Informativo Técnico do Semiárido https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA <p>O Informativo Técnico do Semiárido (INTESA), ISSN 2317-305X é um periódico pertencente ao Grupo Verde de Agroecologia e Abelhas (GVAA) são editados dois volumes anualmente, no formato eletrônico, destinando-se à divulgação de artigos técnico e ou científicos, originais e inéditos, elaborados em Português, Inglês ou Espanhol, tendo como tema principal o semiárido brasileiro.</p> <p>Este periodico teve inicio no ano de 2007 na versão digital, provendo a divulgação de pesquisas realizadas no ambito do desenvolvimento sustentável da região semiárida, do nordeste brasileiro. Além de artigos técnico e ou científicos, é possivel avaliação de outras contribuições nas modalidades de revisão de literatura, nota prévia e carta ao Editor em forma de sugestões, comentários e críticas sobre as publicações.</p> <p>Utilizamos o software para revistas eletrônicas Open Journal Systems (<em>OJS</em>)&nbsp;<em> desenvolvido pelo </em>Public Knowledge Project (PKP), sob a orientação de uso pelo&nbsp;<a href="http://www.ibict.br/">Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT)</a> e da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC)</p> GVAA - Grupo Verde de Agroecologia e Abelhas pt-BR Informativo Técnico do Semiárido 2317-305X Efeitos Benéficos da Própolis no Processo de Regeneração tecidual da Úlcera de Pressão https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/8502 <p>A pele é considerada a primeira barreira de proteção do organismo contra agentes externos, está sujeita a constantes agressões como pressão, traumas mecânicos, físicos, químicos e biológicos, que podem resultar na sua ruptura causando lesões ou perda extensiva do tecido. própolis é uma substância resinosa, elaborada por abelhas a partir de partes de plantas, compreendendo cera, pólen e resinas, além de secreções das glândulas da cabeça das abelhas. é considerado atualmente de maior destaque, conhecido por diversas propriedades biológicas que possui e assim utilizada como antimicrobiano, antioxidante, antiinflamatório, imunomodulador, hipotensor, cicatrizante, anestésico, anticancerígeno, anti-HIV e anticariogênico. <strong>Desenvolvimento:</strong> A úlcera de pressão é ocasionada devido ao período prolongado de o paciente permanece acamado, isso faz com que os locais propícios venham a contrair uma umidificação, favorecendo o desenvolvimento dessas escaras ou ulceras. Para medir o grau das úlceras de pressão, estudiosos norte americanos construiram um instrumento, onde esse instrumento é observado através de uma escala, onde avalia o risco que a úlcera estabelece ao paciente.<strong>Metodologia:</strong> Trata-se de uma revisão bibliográfica baseada em artigos científicos, revistas, e trabalhos acadêmicos encontrados em endereços eletrônicos a respeito dos benefícios que a própolis traz para o processo de reparação a uma ulcera de pressão.<strong>resultados:</strong> Foram 20 pessoas selecionadas, com 22 feridas crônicas de diferentes etiologias, úlceras vasculares diabéticas e por pressão. A utilização da pomada de própolis produziu um efeito analgésico, antibacteriana, antifúngica e entre outras da própolis. <strong>Conclusão:</strong> Com isso, identificamos que a própolis é uma medicação natural e que atua eficazmente no processo de reparação tecidual decorrido de uma lesão na pele relacionada a úlceras, particularmente mais conhecidas como escaras.</p> Mônica Barbosa de Sousa Freitas Manoel Marques de Souto Nóbrega Filho Wyara Ferreira Melo Maria Amanda Laurentino Freires José Cândido da Silva Nóbrega Torben Fernandes Maia Monica Valeria Barros Pereira Ankilma do Nascimento Andrade Feitosa Copyright (c) 2021 José Cândido da Silva Nóbrega 2021-01-16 2021-01-16 15 1 222 231 As Revoluções Industriais no avanço de tecnologias inovadoras no desenvolvimento da educação 4.0 https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/8506 <p>As Revoluções Industriais não podem ser explicadas somente pelas invenções ou descobertas de novas máquinas, fontes de energia, materiais ou métodos, por exemplo. No entanto, estes são fatores fundamentais no desenvolvimento da economia nos últimos dois séculos e meio. Antes já existiam máquinas, como as da imprensa e os moinhos hidráulicos. Contudo, a difusão das máquinas, chamada de maquinismo, caracteriza e diferencia este período em relação aos anteriores. É pertinente enfatizar que a Revolução Industrial, ocorrida na Inglaterra no século XVIII foi o grande precursor do capitalismo, ou seja, a passagem do capitalismo comercial para o capitalismo industrial. É fascinante, como a revolução industrial mudou a vida das pessoas daquela época e como até hoje seus reflexos continuam transformando o nosso dia a dia com a revolução tecnológica. A Primeira Revolução industrial está se referindo ao avanço tecnológico vivido apart do século XVIII na Europa Ocidental entre os anos 1760 a 1850, formando uma relação entre a sociedade e o meio, possibilitando a existência de novas formas de produção que transformou o setor industrial, dando-se início a um novo padrão de consumo. Um dos motivos que ocasionou a Segunda Revolução Industrial foram os fatores relacionados às Revoluções Burguesas, como a Revolução Francesa e a Revolução Inglesa, que ocorreram entre os anos de 1640 e 1850. A terceira Revolução Industrial aconteceu no período após a Segunda Guerra Mundial que houve o desenvolvimento do avanço tecnológico onde passaram abranger o campo da ciência, integrando-o ao sistema produtivo. Essa revolução é conhecida também como Revolução Técnico-Científico-Internacional.</p><p> </p><p><strong>Palavras chaves:</strong> Revolução Industrial; tecnologias inovadoras e educação 4.0.</p> José Cândido da Silva Nóbrega Torben Fernandes Maia Mônica Barbosa de Sousa Freitas Francisco das Chagas Bezerra Neto Clarice Ribeiro Alves Caiana Copyright (c) 2021 José Cândido da Silva Nóbrega 2021-01-19 2021-01-19 15 1 232 239 Contratos de Factoring (faturização), Leasing (arrendamento mercantil), Know-how (transferência de tecnologia) e de Licença https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/8718 <table width="100%" border="1" cellspacing="0" cellpadding="0"><tbody><tr><td valign="top" width="77%"><p> </p><p>Os contratos empresariais são instrumentos jurídicos celebrados entre dois ou mais empresários, sobre objeto lícito e possível, tendo por finalidade a aquisição, a modificação ou extinção de direitos, de modo que fique resguardada a segurança de todos os envolvidos no negócio. Nessa perspectiva, este artigo, através da pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, método dedutivo, coleta de dados bibliográfico-documental, procedeu-se de modo a realizar uma análise acerca dos contratos de Factoring, Leasing, Know-how e de Licença como forma de dar suporte e estimular as atividades desempenhadas pelo empresário, sobretudo no que tange a segurança jurídica e crescimento econômico. Ademais, cabe pontuar a atividade árdua empresarial, sobretudo no que tange os diversos riscos ao empresário, bem como a atuação empresarial embutida na atual fase financeira do capitalismo. Por fim, diante da problemática exposta, buscou-se, embasado nos instrumentos jurídicos empresarias, elucidar a necessidade dos empresários, pautado na segurança jurídica e no respeito crescimento econômico, buscar a utilizar estes instrumentos como forma de promoção econômica.</p></td></tr></tbody></table> Clarice Ribeiro Alves Caiana Francisco das Chagas Bezerra Neto José Antonio Hilário Lacerda Clementino Barbara Moraes de Mello Victor Furtado Sampaio João Paulo Borges de Queiroz Copyright (c) 2021 Clarice Ribeiro Alves Caiana, Francisco das Chagas Bezerra Neto, José Antonio Hilário Lacerda Clementino, Barbara Moraes de Melo, Victor Furtado Sampaio, João Paulo Borges de Queiroz 2021-03-15 2021-03-15 15 1 240 246 Investigação sobre os desafios na implementação do Smart Campus em Universidades Federais https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/9133 <p>O <em>Smart Campus é um importante ator na condução e implementação de novas políticas organizacionais nas Universidades Federais, como a Big Data, Internet of Things (IoT). O resultado dessas novas políticas traduzem na obtenção de maiores informações para os gestores da instituição, além da otimização dos recursos públicos frente a um cenário cada vez maior de restrições orçamentárias, ressignificando o papel da instituição pública quanto a eficiência e efetividade das políticas públicas, resultando em um impacto positivo na satisfação dos professores, técnicos administrativos e discentes da instituição, promovendo o desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão. Para tanto, é essencial que se investigue as condições de recursos humanos e infraestrutura para uma efetiva instalação de um Smart Campus para que os gestores e atores que participarão do projeto identifiquem os principais entraves, na Universidade Federal, quanto aos requisitos necessários para a aplicabilidade de um Smart Campus na instituição. </em></p> Athos Cardoso Pereira de Souza Liana Bastos Bezerra Ana Clara Roberto Ramalho de Andrade Monica Valeria Barros Pereira Janaina de Araujo Almeida Adriano Cipriano de Sousa Themis Pereira dos Santos Rosivaldo Dantas de Araujo Maria Amanda Laurentino Freitas Onireves Monteiro de Castro Francivaldo Gomes Moura Copyright (c) 2021 Athos Cardoso Pereira de Souza 2021-08-21 2021-08-21 15 1 147 251 Educação Profissional para jovens e adultos do campo como política pública https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/9137 <p>A Educação Profissional é essencial para que seja possível atingir o desenvolvimento pessoal de<br>cada pessoa, preparando para o exercício da cidadania e para o trabalho. O desenvolvimento<br>econômico de uma região também encontra-se no centro das políticas públicas de educação<br>profissional, onde há uma simbiose entre o perfil de demanda do trabalho pela iniciativa privada e<br>a oferta de cursos pelas instituições de ensino. A Educação Profissional para Jovens e Adultos do<br>campo se torna um sopro de esperança para uma população há muito ignorada, que deseja<br>promover uma ruptura no modelo de gestão que historicamente possui elevada precarização em<br>sua Educação, com contínuos desinvestimentos e interrupções de políticas públicas, devendo ser<br>elaborado um novo plano técnico pedagógico no qual existe a preocupação da escola em nutrir<br>uma participação política e democrática dos seus alunos.</p> Athos Cardoso Pereira de Souza Liana Bastos Bezerra Ana Clara Roberto Ramalho de Andrade Monica Valeria Barros Pereira Janaina de Araujo Almeida Adriano Cipriano de Sousa Themis Pereira dos Santos Rosivaldo Dantas de Araujo Maria Amanda Laurentino Freitas Onireves Monteiro de Castro Francivaldo Gomes Moura Copyright (c) 2021 Athos Cardoso Pereira de Souza 2021-08-21 2021-08-21 15 1 252 257 Análise de políticas ambientais através da matriz de indicadores de Educação Ambiental em Universidades Federais https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/volume-15 <p><em>Em um cenário de escassez de recursos, a Educação Ambiental se lança como um relevante instrumento para proteção do meio ambiente. A construção de medidas sustentáveis, que resulta em uma política interna de educação ambiental e destinação adequado de resíduos sólidos, requer a participação ativa dos membros da comunidade &nbsp;diminuição de resíduos gerados, sendo a Universidade a principal disseminadora de tais políticas ambientais, tanto internamente quando para a comunidade externa. O contínuo contigenciamento de recursos, decorrente do difícil cenário fiscal da economia brasileira, requer que os gestores das Universidades Federais adotem medidas que reduzam os gastos discricionários das instituições, como energia elétrica, água e demais insumos utilizados pela comunidade acadêmica, de forma a reinvestir os recursos economizados em demais áreas. Por isso, a realização de um estudo localizado sobre impacto orçamentário e da conscientização ambiental gerada na comunidade acadêmica pode subsidiar os gestores da instituição na tomada de decisão quanto ao investimento em novas políticas ambientais.</em></p> <p><em>&nbsp;</em></p> Athos Cardoso Pereira de Souza Liana Bastos Bezerra Ana Clara Roberto Ramalho de Andrade Themis Pereira dos Santos Adriano Cipriano de Sousa Monica Valeria Barros Pereira Janaina de Araujo Almeida Rosivaldo Dantas de Araujo Onireves Monteiro de Castro Francivaldo Gomes Moura Copyright (c) 2021 Athos Cardoso Pereira de Souza, Liana Bastos Bezerra, Ana Clara Roberto Ramalho de Andrade, Themis Pereira dos Santos, Adriano Cipriano de Sousa, Monica Valeria Barros Pereira , Janaina de Araujo Almeida, Rosivaldo Dantas de Araujo, Onireves Monteiro de Castro, Francivaldo Gomes Moura 2021-08-26 2021-08-26 15 1 258 261 Regime de previdência própria nos municípios https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/9134 <p>O presente estudo tem por objetivo analisar o regime próprio de previdência social, discorrendo de<br>forma breve as suas características e problemáticas que envolvem a questão em análise.<br>Historicamente, a previdência social dos servidores públicos tem sido elemento de grandes e<br>instigantes discussões, especialmente pelo fato de ser classicamente assistemática e gratuita,<br>podendo ser mensurada por meio de privilégios para determinadas categorias funcionais. A criação<br>do Regime Próprio da Previdência Social (RPPS) visa assegurar o pagamento dos benefícios aos<br>seus segurados, sendo o regime caracterizado como sendo um regime previdenciário destinado<br>especificamente aos servidores públicos civil, no âmbito das três esferas da federação e aos militares<br>dos Estados e do Distrito Federal. Assim, o presente estudo busca apresentar algumas considerações<br>sobre a questão, não buscando esgotar a matéria. A metodologia empregada no presente estudo é a<br>da revisão bibliográfica, sendo empregados informações de artigos publicados em revistas, livros e<br>a jurisprudência referente ao tema.</p> Themis Pereira dos Santos Edvaldo Luna Ramos Athos Cardoso Pereira de Souza Liana Bastos Bezerra Ana Clara Roberto Ramalho de Andrade Monica Valeria Barros Pereira Janaina de Araujo Almeida Adriano Cipriano de Sousa Rosivaldo Dantas de Araújo Maria Amanda Laurentino Freitas Onireves Monteiro de Castro Francivaldo Gomes Moura Copyright (c) 2021 Athos Cardoso Pereira de Souza 2021-08-26 2021-08-26 15 1 262 269 Fé e devoção dos paroquianos de Santa Luzia - Paraíba - Brasil https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/9135 <p>O objetivo deste trabalho foi o de estudar o meio de fé e devoção dos paroquianos do município de<br>Santa Luzia, Estado da Paraíba. O interesse em abordar o tema prendeu-se ao fato de compreender<br>os fatos remanescentes da religiosidade, bem como dar conhecimento as novas gerações da gênese do<br>catolicismo em Santa Luzia. Pesquisa bibliográfica e documental aos trabalhos dos que já escreveram<br>sobre esse aspecto que conduz à cultura de uma terra que se caracteriza como religiosa. Leis, livros e<br>documentos paroquiais. Com o intuito de se expandir e povoar o interior da Paraíba, o Capitão<br>Português Geraldo Ferreira das Neves comprou terras nesta região e em mil oitocentos e cinqüenta e<br>seis fez a doação de um terreno onde foi construída uma Capela que posteriormente passou a ser<br>consolidada como Paróquia por força da lei Provincial número quatorze. De uma pequena fazenda<br>em vila e depois em cidade por força da citada Lei, a Paróquia teve um número considerável de Padres,<br>inclusive filhos da terra, que criaram muitas irmandades e contribuíram para o desenvolvimento do<br>município através, de seus ensinamentos. Foi escolhido como padroeira uma Santa com o nome de<br>“Santa Luzia”, que até hoje se perpetuou reconhecida pelos fiéis do mundo todo.</p> Rosivaldo Dantas de Araújo Athos Cardoso Pereira de Souza Liana Bastos Bezerra Ana Clara Roberto Ramalho de Andrade Monica Valeria Barros Pereira Janaina de Araujo Almeida Adriano Cipriano de Sousa Themis Pereira dos Santos Maria Amanda Laurentino Freitas Onireves Monteiro de Castro Francivaldo Gomes Moura Copyright (c) 2021 Rosivaldo Dantas de Araújo, Athos Cardoso Pereira de Souza, Liana Bastos Bezerra, Ana Clara Roberto Ramalho de Andrade, Monica Valeria Barros Pereira, Janaina de Araujo Almeida, Adriano Cipriano de Sousa, Themis Pereira dos Santos, Maria Amanda Laurentino Freitas, Onireves Monteiro de Castro, Francivaldo Gomes Moura 2021-08-27 2021-08-27 15 1 270 274 O Algodão Colorido Suas Vantagens Econômicas e Sustentáveis https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/9136 <p><em>O estudo como finalidade compreender através de uma revisão bibliográfica as vantagens econômicas e sustentáveis do algodão colorido. Metodologicamente, a pesquisa trata-se de uma revisão bibliográfica, com abordagem descritiva e exploratória acerca das vantagens econômicas e sustentáveis do algodão colorido. A revisão bibliográfica ocorrerá a partir da busca de artigos publicados e indexados em bases de dados da Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), na Scientific Eletronic Library Online (SciELO), no Google Acadêmico e em demais bases confiáveis que contemplem a temática. A questão norteadora do estudo é: Quais as vantagens econômicas e sustentáveis do algodão colorido. Para busca dos artigos serão utilizados os seguintes descritores e suas combinações em língua portuguesa: Algodão Colorido. Sustentabilidade. Vantagens Econômicas. Os critérios de seleção definidos para compilação das publicações serão: artigos científicos, relatórios, monografias, dissertações e teses que apresentem a temática do estudo, que estão em língua portuguesa, acesso gratuito, texto completo, publicados e indexados nos referidos bancos de dados entre os anos de 2010 a 2020. A revisão bibliográfica abordou os seguintes pontos: a história e caracterização do algodão colorido; as vantagens econômicas do algodão colorido; e a importância social e sustentável do algodão colorido. Assim, concluiu-se que a pesquisa apresentou de forma satisfatória as inúmeras vantagens econômicas e sustentáveis do algodão colorido e o seu protagonismo na indústria nacional, demonstrando assim a sua importância não apenas para o mercado brasileiro, mas para os pequenos agricultores da região do Nordeste, como uma possibilidade de renda, além de manutenção e respeito com o meio ambiente. </em></p> Anderson Manoel da Silva Carlos Augusto Rolim Araruna Hugo Henrique Gonçalves Santos Otacílio Nascimento de Abreu Jéssica Gonçalves de Sousa Marcelo Eiti Banja Maicon Gonzaga da Silva Michel da Silva Maria Amanda Laurentino Freitas Onireves Monteiro de Castro Francivaldo Gomes Moura Copyright (c) 2021 Athos Cardoso Pereira de Souza 2021-08-27 2021-08-27 15 1 275 285