INSETICIDAS BIOLÓGICO E NATURAL NO CONTROLE DA Spodoptera frugiperda (J.E. SMITH, 1797) (LEPIDOPTERA: NOCTUIDAE) EM MILHO CULTIVADO EM CONDIÇÕES DE CAMPO

Rogério Hidalgo Barbos, Samir Oliveira Kassab, Paulo Rogério Beltramin da Fonseca, Camila Rossoni, Alan de Souza Silva

Resumo


O objetivo da pesquisa foi avaliar o potencial de inseticidas biológico e natural no controle da Spodoptera frugiperdaem milho cultivado em condições de campo. Foi utilizado o delineamento experimental composto por blocos casualizados, com sete tratamentos e cinco repetições. Os tratamentos testados foram: 1) IBCB 425, 2) PL 43, 3) UFGD 21, 4) GC-91, 5) Óleo de nim, 6) Belt 480 SC e 7) Testemunha – não tratada. Aos 21 DAA o inseticida Belt 480 SC e o isolado GC-91 de B. thuringiensis apresentaram maior mortalidade entre os tratamentos com de 92,5% e 75%, respectivamente. O IBCB 425, UFGD 21 e PL-43 obtiveram mortalidade de 50%, 47,5% e 55% aos 21 DAA e o óleo de nim, em média, apresentou 30% de mortalidade nas diferentes avaliações. A utilização de alternativas biológicas no controle de pragas agrícolas é interessante por razões econômicas e ambientais, pois, o agricultor pode agregar valores ao seu produto final, diminuir os impactos causados ao meio ambiente pelo uso de inseticidas e preservar a fauna de artrópodes associada à cultura que controlam os insetos de importância econômica. No entanto maiores informações sobre a susceptibilidade da S. frugiperda aos entomopatógenos devem ser estudadas com vista à formação de uma base para a utilização eficaz do controle biológico na cultura do milho

Texto completo:

PDF