. G.; SANTOS, G. R.; NASCIMENTO, I. R. Tipos de estacas e diferentes substratos na propagação vegetativa da erva cidreira (quimiotipos I, II e III). Bioscience Journal, v.28, n.2, p.206-213, 2012.

VASCONCELOS, A. A.; INNECCO, R.; MATTOS, S. H. Influência de diferentes composições de substratos na propagação vegetativa de Gypsophila no litoral cearense. Revista Ciência Agronômica, v.43, n.4, p.706-712, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i1.4070

Direitos autorais 2017 Romulo Magno Oliveira de Freitas et al.