Efeitos da aplicação de bioestimulantes em sementes de algodão

Gabriel Fernandes Rezende, Beliza Queiroz Vieira Machado, Regina Maria Quintão Lana, Larissa Barbosa de Sousa, Adílio de Sá Junior

Resumo


No Brasil a cultura do algodoeiro é uma das que mais utiliza tecnologia, surgindo a cada ano novas opções que auxiliam na produção, sendo o uso de bioestimulantes uma delas. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito do tratamento de sementes de algodoeiro com doses de biorreguladores na germinação e vigor das sementes. O experimento foi conduzido no Laboratório de Análise de Sementes da Universidade Federal de Uberlândia, em delineamento de blocos casualizados, com quatro repetições. Foram realizados cinco tratamentos, sendo eles compostos por 2; 4 e 6 mL kg de sementes-1 do bioestimulante registrado como adubo foliar, 6 mL kg de sementes-1 do bioestimulante regulador de crescimento e 6 mL kg de sementes-1 de água destilada. Avaliou-se a porcentagem de germinação, massa verde de raízes, parte aérea e total, massa seca de raízes, parte aérea e total e comprimento de raiz, parte aérea e total. O produto registrado como adubo foliar na dose de 6 mL kg de sementes-1, apresenta maior porcentagem de plântulas normais, em relação a testemunha. O maior comprimento total e radicular é observado na dose de 2,4 mL kg de sementes-1 do bioestimulante registrado como adubo foliar. A aplicação de bioestimulantes nas doses utilizadas não afetam as variáveis de massa seca e fresca de parte aérea, radicular e total. 

Effects of biostimulants application in cotton seeds

Abstract: The culture of cotton comes settling in Brazil as the more tecnificated, generating each year new technologies that help this growth, being the use of biostimulants one of them. Aiming to expand studies in the area, the present work aimed to test bioregulators doses without cotton seed treatment and evaluate your influence on germination and seedling vigor. The experiment was conducted at the Seed Analysis Laboratory of the Federal University of Uberlândia, in a randomized complete block design with four replications. Were evaluated five treatments for compounds different doses of two bioregulators, being 2; 4 and 6 ml kg-1 seed to bioregulators registered as a leaf fertilizer, 6 ml kg-1 seeds to bioregulators growth regulator and 6 ml kg-1 seeds with distilled water. Was evaluated the germination percentage, root green mass, aerial and total part, root dry mass, aerial part and total and root length, aerial part and total. The product registered as a leaf fertilizer at the dose of 6 mL kg of seeds-1, presents a higher percentage of normal seedlings, in relation to the subject. The largest total and root length is observed at the dose of 2.4 mL kg of seed-1 of biostimulant registered as a leaf fertilizer. The application of biostimulants at the doses used does not affect the variables of dry and fresh mass of aerial part, root and total.


Palavras-chave


Gossypium hirsutum L.; Regulador vegetal; Tratamento de sementes

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA A. Q.; SORATTO R. P.; BROETTO F.; CATANEO A. C. Nodulação, aspectos bioquímicos, crescimento e produtividade do feijoeiro em função da aplicação de bioestimulante. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 35, n.1, p. 77-88, 2014.

ANJOS, D. N. Bioestimulantes, NPK e micronutrients na cultura do feijão comum em Vitória da Conquista – BA. 2014. 76f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Universidade Estadual do Sudeste da Bahia. 2014.

BALDO, R.; SCALON. S. P. Q.; ROSA. Y. B. C. J.; MUSSURY. R. M.; BETONI. R.; BARRETO. W. S. Comportamento do algodoeiro cultivar delta opal sob estresse hídrico com e sem aplicação de bioestimulante. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 33, Edição Especial, p. 1804 -1812, 2009.

BECKER, W. D.; HOPPER, N. W.; MCMICHAEL, B. L.; JIVIDEN, G. M. Seed applied plant growth regulators effects on cotton germination, emergence and growth. Beltwide cotton conference, Memphis. Proceedings, Memphis: National Cotton Council, v. 1, p. 625-627. 1999

BELMONT, K. P. DE C.; BRUNO, R. de L. A.; BELTRÃO, N. E. de M.; COELHO, R. R. P.; SILVA, M. T. C. Ação de fitorregulador de crescimento na germinação de sementes de algodoeiro. In: Congresso brasileiro de algodão, 4, 2003, Goiânia. Anais... Campina Grande: Embrapa Algodão, 2003. p.130.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Secretaria de Defesa Agropecuária. 2009. CD Rom.

CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Ministério da Agricultura – Pecuária e Abastecimento – MAPA. Brasília, 2014, CD Rom.

FERREIRA, P. V. Estatística aplicada à agronomia, 2ª ed. Maceió – AL, 1996, 604p.

HODGES, H. F.; REDDY, V. R.; REDDY, K. R. Mepiquat chloride and temperature effects on photosynthesis and respiration of fruiting cotton. Crop Science, Madison, v. 31, n.5, p.1302-1308, Sept./Oct. 1991.

ICAC. International Cotton Advisory Committee. Cotton: Review of the world situation. Washington: ICAC, v. 54, n.2, p. 22, 2000.

LAMAS, F. M. Reguladores de Crescimento. In: Embrapa Agropecuária Oeste. Algodão: tecnologia de produção, 2001, Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste, Embrapa Algodão. 2001. p.296.

LIBERA, A. M. D. Efeito de bioestimulantes em caracteres fisiológicos e de importância agronômica em milho (Zea mays L.) 2010. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso de Agonomia) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. 2010.

LIMA, M. M.; FARIAS, V. A.; SEVERINO, L. S.; CARDOSO, G. D. Efeito de regulador de crescimento sobre a germinação e desenvolvimento inicial do algodoeiro. In: Congresso brasileiro de algodão, 4, 2003, Goiânia. Anais... Goiânia: UFG, 2003.

NAYAKEKORALA, H.; TAYLOR, H. M. Phosphorus uptake rates of cotton roots at different growth stages from different soil layers. Plant Soil, v. 122, p. 105-110. 1990.

RAVEN, P. H., EVERT, R. F.; EICHHORN, S. E. Biologia Vegetal, Coord. Trad. J.E.Kraus. 7.ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2007.

SANTOS, C.M.G.; VIEIRA, E.L. Efeito de bioestimulante na germinação de sementes, vigor de plântulas e crescimento inicial do algodoeiro. Magistra, Cruz das Almas-BA, v. 17, n.3, p.124-130, 2005.

SEVERINO, L. S.; LIMA, C. L. D. de; FARIAS, V. de A.; BELTRÃO, N. E. de M.; CARDOSO, J. D. Aplicação de Regulador de Crescimento em Sementes de Algodão, Amendoim, Gergelim e Mamona. Campina Grande, (Embrapa Algodão. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 53). 2003. p.17.

SILVA, G. A.; VIEIRA, N. M. B.; DAVID, A. M. S. de; BATISTA, R. O.; ANDRADE, J. A. S.; GONÇALVES, N. P. Bioestimulante na qualidade fisiológica de sementes de algodoeiro. In: Congresso brasileiro de plantas oleaginosas, óleos, gorduras e biodiesel, 6, 2009, Montes Claros. Anais... Lavras: UFLA, 2009.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Plant physiology. 2.ed. Massachussetts: Sinauer Associates, 1998. 792p.

VIEIRA, E. L. Ação de bioestimulante na germinação de sementes, vigor de plântulas, crescimento radicular e produtividade de soja (Glycine max (L.) Merrill), feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) e arroz (Oryza sativa L.). 2001. 122p. Tese (Doutorado em Agronomia) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”. 2001.

VIEIRA, E. L. Stimulate na germinação de sementes, vigor de plântulas e crescimento inicial do algodoeiro. In: Congresso brasileiro de algodão, 5, 2005, Salvador. Anais... Congresso Brasileiro de Algodão, 2005. p.163.

VIEIRA, E. L.; CASTRO, P. R. C. Ação de stimulate no desenvolvimento inicial de plantas de algodoeiro (Gossypium hirsutum L.). Piracicaba: USP. Departamento de Ciências Biológicas, p. 3, 2002.

VIEIRA, E. L.; MONTEIRO, C. A. Hormônios vegetais. In: Introdução à fisiologia vegetal. Maringá, Eduem 2002. p.79-104.

VIEIRA, E. L.; SANTOS, C. M. G. Efeito de bioestimulante no crescimento e desenvolvimento inicial de plantas de algodoeiro. Magistra, Cruz das Almas, v. 17, n. 1, p. 01-08, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i1.4299

Direitos autorais 2017 Gabriel Fernandes Rezende et al.