Análise parasitológica do solo em parques infantis de creches municipais de Patos-PB

  • Wanderson Silva Martins Faculdades Integradas de Patos
  • Malba Gean Rodrigues Amorim Faculdades Integradas de Patos
  • Camila Maria Formiga Leite UFCG-CAMPUS POMBAL
  • Ítala Silva Martins Faculdades Integradas de Patos
  • Patrício Borges Maracajá Universidade Federal de Campina Grande- CAMPUS Pombal-PB
  • Aline Carla de Medeiros Universidade Federal de Campina Grande- campina Grande
  • Anderson Bruno Anacleto de Andrade
Palavras-chave: Areia. Crianças. Parasitas. Recreação.

Resumo

As doenças parasitárias, especialmente as enteroparasitoses, constituem-se como um importante problema de saúde pública, sendo as crianças de menor idade as mais afetadas. E é em espaços públicos com o solo ao ar livre que estas infecções são transmitidas como exemplo praças públicas, creches e escolas. Esta infecção ocorre através da ingestão de cistos e ovos de protozoários e helmintos, tendo o local/solo contaminado. A contaminação dessas áreas ocorre geralmente devido ao livre acesso de cães e gatos infectados, que esteja eliminando formas infectantes dos parasitos intestinais na areia ou a utilização de águas contaminadas utilizadas para regar plantas nos jardins dos parques de creches e escolas. O objetivo do estudo foi analisar o solo de parques infantis de creches no município de Patos-PB. Onde foram feitas coletas em dois pontos dos parques infantis, uma superficial e a outra com a profundidade de 10 cm, totalizando em média 100 gramas de areia por ponto coletado, utilizando instrumentos apropriados para realização da coleta das amostras. Apresentou-se uma ampla quantidade de amostras positivas para protozoários ou helmintos, assim mostrando que havia contaminação. Identificamos como os principais protozoários e helmintos encontrados que foram: Ancilostomídeo spp, Toxocara sp, Strongyloides stercoralis, Ascaris lumbricoides, Taenia sp.

Analysis parasitological soil in parks for children of municipal crèches Duks-PB

Abstract: Parasitic diseases, especially intestinal parasites, constitute an important public health problem, being the younger children the most affected. And it is in public spaces with outdoor soil that these infections are transmitted as an example public squares, kindergartens and schools. This infection occurs by ingestion of cysts and eggs of protozoa and helminths, and local / contaminated soil. The contamination of these areas is usually due to the free access of dogs and cats infected, that is eliminating infective forms of intestinal parasites in the sand or the use of contaminated water used for watering plants in the gardens of the parks kindergartens and schools. The aim of this study was to analyze the soil of children's nurseries parks in the city of Patos-PB. Where collections were made at two points of playgrounds, a surface and the other with a depth of 10 cm, totaling an average of 100 grams of sand per point collected, using appropriate instruments to carry out the collection of samples. We have performed a large amount of positive samples for protozoa and helminths, thus showing that there was contamination. Identified as the main protozoa and helminths found that were hookworm Ancilostomídeo spp, Toxocara sp, Strongyloides stercoralis, Ascaris lumbricoides, Taenia sp.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanderson Silva Martins, Faculdades Integradas de Patos
Bacharel em Biomedicina, pelas Faculdades Integradas de Patos
Malba Gean Rodrigues Amorim, Faculdades Integradas de Patos
Graduação em Medicina Veterinária, pela Universidade Federal de Campina Grande-UFCG; Mestrado em Ciências Veterinárias, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro-UFRRJ; Doutora em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande-UFCG.
Camila Maria Formiga Leite, UFCG-CAMPUS POMBAL

Bacharel em Biomedicina, pelas Faculdades Integradas de Patos

Especializando-se em Citologia Clínica pelas Faculdades Integradas de Patos

Mestranda em Sistemas Agroindustriais pela UFCG-CAMPUS POMBAL 

Ítala Silva Martins, Faculdades Integradas de Patos
Bacharelanda em Fisioterapia pelas Faculdades Integradas de Patos.
Patrício Borges Maracajá, Universidade Federal de Campina Grande- CAMPUS Pombal-PB
Graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (1981) e doutorado em Agronomia pela Universidade de Córdoba (UCO) - Córdoba Espanha (1995) convalidado pela USP/ESALQ como Doutor em Ciencias : Entomologia e Estágio de Pós Doutorado em Plantas Toxicas para abelhas (Apicultura) na UNESP/CEIS - Rio Claro - SP. em 2005-2006 e possui a segunda Graduação em Licenciatura em Teologia pelo CENPRAC da Diocese de Santa Luzias em Mossoró - RN (2007). Atualmente é professor Associado III da Universidade Federal de Campina Grande. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitotecnia: Agroecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Cultivos Organicos, Controle de pragas agricolas, produtos Naturais, Apicultura, Meliponeas, plantas tóxicas, Agressividade de Abelhas e meio ambiente.
Aline Carla de Medeiros, Universidade Federal de Campina Grande- campina Grande
Possui Licenciatura Plena em Biologia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA/UNAVIDA, concluído em 2008, realizou o Curso de Especialização e Educação Ambiental pelas Faculdades Integradas de Patos (FIP), concluído no ano de 2011 e Mestrado em Sistemas Agroindustriais, pela Universidade Federal de Campina Grande-UFCG/Pombal-PB, concluído em 2014. Atua junto ao CCTA/UFCG/GVAA- Grupo Verde de Agroecologia e Abelha-Pombal-PB( junto aos professores: Prof. D. Sc. Patrício Borges Maracajá, Paulo César Ferreira Linhares (UFERSA) e Rosilene Agra da Silva. Desenvolve pesquisas na área de: Sistemas Agroindustriais, compreendendo (Agroecologia, Apicultura, Meliponicultura e Etnobotânica).
Publicado
2016-02-11
Como Citar
Martins, W. S., Amorim, M. G. R., Leite, C. M. F., Martins, Ítala S., Maracajá, P. B., Medeiros, A. C. de, & Andrade, A. B. A. de. (2016). Análise parasitológica do solo em parques infantis de creches municipais de Patos-PB. Informativo Técnico Do Semiárido, 10(1), 50 - 53. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/4031
Seção
Artigos