APLICAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO AMBIENTAL: ANÁLISE DOS FOCOS DE CALOR NO MUNICÍPIO DE CRATO, ESTADO DO CEARÁ

  • Eliezio Nascimento Barboza Instituto Federal do Ceará
  • Carlos Chagas Brasil Alves Universidade Veiga de Almeida
  • Edilania Soares da Silva Universidade Federal de Campina Grande
  • Leonardo de Sousa Alves Universidade Federal de Campina Grande
  • Cícera Gomes Bezerra Universidade Federal de Campina Grande
  • Paulo Gomes Bezerra Universidade Federal de Campina Grande
  • Hellen Rhianny Soares de Oliveira Universidade Federal de Campina Grande
  • Romário Estrela Pereira Universidade Federal de Campina Grande
  • Ana Maria Ribeiro de Aragão Universidade Federal de Campina Grande

Resumo

A prática do fogo é um fator de perturbação dos ecossistemas, sendo caracterizado como um fenômeno natural ou uma ferramenta de manejo de recursos naturais. Diversos incêndios têm causas naturais e podem ser benéficos ecologicamente em alguns biomas específicos, porém na maior parte do mundo, os incêndios estão ligados à ação antrópica. Destaca-se o estudo de focos de calor como uma forma de monitoramento ambiental, sendo definido como um registro detectado por sensores orbitais dos satélites de monitoramento de queimadas na superfície terrestre, no qual são detectados qualquer temperatura registrada acima de 47 °C. Para o monitoramento desses focos de calor, destaca-se a utilização de técnicas de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto, no qual são ferramentas úteis para obter as informações detalhadas e atualizadas sobre a localização e extensão das áreas queimadas. Nesse contexto, o presente trabalho objetiva avaliar os focos de calor no Crato para os anos de 2011, 2015 e 2019 a partir de uma análise temporal e espacial, no qual foi utilizado dados geoespaciais pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e os dados de focos de calor extraídos do Banco de Dados de Queimadas, disponibilizadas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. O total de ocorrência de focos no período compreendido nos anos de 2011, 2015 e 2019 foi de 22.49. Entre os anos de 2011, 2015 e 2019, o município apresentou um aumento na taxa de ocorrência de focos de calor de 24.25%.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-07-21
Como Citar
Barboza, E. N., Alves, C. C. B., Silva, E. S. da, Alves, L. de S., Bezerra, C. G., Bezerra, P. G., Oliveira, H. R. S. de, Pereira, R. E., & Aragão, A. M. R. de. (2022). APLICAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO AMBIENTAL: ANÁLISE DOS FOCOS DE CALOR NO MUNICÍPIO DE CRATO, ESTADO DO CEARÁ. Informativo Técnico Do Semiárido, 16(1), 403-410. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA/article/view/9441
Seção
Artigo Técnico