ESTRESSE SALINO E DOSES DE POTÁSSIO EM MUDAS DE ROMÃ (Punica granatum L.)

  • Igor Marcos Almeida da Silva
  • Rodolfo Wagner de Paiva Trigueiro
  • Dom Dielton Pereira de Zaquel Rezzo

Resumo

A romã pertencente à família Punicaceae, é uma cultura de interesse na região semiárida devido apresentar altas concentrações de compostos fenólicos e apresentar tolerância a seca, o trabalho teve por objetivo avaliar o efeito de estresse salino e doses de potássio em mudas. O delineamento adotado foi em blocos casualizados (DBC), com fatorial 5x4, com 4 repetições. Foram utilizadas 5 concentrações salinas ( entre 0,3 a 4,3 dS m-1 ) e 4 doses de adubação potássica ( entre 0,03 e 0,09 g). Os parâmetros avaliados foram número de folhas, altura da planta e diâmetro do caule. A romã mostrou melhores resultados utilizando água salina com CEa de até 2,3 dS m-1 com a utilização de adubação de 0,03 g de nitrato de potássio, sendo que ocorreu efeito negativo quanto ao diâmetro do caule.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-01-01
Seção
Artigos