Diagnóstico e proposições para adequações de saneamento em assentamento rural no Semiárido da Paraíba

Elisângela Maria da Silva, Valmir Cristiano Marques de Arruda, Roberto de Sousa Miranda, Rosângela Gomes Tavares, Márbara Vilar de Araújo Almeida

Resumo


Diante do descaso das condições de vida das famílias assentadas e da falta de saneamento ambiental nas áreas rurais brasileiras, este trabalho teve por objetivo diagnosticar e propor medidas para adequações do saneamento rural no Assentamento São João II, localizado no município de Pombal, Paraíba, propondo alternativas de saneamento adequadas nos aspectos social, econômico e ambiental. Para a realização do diagnóstico, foram aplicados questionários, do tipo estruturado, a um membro de cada família. Fez-se ainda visitas de campo e fotodocumentação para o levantamento de dados referentes à falta e à necessidade de saneamento rural. A partir do diagnóstico de saneamento, foram propostas alternativas de destinação sustentável dos esgotos domésticos, manejo de resíduos sólidos e melhoria das condições de abastecimento de água, e na área de estudo.Verificou-se que o Assentamento São João II, assim como a maioria das comunidades rurais brasileiras, não apresenta serviços de saneamento rural. Para a melhoria da situação dos esgotos domésticos, foram indicadas alternativas de tratamento e destinação sustentável do efluente, a exemplo da fossa séptica biodigestora e do canteiro biosséptico, respectivamente. Em relação aos resíduos sólidos, propôs-se a adoção de práticas de coleta seletiva, reciclagem e compostagem, de acordo com as características de cada classe de resíduos. No que se refere ao abastecimento de água foram propostas medidas práticas voltadas ao tratamento e melhor aproveitamento da água em fontes existentes no assentamento. Todas as técnicas propostas são de fácil aplicação e podem ser aproveitadas diretamente pelas famílias do assentamento.

Palavras-chave


Comunidades rurais; Esgotos domésticos; Características socioeconômicas

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ARAÚJO, B. A. (org.). Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos do Estado da Paraíba. João Pessoa: A União, 2015. 232 p.

ANDRADE NETO, C. O. Proteção sanitária das cisternas rurais. In: Simpósio Luso-Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, 11, 2004, Natal, RN: Anais... Natal: SBEA, 2004.

ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS E TÉCNICAS. NBR 10.004/2004; Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro, 2004.

ARAÚJO, S. C.; SILVA FILHO, J. A.; SILVA, G. M S.; ANDRADE SOBRINHO, L. G.; NOGUEIRA, V. F. B. Espacialização dos serviços básicos de saneamento na zona rural do município de Pombal-PB. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. Pombal – PB. v.11, n. 3, p. 122-130, 2016.

BERTONCINI, E. I. Tratamento de efluentes e reúso da água no meio agrícola. Tecnologia & Inovação Agropecuária, São Paulo – SP. 2008.

BRAGA, B.; HESPANHOL, I; CONEJO, J. G. L.; BARROS, M. T. L.; SPENCER, M.; PORTO, M.; NUCCI, N. & JULIANO, N.; EIGER, S. Introdução à Engenharia Ambiental. 2ª. Reimpressão. São Paulo: Prentice Hall, 2002. 305 p.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 275 de 25 de abril de 2001. Estabelece o código de cores para os diferentes tipos de resíduos, a ser adotado na identificação de coletores e transportadores, bem como nas campanhas informativas para a coleta seletiva. Brasília-DF: Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), 2001.

BRASIL. Lei Federal Nº 11.445 - Estabelece Diretrizes básicas para o Saneamento, 05 de Janeiro, 2007.

BRASIL. Lei Federal Nº 12.305 - Estabelece a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, 02 de Agosto, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n° 2.914, de 12 de Dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.

BRITO, K. G. Q; PEREIRA NETO, J.T; CEBALLOS, B. S. O. Estimativa dos Ganhos Sócio-Econômicos Obtidos com a reciclagem e Compostagem de lixo de Coimbra – MG estudo do Caso. In: Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental, 27, Anais... Porto Alegre. 2000.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA E AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Projeto Fossa Biodigestora. Disponível em: < https://www.embrapa.br/instrumentacao/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1004077/como-montar-e-usar-a-fossa-septica-modelo-embrapa-cartilhas-adaptadas-ao-letramento-do-produtor>. Acessado em: 11 de nov. de 2017.

GNADLINGER, J. Colheita de Água de Chuva em Áreas Rurais. Juazeiro – BA: IRPAA, 2000. 40p.

GNADLINGER, J. Rumo a um padrão elevado de qualidade de água de chuva coletada em cisternas no semiárido brasileiro. In: Simpósio Brasileiro de Captação e Manejo de Água de Chuva, 5, 2007, Minas Gerais. Anais... Minas Gerais: ABCMAC, 2007.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico: 2008. Rio de Janeiro: IBGE, 2008.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico: Dados Distritais. Secretaria de Planejamento da Presidência da República: 2010. Rio de Janeiro, 2010.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: 2009. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: 2014. Rio de Janeiro: IBGE, 2014.

IPEC, INSTITUTO DE PERMACULTURA E ECOVILAS DO CERRADO. Canteiros Biosépticos. Ecocentro IPEC, 2009. Disponível em: < http://www.ecocentro.org/>. Acessado em: 10 de mar. 2017.

INSTITUTO TRATA BRASIL. Situação Saneamento no Brasil. 2012. Disponível em: < http://www.tratabrasil.org.br/saneamento-no-brasil>. Acesso em: 03 mar. 2017.

JALFIM, F. T. Considerações sobre a viabilidade técnica e social da captação e armazenamento da água da chuva em cisternas rurais na região semi-árida brasileira. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE CAPTAÇÃO DE CHUVA NO SEMI-ÁRIDO, 3, 2001, Campina Grande. Anais... Campina Grande-PB, 2001.

MANUAL DE SANEAMENTO RURAL. Conselho Intermunicipal de Saneamento Ambiental - CISAN e Associação dos Municípios de Microrregião do Vale do Parnaíba - AMVAP. Uberlândia/MG, 2006.

MONTEIRO, F. H. P. FIGUEIREDO, C. E. M.; MAGALHÃES, A. F. MELO, M. A. F.; BRITO, J. C. X.; ALMEIDA, T. P. F.; MANSUR, G. L. . Manual de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos. ZVEIBIL, V. Z. (coord. técnica), Rio de Janeiro: IBAM, 2001.

MCBEAN, E. A., RAJIB, M. A., RAHMAN, MD. M.. Improved Sustainability of Water Supply Options in Areas with Arsenic-Impacted Groundwater. Water, v.5, n.4, p.1941-1951, 2013.

NOVAES, A. P. Fossa séptica biodigestora e clorado Embrapa. Qualidade de vida na agricultura familiar. In: WORKSHOP: “Esgoto doméstico em propriedades rurais: uma alternativa de preservação ambiental e uso racional na agricultura” Estudo de Caso. Piracicaba - SP. 2005, CD-ROM.

NUVOLARI, A. Esgoto sanitário: coleta, transporte, tratamento e reuso agrícola. 1ª ed. São Paulo/SP: Edgard Blucher:, 2003. 520 p.

OLIVEIRA NETTO, A. P.; GUERRA, L. R. M.; SILVA, M.R.P.; SILVA, R.F. Biorremediação vegetal do esgoto domiciliar: o caso da fossa verde em comunidades rurais do alto sertão alagoano. Produção e Desenvolvimento. Rio de Janeiro – RJ. v.1, n.3, p.103-113, 2015.

Organização Mundial de Saúde (OMS). (O) Direito à Água. 2010. Fact sheet n. 35. 2010. Disponível em: http://www.ohchr.org/Documents/Publications/FactSheet35en.pdf. Acesso em: 31 mar. 2017.

PRUDENTE JUNIOR, A. C; PINHEIRO, J. H. P. A.; CARVALHO, S. L. Relação entre o grau de escolaridade de produtores rurais e a destinação de resíduos sólidos e líquidos em propriedades agrícolas da microrregião de Bauru – SP. In: Congresso Nacional de Meio Ambiente de Poços de Caldas, 13, 2016, Poços de Caldas, MG, 2016.

SANTOS, M. J; SILVA, B. B. Análise do Modelo Conceitual e Tecnológico do Programa Cisternas Rurais em Sergipe. Engenharia Ambiental – Ciência e Tecnologia. Espírito Santo do Pinhal-SP. v. 6, n. 2, p. 464-483, 2009.

SILVA, C. V; PADUA, V. L; PADUA, G, M; BORBA, G. L. A; SILVA, L. A. Avaliação dos sistemas de captação/armazenamento de água de chuva construídos em comunidade rurais do município de Araçuaí/MG, e os cuidados da população com a água armazenada. In: Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, 24., 2007, Belo Horizonte, MG.

SILVA, M. P. N. S. Assistência técnica e associativismo em assentamentos rurais do INCRA e do Crédito Fundiário. 2009. 81f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Agronomia) – Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar, Pombal. 2009.

SILVA, E. M; SILVA, R. B; FEITOSA, P. H. C. Educação Ambiental como Ferramenta Fundamental para o Gerenciamento dos Resíduos Sólidos Produzidos em Assentamentos Rurais no Sertão Paraibano. In: Congresso Nacional de Educação Ambiental, 2, e Encontro Nordestino de Biogeografia, 4, 2011, João Pessoa. Anais... João Pessoa. 2011. p.781.

SILVA, H. C. H.; PADUA, J. B.; CAMILO, L. N.; DORNELES. A qualidade do saneamento ambiental no assentamento rural amparo no município de Dourados-MS. Uberlândia. Sociedade e Natureza, v.26, n.3, p. 535-545, 2014.

SNIS, SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES SOBRE SANEAMENTO. Diagnóstico do Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2014. Brasília: MCIDADES. SNSA, 2014.

UNEP (United Nations Environment Program). Clearing the Waters: a focus on water quality solutions. UNEP, March, 2010.

VIANA, F. C; LOPES, J. D. S; LIMA, F. Z. Manual de Tratamento de água no meio rural. Viçosa, CPT, 2009. 100p.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i4.4897

Direitos autorais 2017 Elisângela Maria da Silva et al.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.