Germinação e crescimento inicial de variedades de feijão caupi submetidas a diferentes concentrações salinas

Daniela Siqueira Coelho, José Aliçandro Bezerra da Silva, Russaika Lírio Nascimento, Josenara Daiane de Souza Costa, Tales Xavier Seabra

Resumo


A utilização de variedades tolerantes ao estresse salino tem sido essencial para o estabelecimento de culturas comerciais em áreas salinas. O objetivou-se avaliar a germinação e o crescimento inicial de plântulas de quatro variedades de feijão caupi submetidas a diferentes níveis de estresse salino. As sementes das cultivares BRS Tapaihum, BRS Pujante, BRS Acauã e BRS Marataoã foram semeadas em espumas, dispostas em bandejas e umedecidas com as seguintes concentrações de NaCl: 0, 50, 100, 150 e 200 mM. Foram determinadas as variáveis: percentual de germinação, índice de velocidade de emergência, tempo médio, frequência relativa de germinação, comprimento da parte aérea e teor de água das plântulas. As variedades de feijão caupi apresentaram perda na capacidade germinativa a partir da concentração de 50 mM de NaCl. Também foi verificado que a incidência da salinidade promoveu uma diminuição da velocidade com que as variedades realizaram seus eventos bioquímicos, fisiológicos, morfogênicos necessários ao processo de germinação e formação das novas plantas.

Germination and initial growth of cowpea cultivars under salinity stress

Abstract: The use of varieties tolerant to salinity stress conditions has been essential for the crops establishment in are asthat experience with this problem. The aim of this study was to evaluate the germination process and early growth of seedlings of four varieties of cowpea under different levels of salinity. The seeds of BRS Tapaihum, BRS Pujante, BRS Acauã and BRS Marataoã were sown in foam, arranged in tray sand watered with the following NaCl concentrations: 0,50, 100, 150 and 200mM. The analized variables were Percentage of Germination, Emergence Speed Index, mean time, Relative Germination frequency, shoot length and water content of seedling. The cowpea varieties showed loss of germination capacity from 50 mM NaCl concentration. It was also verified that the salinity incidence promoted a decrease of the speed with which the varieties realized their biochemical, physiological, morphogenic events necessary to the process of germination and formation of the new plants.


Palavras-chave


Vigna unguiculata (L.) Walp; Tolerância; Emergência; Frequência relativa; Estresse.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDREO-SOUZA, Y.; PEREIRA, A. L.; SILVA, F. F. S.; REIS, R. C. R.; EVANGELISTA, M. R. V. CASTRO, R. D.; DANTAS, B. F. Efeito da salinidade na germinação de sementes e no crescimento inicial de mudas de pinhão-manso. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.32, n.2, p.83-92, 2010.

BERTAGNOLLI, C. M.; CUNHA, C. S. M.; MENEZES, S. M.; MORAES, D. M.; LOPES, N. F.; ABREU, C. M. Qualidade fisiológica e composição química de sementes de soja submetidas ao estresse salino. Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v.10, n.3, p.287-291, 2004.

CAVALCANTE, A. M. B.; PEREZ, S. C. J. G. A. Efeitos dos estresses hídrico e salino sobre a germinação de sementes de Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.30, n.2, p.281-289, 1995.

CRUZ, F. R. S.; ANDRADE, L. A.; ALVES, E. U. Estresse salino na qualidade fisiológica de sementes de Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. Ciência Florestal, Santa Maria, v.26, n.4, p.1189-1199, 2016.

DANTAS, B. F.; RIBEIRO, L. S.; ARAGÃO, C. A. Physiological response of cowpea seeds to salinity stress. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.27, n.1, p.144-148, 2005.

DANTAS, C. V. S.; SILVA, I. V.; PEREIRA, G. M.; MAIA, J. M.; LIMA, J. P. M. S.; MACEDO, C. E. C. Influência da salinidade e déficit hídrico na germinação de sementes de Carthamus tinctorius L. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.33, n.3, p.574-582, 2011.

DANTAS, J. P.; MARINHO, F. J. L.; FERREIRA, M. M. M.; AMORIM, M. S. N.; ANDRADE, S. I. O.; SALES, A. L. Avaliação de genótipos de caupi sob salinidade. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.6, n.3, p.425-430, 2002.

DEUNER, C.; MAIA, M. S.; DEUNER, S.; ALMEDIDA, S.; MENEGHELLO, G. E. Viabilidade e atividade antioxidante de sementes de genótipos de feijão-miúdo submetidos ao estresse salino. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.33, n.4, p.711-720, 2011.

DIAS, N. S; BLANCO, F. F. Efeitos dos sais no solo e na planta. In: Gheyi, H. R.; Dias, N. S.; Lacerda, C. F. Manejo da salinidade na agricultura: Estudos básicos e aplicados. Fortaleza: INCT Sal, 2010. p.130-141.

ESTEVES, B. S.; SUZUKI, M. S. Efeito da salinidade sobre as plantas. Oecologia Australis, Rio de Janeiro, v.12, n.4, p.662-679, 2008.

FANTI, S. C.; PEREZ, J. G. A. Processo germinativo de sementes de paineira sob estresses hídrico e salino. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasilia, v.39, n.9, p.903-909, 2004.

FAO. Food and Agricultture Organization of the United Nations.Global network on integrated soil management for sustainable use of salt-affected soils.Rome, FAO Land and Plant Nutrition Management Service. Disponível em: . Acessado em: 20 de dezembro de 2015.

FEREIRA, E. G. B. S.; MATOS, V. P.; SENA, L. H. M.; OLIVEIRA, R. G.; FIGUEIREDO, A. G. F.; SALES, A. G. F. A. Processo germinativo e vigor de sementes de Cedrela odorata L. sob estresse salino. Revista Ciência Florestal, Santa Maria, v.23, n.1, p.99-105, 2013.

KHAN, M. H.; PANDA, S. K. Alterations in root lipid peroxidation and antioxidative responses in two rice cultivars under NaCl-salinity stress. Acta Physiologiae Plantarum, v.30, n.1, p.81-89, 2008.

KLAFKE, A. V. Desempenho de sementes nuas e revestidas de azevém anual (Lolium multiflorum Lam.) em condições de estresse salino. 2008, 191f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2008.

LABOURIAU, L. G.; VALADARES, M. E. B. On the germination of seeds Calotropis procera (Ait.) Ait.f. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, v.48, n.2, p.263-284, 1976.

LARRÉ, C. F.; MORAES, D. M.; LOPES, N. F. Qualidade fisiológica de sementes de arroz tratadas com solução salina e 24-epibrassinolídeo. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.33, n.1, p.86-94, 2011.

LIMA, C. J. G. S.; OLIVEIRA, F. A.; MEDEIROS, J. F.; OLIVEIRA, M. K. T.; ALMEIDA JÚNIOR, A. B. Resposta do Feijão Caupi à salinidade da água de irrigação. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Mossoró, v.2, n.2, p.79-86, 2007.

LOPES, J. C.; MACEDO, C. M. P. Germinação de sementes de couve chinesa sob influência do teor de água, substrato e estresse salino. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.30, n.3, p.79-85, 2008.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, Madison, v.2, n.2, p.176-177, 1962.

MAIA, J. M.; SILVA, S. L. F., VOIGT, E. L.; MACÊDO, C. E. C.; PONTE, L. F. A.; SILVEIRA, J. A. G. Atividade de enzimas antioxidantes e inibição do crescimento radicular de feijão caupi sob diferentes níveis de salinidade. Acta Botanica Brasilica, Belo Horizonte, v.26, n.2, p.342-349, 2012.

MEDEIROS, J. F.; NASCIMENTO, I. B. GHERY, H. R. Manejo do solo-água-planta em área afetadas por sais. In: GHEYI, H. R.; DIAS, N. S.; LACERDA, C. F. Manejo da salinidade na agricultura: Estudos básicos e aplicados. Fortaleza: INCT Sal, 2010. p.280-302.

MOTERLE, L. M.; LOPES, P. C.; BRACCINI, A. L.; SCAPIM, C. A. Germinação de sementes e crescimento de plântulas de cultivares de milho-pipoca submetidas ao estresse hídrico e salino. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.28, n.3, p.169-176, 2006.

MOTERLE, L. M.; SCAPIM, C. A.; BRACCINI, A. L.; RODOVALHO, M. A.; BARRETO, R. R. Influência do estresse hídrico sobre o desempenho fisiológico de sementes de híbridos simples de milho-pipoca. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v.32, n.6, p.1810-1817, 2008.

MUNNS, R.; TESTER, M. Mechanisms of salinity tolerance. The Annual Review of Plant Biology, v.59, p.651-681, 2008.

OLIVEIRA, A. B.; GOMES-FILHO, E. Germinação e vigor de sementes de sorgo forrageiro sob estresse hídrico e salino. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.31, n.3, p.48-56,2009.

PEREZ, S. C. J. G. A.; MORAES, J. A. P. V. Estresse salino no processo germinativo de algarobeira e atenuação de seus efeitos pelo uso de reguladores de crescimento. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.29, n.3, p.389-396, 1994.

SILVA, R. N.; LOPES, N. F.; MORAES, D. M., PEREIRA, A. L. A.; DUARTE, G. L. Physiological quality of barley seeds submitted to saline stress. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.29, n.1, p.40-44, 2007.

SILVA, S. L. F.; VOIGT, E. L.; VIÉGAS, R. A.; PAIVA, J. R.; SILVEIRA, J. A. G. Influence of rootstocks on the resistance of cashew plantlets to salt stress. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasilia, v.44, n.4, p.361-367, 2009.

SOUZA, M. O.; SOUZA, C. L. M., PELACANI, C. R. Germinação de sementes osmocondicionadas e não osmocondicionadas e crescimento inicial de Physalis angulata L. (Solanaceae) em ambientes salinos. Acta Botânica Brasílica, Belo Horizonte, v.25, n.1, p.105-112, 2011.

TOBE, K.; LI, X.; OMASA, K. Seed germination and radicle growth of a halophyte, Kalidium caspicum (Chenopodiaceae). Annals of Botany, Exeter, v.85, n.3, p.391-396, 2000.

TORRES, S. B. Germinação e desenvolvimento de plântulas de melancia em função da salinidade. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v.29, n.3, p.77-82, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i2.4419

Direitos autorais 2017 Daniela Siqueira Coelho et al.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.