Avaliação do processo de enriquecimento proteico de resíduo de abacaxi

Deocleciano Cassiano de Santana Neto, Elny Alves Onias, Jayuri Susy Fernandes de Araújo, Ana Marina Assis Alves, Osvaldo Soares da Silva

Resumo


O beneficiamento do abacaxi para fins industriais produz um grande volume de rejeitos, que têm potencial energético e podem ser aproveitados gerando produtos com valor agregado. O objetivo deste trabalho foi estudar o processo de enriquecimento nutricional dos resíduos de abacaxi (casca e coroa), com a utilização da levedura Saccharomyces cerevisiae, através do processo de fermentação semissólida, avaliando a concentração inicial de leveduras e temperatura de fermentação sobre o teor proteico. A fermentação foi realizada em biorreatores de bandejas com circulação de ar, contendo 1000 g do resíduo, com 4,65% de levedura, a temperatura de 38 °C, por um período de 48 h de onde foram retiradas sete amostras a cada 8 h e levadas à estufa com temperatura de 55 °C, sendo ao fim da fermentação trituradas em moinho de facas. A fermentação semissólida utilizando o resíduo de abacaxi demonstrou que o microrganismo cresceu e aumentou o teor de proteína do resíduo em função do tempo em que o mesmo permaneceu em temperatura controlada, mostrando-se viável para alimentação animal.

Evaluation of protein enrichment process pineapple residue

Abstract: Pineapple processing for industrial purposes produces a large volume of waste, which have energy potential and can be leveraged to generate value-added products. The objective of this work was to study the nutritional enrichment process pineapple residues (bark and crown), with the use of the yeast Saccharomyces cerevisiae, through the process of fermentation semisolid, evaluating the initial concentration of yeast and fermentation temperature on the protein content. Fermentation was carried out in trays, bioreactors with air circulation containing 1000 g of residue, with 4.65% of yeast, the temperature of 38 °C, for a period of 48 h where seven samples were taken every 8 h and taken the greenhouse with a temperature of 55 °C, being the end of fermentation pounded into knife mill. Semisolid fermentation using the pineapple residue showed that the microorganism grew and increased the protein content of the residue in function of time in which the same remained in controlled temperature, showing up for animal feed.


Palavras-chave


Saccharomyces cerevisiae; Fermentação semissólida; Resíduos agroindustriais.

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 7181: Solo - Análise granulométrica, 1984.

ALCÂNTARA, S. R.; SOUSA, C. A. B.; ALMEIDA, F. A. C.; GOMES, J. P. Caracterização físico-química das farinhas do pedúnculo do caju e da casca do maracujá. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.15, n.4, p.349-355, 2013.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Legislação. SISLEGIS: Sistema de consulta à legislação. Instrução normativa n.1, de 7 de janeiro de 2000. Aprovar o regulamento técnico geral para fixação dos padrões de identidade e qualidade para polpa de fruta.

CAMPOS, A. R. N.; SANTANA, R. A. C.; DANTAS, J. P.; OLIVEIRA, L. S. C.; SILVA, F. L. H. Enriquecimento proteico do bagaço do pedúnculo de caju por cultivo semissólido. Revista de Biologia e Ciência da Terra, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 72-82, 2005.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Secagem e desidratação. Disponível em:< http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/tecnologia_de_limentos/arvore/CONT000fid5sgie02wyiv80z4s473tokdiw5.html>. Acesso em: 04 de março de 2017.

FAO. Food and Agriculture Organization of the United Nations. Faostat - Statistical annual. 2014. Disponível em:< http://www.fao.org/faostat/en/#data/QC/visualize>. Acesso: 03 de junho de 2017.

FELLOWS P. J. Tecnologia do processamento de alimentos: Princípios e prática. Tradução: Florencia Cladera Oliveira et al – 2° edição – Porto Alegre: Artmed, 2006. 602p.

IAL. Instituto Adolfo Lutz. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. Métodos Químicos e Físicos para Análise de Alimentos. São Paulo: IAL, 2008.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção agrícola municipal, 2015. Rio de Janeiro: IBGE, 2015. Disponível em:. Acesso: 27 de setembro de 2016.

LOUSADA JÚNIOR, J. E.; NEIVA, J. N.; RODRIGUEZ, N. M.; PIMENTEL, J. C. M.; LÔBO, R. N. B. Consumo e digestibilidade aparente de subprodutos do processamento de frutas em ovinos. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 34, n. 2, p. 659-669, 2005.

MARIN, C. M.; SUTTINI, P. A; SANCHES, J. P. F.; BERGAMASCHINE, A.F. Potencial produtivo e econômico da cultura do abacaxi e o aproveitamento de seus subprodutos na alimentação animal. Revista Ciências Agrárias e da Saúde, v. 2, n. 1, p.79–82, 2002.

MARTINAZZO, A. P.; Melo E.C.; Corrêa P.C.; Santos R.H.S. Modelagem matemática e parâmetros qualitativos da secagem de folhas de capim-limão (Cymbopogon citratus (DC.) Stapf. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.12. n.4, p. 488–98, 2010.

MELO, B. C. A.; SILVA, R. A.; KUBO, G. T. M.; CONRADO, L. S.; SCHIMDELL, W. Avaliação do resíduo agroindustrial de acerola para produção de celulases por fermentação em estado sólido. In: XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química, 2014, Florianópolis – SC. Anais... Florianópolis: XX COBEQ, 2014.

PANDEY, A.; SOCCOL, C. R.; RODRIGUEZ-LEON, J. A.; NIGAM, P. Solid state fermentation in biotechnology. Nova Deli: Asiatech, 2001. 221p.

SANTOS, D. T.; SARROUH, B. F.; SANTOS, J. C.; PÉREZ, V. H.; SILVA, S. S. Potencialidades e aplicações da fermentação semissólida em biotecnologia. Janus, Lorena, ano 3, nº 4, 2006.

SANTOS, R. C.; RIBEIRO FILHO, N. M.; ALSINA, O. L. S.; CONRADO, L. S. Enriquecimento proteico de bagaço do pseudofruto do caju por via fermentativa. In: 1° Congresso Químico do Brasil, 2010, João Pessoa – PB. 2010. Anais... João Pessoa: 1º CQB, 2010.

SILVA, G. M. S.; COSTA, J. S.; CABRAL FILHA, M. C. S.; LIMA, A. B. S.; SILVA, O. S. Enriquecimento proteico do resíduo de abacaxi mediante fermentação semissólida. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Pombal, v. 11, n.5, p.39-44, Edição especial, 2016.

SOONG, Y. Y.; BARLOW, P. J. Antioxidant activity and phenolic content of selected fruit seeds. Food Chemistry, London, v.88, p. 411-417, 2004.

SUHET, M. I. Fermentação semissólida do resíduo do abacaxi. Tecnologia & Ciência Agropecuária, João Pessoa, v.5, n.1, p.47-52, mar. 2011.

UCHOA, A. M. A.; COSTA, J. M. C; MAIA, G. A.; SILVA, E. M. C.; CARVALHO, A. F. F. U.; MEIRA, T. R. Parâmetros físico-químicos, teor de fibra bruta e alimentar de pós alimentícios obtidos de resíduos de frutas tropicais. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, v. 15, n.2, p. 58-65, 2008.

VASCONCELOS, M. A. S.; MELO FILHO, A. B. Conservação de alimentos. Recife, Edufrpe, 2010. 130p.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i1.4625

Direitos autorais 2017 Deocleciano Cassiano de Santana Neto et al.