AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES TIPOS DE BIODIESEL NA VISCOSIDADE DO DIESEL B10 E B20

  • Thaís Costa Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Claudia Regina Lima Cruz Universidade Federal de Sergipe
  • Katydyane da Silva Sá Universidade Federal de Sergipe
  • Gabriel Francisco da Silva Universidade Federal de Sergipe
  • Fernanda Rocha Morais França Universidade Federal de Sergipe
  • Fabio de Melo Resende Universidade Federal de Sergipe

Resumo

Este trabalho tem como objetivo abordar a influência de diferentes biodieseis na viscosidade cinemática  do diesel B10 e B20. O biodiesel é definido como: Um combustível renovável obtido a partir de um processo químico denominado transesterificação. Por meio desse processo, os triglicerídeos presentes nos óleos e gordura animal reagem com um álcool primário, metanol ou etanol, gerando dois produtos: o éster e a glicerina. Para isso, foram utilizadas nas 5 (cinco) matrizes de B10 e B20, amostras de: biodiesel de girassol a 60ºC, biodiesel de girassol a temperatura ambiente, biodiesel de milho a 60ºC, biodiesel de milho a temperatura ambiente e biodiesel milho + girassol a temperatura ambiente, todos pela rota metílica. Para obtenção dos resultados, foram realizadas análises de viscosidade. As análises obtiveram os seguintes resultados respectivamente: 2,8; 3,0; 2,9; 3,0; 3,9; 3,4; 3,4; 3,3; 3,4; 3,3mm2/s. Através dos resultados obtidos, pode-se concluir que, as taxas de viscosidade das matrizes respeitam a legislação vigente da ANP, a qual estipula média de 3,0 a 6,0mm²/s e a variação dos valores entre as matrizes não ultrapassa os 5% da maior para menor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaís Costa Santos, Universidade Federal de Sergipe
Graduanda do 6 período no curso de bacharelado em agroindústria, Uiversidade Federal de Sergipe- Campus Sertão, bolsista do programa de iniciação científica (PIBIC), membro do grupo de pesquisa AgroBio e diretora do Departamento de  Colegiado do Centro Acadêmico da Agroindústria- CAA.
Claudia Regina Lima Cruz, Universidade Federal de Sergipe
Formanda no curso de bacharelado em agroindústria.
Katydyane da Silva Sá, Universidade Federal de Sergipe
Formanda no curso de bacharelado em agroindústria.
Gabriel Francisco da Silva, Universidade Federal de Sergipe
Professor associado da Universidade Federal de Sergipe. NUPETRO-Núcleo de Graduação em Engenharia de Petróleo.
Fernanda Rocha Morais França, Universidade Federal de Sergipe
Professora associada da Universidade Federal de Sergipe. NUPETRO-Núcleo de Graduação em Engenharia de Petróleo.
Fabio de Melo Resende, Universidade Federal de Sergipe
Professor associado da Universidade Federal de Sergipe. NEAGROS-Núcleo de Graduação em Agroindústria.

Referências

SILVA J. R. S. et. al. Comparação dos combustíveis diesel S10 e S500 para resolução de problemas em motores do ciclo diesel. Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia: CONTECC’201, Belém, p.1-5, 11 ago. 2017.

TEIXEIRA C. V. et. al. Viscosidade e desempenho de misturas diesel / biodiesel em um motor monocilíndrico. Cit, Rio de Janeiro, p.1-9, 2013.

ÁLVARES J. et. al. Metodologia simplificada de cálculo das emissões de gases do efeito estufa de frotas de veículos no BRASIL. CETESB, Brasília, p.2-8, 2013.

ARANDA A. G. D. et. al. Parâmetros físico-químicos para os processos de produção de biodiesel. Brasilia: CNPQ, 2015.

ANP - Resolução nº 65, de 09 de dezembro de 2011. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Brasil. 2011.

Publicado
2018-12-30
Como Citar
Santos, T. C., Lima Cruz, C. R., Sá, K. da S., da Silva, G. F., Morais França, F. R., & Resende, F. de M. (2018). AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES TIPOS DE BIODIESEL NA VISCOSIDADE DO DIESEL B10 E B20. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 8(3), 01-04. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/6272
Seção
Artigos