Produção de mudas de gravioleira sob métodos de superação de dormência de sementes e doses de esterco

Joseano Graciliano da Silva, Odair Honorato de Oliveira, Reginaldo Gomes Nobre

Resumo


Objetivou-se avaliar o efeito de diferentes métodos de superação da dormência de sementes e doses de esterco na produção de mudas de graviola (Annona muricata L.). O trabalho foi desenvolvido em casa de vegetação no Centro de Ciência e Tecnologia Agroalimentar da Universidade Federal de Campina Grande Campus Pombal. Para a superação da dormência nas sementes foram empregadas: T1 - sementes intactas, como testemunha; T2 - Escarificação no lado oposto a micrópila, com auxílio de uma lixa nº 80; T3 - Corte lateral do tegumento, com auxílio de um estilete; T4 e T5 - Imersão em ácido giberélico (GA3) durante 96 horas a 0,5 e 4,0 mg L-1, empregando quatro doses de esterco bovino (0,0; 15; 30 e 45%) em substituição ao solo. Foi usado o esquema fatorial 5 x 4 com quatro repetições de duas plantas por parcela. Os métodos pré-germinativos não diferiram quanto à emergência e mostraram-se pouco representativos quanto ao crescimento das mudas de graviola com destaque para os tratamentos usando ácido giberélico (GA3) num período de até os 60 dias após a semeadura. Doses de esterco de até 45% em substituição ao solo causam efeito negativo no crescimento das mudas de gravioleira independente do método de superação de dormência.

Production of soursop seedlings under methods of overcoming dormancy and doses of manure

Abstract: The objective of this study was to evaluate the effect of different methods of overcoming dormancy and doses of manure in seeds and soursop (Annona muricata L.) seedlings. The work was developed in a greenhouse at the CCTA / UFCG. Four doses of bovine manure (0,0; 15; 30 and 45%) were used and to overcome dormancy were used: T1 - Intact seeds as a control; T2 - Scarification on the opposite side of the micropyle, using a nº 80 sandpaper; T3 - Side cut of the tegument, with the aid of a stylet; T4 and T5 - Immersion in gibberellic acid (GA3) for 96 hours, at 0.5 and 4.0 mg L-1, using four doses of bovine manure (0.0, 15, 30 and 45%) instead of the soil. The 5 x 4 factorial scheme was used with four replicates of two plants per plot. The pre-germination methods did not differ in the emergence and were not very representative for the growth of graviola seedlings, especially the treatments using gibberellic acid (GA3) in a period up to 60 days after sowing. Doses of manure up to 45% in substitution to the soil cause negative effect on the growth of soursop seedlings regardless of the method of overcoming dormancy.


Palavras-chave


Annona muricata L.; Fruticultura; Propagação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, G. D.; SANTOS, J. G.; ZUCOLOTO, M.; VICENTINI, B. V.; MORAES, W. B.; BREGONCIO, I. S.; COELHO, R. I. Estimativa de área foliar de graviola (Annona muricata L.) por meio de dimensões lineares do limbo foliar. Revista Univap, São José dos Campos, v.13, n.24, p.1035-1037, 2006.

AVELINO, J. I.; LIMA, J. S.; RIBEIRO, M. C. C.; CHAVES, E. P.; RODRIGUES, G. S. O. Métodos de quebra de dormência em sementes de jucá (Caesalpinia ferrea Mart. ex Tul. var. ferrea). Revista Verde, Mossoró, v.7, n.1, p.102-106, 2012.

BARBOSA, R. C. A.; LEITE, R. P.; SOARES FILHO, W. S.; FIGUEIREDO, L. C.; SILVA, J. G. Trocas gasosas de híbridos de tangerineira sunki com citrumelo swingle sob estresse salino. Anais do III Inovagri International Meeting - 2015, [s.l.], p.3202-3212, 2015.

BRAGA SOBRINHO, R. Produção Integrada de anonáceas no Brasil. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.36, p.102-107, Número especial, 2014.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 399 p.

COSTA, A. M. G.; COSTA, J. T. A.; CAVALCANTI JUNIOR, A. T.; CORREIA D.; FILHO, S. M. Influência de diferentes combinações de substratos na formação de porta-enxertos de gravioleira (Annona muricata L.). Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 3, n. 36, p.299-305, 2005.

FERREIRA, D. F. Sisvar: Software: versão 5.3. Lavras: UFLA/DEX, 2011. Software.

FLORES, I. F.; PASSAMANI, S.; BONOW, R.N. Tratamento de sementes com ácido giberélico e crescimento de plântulas de arroz (Oryza sativa). Revista da FZVA, Uruguaiana, v. 9, n. 1, p.73-78, 2002.

GAJALAKSHMI, S.; VIJAYALAKSHMI, S.; DEVI RAJAESWARI, V. Phytochemical and pharmacological properties of Annona muricata: A review. International Journal of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences, [s.l.], v.4, n.2, 2012.

LEONARDO, F. A. P.; OLIVEIRA, A. P.; PEREIRA, W. E.; SILVA, O. P. R.; BARROS, J. R. A. Rendimento da batata-doce adubada com nitrogênio e esterco bovino. Revista Caatinga, Mossoró, v.27, n.2, p.18-23, 2014.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v.2, p.176-177, 1962.

MENDONÇA, V.; RAMOS, J. D.; ARAUJO NETO, S. E.; PIO, R.; CONTIJO, T. C. A; JUNQUEIRA, K. P. Substrato e quebra de dormência da semente na formação de porta-enxerto de gravioleira Cv. RBR. Revista Seres, v. 49, n. 268, p.657-668, 2002.

MENDONÇA, V.; RAMOS, J. D.; PIO, R.; GONTIJO, T. C. A.; TOSTA, M. S. Superação de dormência e profundidade de semeadura de sementes de gravioleira. Revista Caatinga, Mossoró, v. 20, n.2, p. 73-78, 2007.

NOBRE, R. G.; FERNANDES, P. D.; GHEYI, H. R.; SANTOS, F. J. S.; BEZERRA, I. L.; GURGEL, M. T. Germinação e formação de mudas enxertadas de gravioleira sob estresse salino. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.38, n.12, p.1365-1371, 2003.

OUMAR, B. A.; MAURICE, S. A. G. N. A.; MAME OURÈYE, S. Y. Germination of Annonaceae Seeds (Annona muricata L., A. squamosa L. and A. senegalensis Pers.) Cultivated Under Axenic Conditions. International Journal of Science and Advanced Technology, [s.l.], v.2, n.6, June 2012.

PAULA, G. D. Uso do ácido giberélico na germinação de condessa, graviola e pinha. 2015. Monografia (Graduação em Agronomia) - Universidade de Brasília - UnB, Brasília, 2015.

SCHEFFEH, M. O. Influência da adubação orgânica sobre a biomassa, o rendimento e a composição do óleo essencial de Achillea millefolium L. - mil folhas. 1991. 108 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós Graduação em Agronomia, Ciência do Solo, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1991.

SILVA JÚNIOR, E. G; MAIA, J. M. S.; SANTO, E. E. S; RECH, E. G.; ALMEIDA, R. A. Influência de composto orgânico na germinação e desenvolvimento inicial de melancia. Biofarm, v. 11, n. 1, p.1-13, nov. 2015.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 4.ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 819p.

WAGNER JÚNIOR, A.; NERES, C. R. L.; NEGREIROS, J.R.S.; ALEXANDRE, R. S.; DINIZ, E. R.; PIMENTEL, L. D.; BRUCKNER, C. H. Substratos na formação de mudas de pinheira (Annona squamosa L.). Revista Ceres, Viçosa, v.53, n.308, p.439-445, 2006.

ZIETEMANN, C.; ROBERTO, S. R. Efeito de diferentes substratos e épocas de coleta no enraizamento de estacas herbáceas de goiabeira, cvs. Paluma e Século XXI. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.29, n.1, p.31-36, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i2.4649

Direitos autorais 2017 Joseano Graciliano da Silva et al.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.