Importância socioeconômica e cultural da COOPERVIDA na agricultura familiar do Rio Grande do Norte

  • Anna Catarina Costa de Paiva
  • Patrício Borges Maracajá
  • Aline Carla de Medeiros
  • Rosilene Agra da Silva
  • Altevir Paula de Medeiros
  • Cesar Carlos Martins da Silva UFCG-CCTA

Resumo

A realidade dos movimentos sociais é bastante dinâmica, diversa e complexa, há exemplo disso, foi o que o Brasil viveu em meados dos anos 1970 e 1980, ao qual tratou de um período em que os sujeitos sociais buscavam seus direitos políticos e igualitários, em virtude a resistência ao regime autoritário da época. Com o passar dos anos, ocorreu o surgimento de outras formas de organização popular institucionalizadas que tinham o propósito acessar uma democracia humanizada. Com base nessa conjuntura histórica e na luta oscilante do cooperativismo brasileiro, existe atualmente uma legislação específica. A Cooperativa de Assessoria e Serviços Múltiplos ao Desenvolvimento Rural – COOPERVIDA surgiu de um processo de debate forte e coletivo de uma nova proposta de assessoria técnica voltada para a base agroecológica e camponesa. Pensou-se no nome e na logo, ao qual tivessem uma maior representação da proposta a ser trabalhada na agricultura familiar, como sendo Cooper = Cooperativa, Vida = novo, onde a junção desses dois termos surgiu a COOPERVIDA. Já para a logo, partiu-se da ideia de terra que brota, mãos que ajuda a semear, transplante. Portanto, em 21 de novembro de 1999 nasceu a organização da referida pesquisa. Este trabalho tem como objetivo realizar o estudo sobre a importância socioeconômica e cultural da COOPERVIDA na agricultura familiar do Rio Grande do Norte. A metodologia utilizada foi o estudo de caso através de duas fases, uma exploratória e outra de análises de dados. Na primeira, houve o resgate no acervo documental, atas, contratos de projetos, registros fotográficos e, para corroborar com essas informações, fez-se entrevistas com auxílio de questionário norteador. O grupo de perguntas dependiam de acordo com a função exercida de cada sócio ou membro. A segunda fase, trouxe os resultados dos projetos executado, foram avaliados os quantitativos numéricos dos mesmos. As ações desenvolvidas pela cooperativa têm importância no fortalecimento da agricultura familiar, na economia solidária e nos processos de empoderamento das famílias, o que vem a contribuir com a geração de oportunidades de trabalho e renda no campo e consequentemente a redução do êxodo rural. Através da análise dos dados conclui-se que a Cooperativa de Assessoria e Serviços Múltiplos ao Desenvolvimento Rural – COOPERVIDA atendeu a 65.565 agricultores/as, 25 municípios do Rio Grande do Norte, em sete projetos com ações pautadas no campo da agroecologia, agricultura familiar, geração e gênero. Logo pode ser considerada como de suma importância para o setor. Na questão dos desafios, foi visto que a escassez em capacitação técnica profissional e a situação financeira são as dificuldades que oneram maiores cuidado, visto que foi citado por 14 entrevistados, já a via de acesso às comunidades não é um fator alarmante, posto foi citado apenas por um dos entrevistados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-01-01
Seção
ARTIGOS DE REVISÃO

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >>