ANÁLISE DE CAROTENOIDES DA POLPA IN NATURA E DESIDRATADA DE FRUTOS DE TRÊS ESPÉCIES ALIMENTÍCIAS E MEDICINAIS OCORRENTES EM PERNAMBUCO

  • Edvaldo Vieira Silva-Júnior Universidade Federal de Pernambuco
  • Rafael Augusto Batista Medeiros
  • Raquel Barbosa Silva

Resumo

O bacupari (Garcinia brasiliensis Mart.), o biribá (Annona mucosa Jacq.) e o araçá (Psidium guineense Sw.) apresentam um potencial teor de carotenoides devido a sua coloração. Tendo em vista isto, objetiva-se verificar o teor de carotenoides destes frutos antes e depois da desidratação. A polpa dos frutos sofreram desidratação a 70 °C até atingirem 15% de umidade em estufa com circulação de ar forçado. Foi verificado sua umidade e seu teor de carotenoides in natura e após a desidratação. As frutas em estudos não diferiram significantemente no teor de umidade. Quanto aos carotenoides, o bacupari apresentou maior média de carotenoides, tanto in natura quanto desidratado (191,8  e 480,4 mg/100 g, respectivamente). A desidratação acarretou em perdas consideráveis dos carotenóides, entretanto os produtos desidratados destes frutos ainda retiveram altos teores deste pigmento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-23
Como Citar
Silva-Júnior, E. V., Medeiros, R. A. B., & Silva, R. B. (2017). ANÁLISE DE CAROTENOIDES DA POLPA IN NATURA E DESIDRATADA DE FRUTOS DE TRÊS ESPÉCIES ALIMENTÍCIAS E MEDICINAIS OCORRENTES EM PERNAMBUCO. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 7(2), 373-377. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/5232
Seção
Artigos