PRODUÇÃO DE PIGMENTOS DE Monascus ruber CCT 3802 UTILIZANDO CASCA DE MANDIOCA COMO SUBSTRATO

  • José Renato da Silva J. Renato Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • Thayná Torres da Silva Thayná Torres Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • Élida Karla da Silva Élida Karla Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • Suzana Pedroza da Silva Suzana Pedroza Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • Keila Aparecida Moreira Keila Moreira Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • Daniele Silva Ribeiro Daniele Ribeiro Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns

Resumo

A cor empregada aos alimentos é o primeiro parâmetro atribuído com o intuito de estimular a sua compra, o que impulsiona a busca por corantes naturais visando substituir os corantes sintéticos. Para a produção de pigmentos naturais de origem microbiana, destacam-se as espécies do fungo filamentoso Monascus, utilizados milenarmente no leste asiático para produção de corantes alimentícios. Assim, objetivou-se avaliar o potencial da casca de mandioca como substrato para a produção de pigmentos pela cepa M. ruber CCT 3802 por fermentação submersa, caracterizar a casca de mandioca, bem como verificar a influência do glutamato monossódico como fonte de nitrogênio. Foi realizado um planejamento fatorial completo 22 variando a fonte de carbono (farelo de mandioca) e a fonte de nitrogênio (glutamato monossódico). A quantificação de pigmentos foi realizada por espectrofotometria. Em relação a caracterização da casca de mandioca, a mesma apresentou alto teor de fibras e carboidratos não fibrosos, revelando o potencial nutricional que o farelo da casca de mandioca possui para auxiliar na produção de pigmentos. A melhor produção de pigmentos (7,52 UA510) se deu em cultivos onde havia maiores concentrações de farelo e glutamato monossódico, demostrando que este resíduo agroindustrial tem grande relevância para a produção de pigmentos vermelhos, podendo estes serem aplicados como corantes naturais em alimentos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Renato da Silva J. Renato Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
Estudante de Engenharia de Alimentos - UFPRE/UAG
Thayná Torres da Silva Thayná Torres Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
Estudante de Engenharia de Alimentos - UFPRE/UAG
Élida Karla da Silva Élida Karla Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
Estudante de Engenharia de Alimentos - UFPRE/UAG

Referências

BRASIL. Anvisa - Resolução – CNNPA nº44 de 25 de novembro de 1997. Aprova as condições gerais de elaboração, classificação, apresentação, designação, composição e fatores essenciais de qualidade dos corantes empregados na produção de alimentos (e bebidas). Diário Oficial da União; Poder Executivo, de 01 de fevereiro de 1978. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/anvisalegis/resol/44_77.htm>. Acesso em: 14 de Set. 2018.

CAMACHO, I. A. O; CABELLO, C. Caracterização dos resíduos do processamento de mandioca para produção de bio-etanol. Energia na Agricultura, v. 27, n. 1, p. 82–88. Botucatu, 2012.

CARVALHO, J. C. DE et al. Biopigments from Monascus: Strains selection, citrinin production and color stability. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 48, n. November, p. 885–894, 2005.

CATALANI, L. A.; KANG, E. M. S. DIAS, M. C. G. M. J. Fibras alimentares. Rev Bras Nutr Clin, v. 18, n. 4, p. 178-182, 2003.

CEREDA, M. P. Manejo, uso e tratamento de subprodutos da industrialização da mandioca. São Paulo: Fundação Cargill, v. 4, p. 210-217, São Paulo, 2001.

DETMANN, E; M. A.de SOUZA; S.de C.VALADARES FILHO; A. C. de QUEIROZ; T. T. BERCHIELLI; E. de O. S. SALIBA; L. da S. CABRAL; D. dos S. PINA; M. M. LADEIRA; J.A.G. AZEVEDO. Métodos para analise de alimentos. Instituto nacional de ciência e tecnologia de ciência animal. 1° ed. 2012.

FELISBERTO, D. P. M. V. DE S. A.; S. F. DA S. F. Á. V. Estudo fisico-quimico da farinha de mandioca por análise de componentes principais. In: Embrapa Acre-Artigo em anais de congresso. Congresso brasileiro de mandioca. Maceió, 2011.

FIORDA, F. A.; JUNIOR, M. S. .; SILVA, F. A.; SOUTO, L. R. . F.; GROSSMANNM, M. V. Farinha de bagaço de mandioca: Aproveitamento de subproduto e comparação com fécula de mandioca. Pesquisa Agropecuaria Tropical, Goiania - GO, v. 43, n. 4, p. 408–416, 2013.

FREITAS, L.; MOREIRA SILVA, T.; FRANCO, M.; BONOMO, P.; SILVA DE FREITAS, J. Fermentação de farelo de mandioca, para a obtenção de xilanase, a partir de um fungo endofítico. Centro Científico Conhecer - Goiânia - GO, v. 1426, p. 995, 2017.

HALL, M. B. Challenges with nonfiber carbohydrate methods. Journal of Animal Science. v. 81, p. 3226-3232, 2003.

ISFRAN, D.; ALTHOFF, J.; MORITZ, D.; VENDRÚSCULO, F. Estudo da produção de pigmentos vermelhos por monascus ruber CCT 3802 utilizando cana-de- açúcar como substrato em fermentação submersa. Blucher Chemical Engineering Proceedings, v.1, n.2, p. 1–7, 2001.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas analíticas do Instituto Adolfo Lutz. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. São Paulo: IMESP, 2008.

LEONEL, M.; CEREDA, M. P. Avaliação da concentração de pectinase no processo de hidrolise-sacarificação do farelo de mandioca para obtenção de etanol. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas - SP, v. 20, n. 2, p. 220–227, 2000.

MEINICKE, R. M. Estudo da produção de pigmentos por Monascus ruber CCT 3802 utilizando glicerol como substrato em cultivo submerso. Tese (Mestrado em Engenharia de Alimentos) - UFSC. Florianópolis - SC, 117p. 2008.

OLIVEIRA, C. F. D.; VENDRULUSCO, F; COSTA, J. P. V.; ARAUJO, W. D. B. Bagaço de malte como substrato para produção de biopigmentos produzidos por Monascus ruber CCT 3802. Revista de Agricultura Neotropical, v. 3, n. 3, p. 6–9, jul./set. 2016.

OLIVEIRA, M. E.; FERREIRA, A. F.; PODEROSO, J. C. M.; LESSA, A. C. V.; ARAÚJO, E. D.; CARNELOSSI, M. A. G.; RIBEIRO, G. T.; Atividade de água (Aw) em amostras de pólen apícola desidratado e mel do estado de Sergipe. Revista da Fapese, v. 4, n. 2, p. 27-36, 2008.

PEREIRA, J. .; LIMA, J. O.; ROCHA, R. B.; et al. Nitrato Redutase em Fungos Filamentosos. Revista Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento, v. 23, n. July, p. 74–85, 2003.

PRADO, M. A.; GODOY, H. T. Corantes artificiais em alimentos. Alimentos e Nutrição. Araraquara - SP, v. 14, n. 2, p. 237–250, 2003.

PRAJAPATI, V. S. et al. An enhancement of red pigment production by submerged culture of Monascus purpureus MTCC 410 employing statistical methodology. Biocatalysis and Agricultural Biotechnology, v. 3, n. 2, p. 140–145, 2014.

RODRIGUES, J. P. DE M. Caracterização e análise sensorial de biscoitos de polvilho enriquecidos com farelo de mandioca. Tese (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal de Góais. Goiânia, 81p. 2010.

RODRIGUES, J. P.; CALIARI, M.; ASQUIERI, E. R.; Caracterização e análise sensorial de biscoitos de polvilho elaborados com diferentes níveis de farelo de mandioca. Ciência Rural, Santa Maria - RS, v. 41, n. 12, 2011.

SAID, F. M.; BROOKS, J.; CHISTI, Y. Optimal C:N ratio for the production of red pigments by Monascus ruber. World Journal of Microbiology and Biotechnology, v. 30, n. 9, p. 2471–2479, 2014.

VILHALVA, D. A.; SOARES, M. S.; MOURA, C. M. A.; CALARIA, M.; SOUZA, T. A. C.; SILVA, F. A. Aproveitamento da farinha de casca de mandioca na elaboração de pão de forma. Rev Inst Adolfo Lutz, v. 70, n. 4, p. 514–521, 2011.

Publicado
2019-02-02
Como Citar
Silva, J. R. da S. J. R., Silva, T. T. da S. T. T., Silva, Élida K. da S. Élida K., Silva, S. P. da S. S. P., Moreira, K. A. M. K., & Ribeiro, D. S. R. D. (2019). PRODUÇÃO DE PIGMENTOS DE Monascus ruber CCT 3802 UTILIZANDO CASCA DE MANDIOCA COMO SUBSTRATO. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 8(3), 26-31. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/6321
Seção
Artigos