Qualidade de sementes de Lolium multiflorum tetraploide comercializadas em Santa Catarina

Ricardo Miotto Ternus, Jerffeson Araújo Cavalcante, Ana Carolina Weiss, Paula da Silva Folquini, Jonas Bloemer, Géri Eduardo Meneghello

Resumo


Na região Sul do Brasil, no período do inverno o azevém (Lolium multiflorum Lam) se torna fundamental para a formação de pastagens. No entanto, o uso e a comercialização de sementes de azevém tetraploide têm crescido em relação aos diploides, devido, principalmente, a qualidade superior de suas sementes. O objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade das sementes de azevém tetraploide, comercializadas no Estado de Santa Catarina. Foram utilizados seis lotes de sementes de azevém tetraploide da cultivar Barjumbo, oriundos de diferentes estabelecimentos comerciais do Estado de Santa Catarina. Cada lote de semente foi obtido a partir de coleta oficial. Buscaram-se lotes de sementes da categoria certificada, sendo dois lotes de cada país produtor (Argentina, Brasil e Uruguai). Avaliou-se a qualidade física e fisiológica a partir dos testes de pureza física, massa de mil sementes, teste de germinação, primeira contagem de germinação, comprimento da parte aérea e da raiz e massa seca da área e da raiz. Os resultados demonstram que 100% dos lotes analisados atendem os padrões legais de pureza física e germinação para a comercialização de sementes, independente da origem. Para o teste de germinação os resultados obtidos foram 27% superiores ao padrão legal. Os lotes de sementes de azevém tetraploides nacionais comercializados em Santa Catarina, mesmo apresentando-se dentro dos padrões legais para os testes de pureza física e germinação, apresentaram menor vigor quando comparados aos lotes oriundos da Argentina e Uruguai.

Quality of Lolium multiflorum tetraploide seeds marketed in Santa Catarina

Abstract: In the southern region of Brazil, during the winter period ryegrass becomes essential for pasture formation. The use and commercialization of tetraploid ryegrass seeds has grown in relation to diploids, mainly due to the superior quality of their seeds. The objective of this work was to evaluate the quality of tetraploid ryegrass seeds commercialized in the State of Santa Catarina. Six plots of tetraploid ryegrass seeds of the Barjumbo cultivar from different commercial establishments in the State of Santa Catarina were used. Each batch of seed was obtained from official collection. Lots of seeds of the certified category were searched, being two lots from each producing country (Argentina, Brazil and Uruguay). The physical and physiological quality was evaluated from the physical purity tests, mass of one thousand seeds, germination test, first germination count, shoot and root length and dry mass of the area and root. The results show that 100% of the analyzed lots meet the legal standards of physical purity for the commercialization of seeds. For the germination test the results obtained are 27% higher than the legal standard. The plots of tetraploid ryegrass seeds commercialized in Santa Catarina were within the legal standards for the physical purity and germination tests, while the other criteria showed inferior performance when compared to the plots of Argentina and Uruguay.


Palavras-chave


Azevém; Comercialização; Fiscalização de sementes; Controle de qualidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRANTES F. L.; KULCZYNSKI, S. M.; SORATTO, R. P.; BARBOSA, M. M. M. Nitrogênio em cobertura e qualidade fisiológica e sanitária de sementes de painço (Panicum miliaceum L.). Revista Brasileira Sementes, Londrina, v. 32, n. 3, p. 106-115, 2010.

BELMONTE, P. B. A. Qualidade física das sementes fiscalizadas de aveia branca (Avena sativa L.) aveia preta (Avena strigosa Schreb), azevém-anual (Lolium multiflorum Lam.) e milheto (Pennisetum americanum L. Reeke) comercializadas na safra 2001/2002 no estado do Rio Grande do Sul. 2002. 25f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2002.

BLOUNT, A. R.; PRINE. G. M.; CHAMBLISS, C. G. Annual ryegrass. Tampa’s: Agronomy Department, Florida Cooperative Extension Service, Institute of Food and Agricultural Sciences, University of Florida. 2012.

BRASIL, Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. SNDA/DNDV/CLAV, Brasília, p. 365, 2009.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP/UNESP, 2012. 588p.

FONTANELI, R. S.; SANTOS, H. P.; FONTANELI, R. S. Forrageiras para Integração Lavoura-Pecuária-Floresta na Região Sul-Brasileira. 2. ed. Brasília: Embrapa, 2012. 274p.

FLORES, R. Produção de forragem de populações de azevém anual no estado do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Zootecnia, Porto Alegre, v. 37, n. 7, p.1168-1175, 2008.

FLOSS, E. L. Manejo forrageiro de aveia (Avena sp.) e azevém (Lolium SP). In: SIMPÓSIO SOBRE MANEJO DA PASTAGEM, 9., 1988, Piracicaba. Anais... Piracicaba: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz, 1988. p.231-268.

GARCIA, D. C; MENEZES, N. L. Teste de envelhecimento precoce para sementes de azevém, aveia preta e milheto. Ciência Rural, Santa Maria, v. 29, n. 2, p.233-237, 1999.

HESSEL, C. L. E.; VILLELA, F. A.; AUMONDE, T. Z.; PEDÓ, T. Mesa densimétrica e qualidade fisiológica de sementes de brachiária. Informativo ABRATES, Londrina, v.22, n. 3, p. 73-76, 2012.

HOLBIG, L. S.; HARTER, F. S.; GALINA, S.; DEUNER, C.; VILLELA, F. A. Diferenças na qualidade física e fisiológica de sementes de aveia preta e azevém comercializadas em duas regiões do Rio Grande do Sul. Revista da FZVA, Uruguaiana v.18, n.2, p.70-80, 2011.

MAIA, M. S. Secagem de sementes de azevém anual (Lolium multiflorum Lam.) com ar ambiente forçado. 1995. 108f. Tese (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 1995.

MARCHESAN, R. Produção e valor nutricional de cultivares de azevém consorciados ou não com aveia preta submetidos a dois resíduos de pastejo. 2014. 59f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Dois Vizinhos, 2014.

MEDEIROS, R. B.; NABINGER, C. Rendimento de sementes de forragem de azevém em resposta a dose de nitrogênio e regime de corte. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 23, n. 2, p. 245-254, 2001.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados na avaliação de plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA-NETO, J.B. (Eds.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p.2:1- 2:21.

OLIVEIRA, L. V.; FERREIRA, O. G. L.; COELHO, R. A. T.; FARIAS, P. P.; SILVEIRA, R. F. Características produtivas e morfofisiológicas de cultivares de azevém. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 44, n. 2, p.191-197, 2014.

ROSO, C.; RESTLE, J.; SOARES, A. B.; ALVES FILHO, D. C.; BRONDANI, I. L. Produção e qualidade de forragem da mistura de gramíneas anuais de estação fria sob pastejo contínuo. Revista Brasileira de Zootecnia, Viçosa, v.28, n.3, p.459-467, 1999.

TERNUS, R. M.; MENEGHELLO, G.; BREDA, M. L. E.; CAVALCANTE, J. A. O controle externo de qualidade na comercialização de sementes. Seed News, Pelotas, v. 20, n.2, p.18-23, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i1.4630

Direitos autorais 2017 Ricardo Miotto Ternus et al.