Manejo dos sistemas agroflorestais em Tomé-Açu, Pará: Utilização dos resíduos de poda

Authors

  • Gisele do Socorro dos Santos Pompeu Universidade Federal do Pará http://orcid.org/0000-0003-2453-6945
  • Osvaldo Ryohei Kato Embrapa Amazônia Oriental
  • José Virgílio de Oliveira Moura
  • Marinalva Cardoso Maciel Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.18378/rvads.v13i2.5604

Keywords:

Agrofloresta, Meio ambiente

Abstract

O uso da madeira da poda agroflorestal surge como uma forma de incentivo ao manejo das árvores nos sistemas agroflorestais (SAFs) e como fonte de matéria prima para artesãos, proporcionando maior visibilidade ao componente arbóreo. O objetivo com esse estudo é avaliar o uso da poda como estratégia de manejo dos SAFs e na confecção de artefatos em madeira. A pesquisa foi realizada em uma propriedade da Associação de Produtores e Produtoras da Agricultura Familiar do Município de Tomé-Açu, e com artesãos da Associação de Artesãos da Amazônia, de Belém, Pará. Coletaram-se dados sobre a poda do componente arbóreo e sobre a compreensão da sustentabilidade no uso da poda no manejo dos SAFs e na atividade de artesanato. Os dados foram analisados pela estatística descritiva. A poda agroflorestal gerou 2,3 m3 de resíduos que foram utilizados para cobertura morta e a confecção de artefatos, portanto, o uso da madeira de poda se estabelece como mais um produto dos SAFs familiares, incentiva o manejo das árvores, e cria um canal de comercialização entre agricultores e artesãos; como estratégia de manejo, a poda contribui para a sustentabilidade ambiental, econômica e sociocultural, entretanto, a sensibilização dos agricultores para esta prática depende do conhecimento sobre os benefícios relacionados à sustentabilidade dos sistemas.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Gisele do Socorro dos Santos Pompeu, Universidade Federal do Pará

Universidade Federal do Pará

Faculdade de educação do Campo-Campi Cametá

References

ABDO, M. T. V. N.; VALERI, S. V.; MARTINS, A. L. M. Sistemas agroflorestais e agricultura familiar: uma parceria interessante. Revista tecnologia & inovação agropecuária, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 50-59, 2008.

AGUIAR, M. C.; Merino, E. A. D; Merino, G. S. A.; TRISKA, R D. Gestão de design e sua contribuição para organizações no setor do artesanato proposição e implementação de um plano estratégico para a ara associação ribeirão de artesanato. In: Quarta Conferência Internacional sobre Integração de Design, Engenharia e Gestão para a Inovação, 2, 2015, Florianópolis, Anais... Florianópolis: IDEMI, 2015. p.11.

ALTIERI, M. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. 2ed. Porto Alegre: Universidade Editora, 2000. 120p.

ANDRADE, F. A. V.; LIMA, V. T. A. Artesão e o artesanato em madeira no município de Parintins-AM sob a ótica da sustentabilidade. Revista Contribuciones a las Ciencias Sociales. v.3, n.3 p.14, 2016.

BARDI, L. B. Tempos de grossura: o design no impasse. 1ed. São Paulo: Instituto lina bo e p.m. bardi Editora, 1994. 79p.

BARROS, A. V. L. HOMMA, A. K. O.; TAKAMATSU, J. A.; TAKAMATSU, T.; KONAGANO, M. Evolução e percepção dos sistemas agroflorestais desenvolvidos pelos agricultores nipo-brasileiros do município de Tomé-Açu, estado do Pará. Amazônia: Ciência & Desenvolvimento, Belém, v.5, n.9, p.7-37, 2009.

Beer, J. Advantages, disadvantages and desirable characteristics of shade trees for coffee, cacao and tea. Agroforestry systems. v.5, n.3, p.37, 2007.

BICALHO, A. M. de S. M. Desenvolvimento rural sustentável e geografia agrária. In: XII Encontro Nacional de Geografia Agrária, 8, 1998, Rio Claro. Anais... Rio Claro: 1998. p.18.

BRIENZA JUNIOR, S.; MANESCHY, R. Q; MOURÃO JR., M. M.; GAZEL FILHO, A. B.; YARED, J. A. G.; GONÇALVES, D.; BENTES-GAMA, M. Sistemas agroflorestais na Amazônia brasileira: Análise de 25 anos de pesquisas. Pesquisa florestal brasileira, Colombo, n.60, p.67-76, 2009. Edição especial.

CRAWLEY, M. J. Plant Ecology. 1.ed. Oxford: Blackwell Science Editora Ltda, 1997. 699p.

DUBOIS, J. C. L.; VIANA, V. M. Manual agroflorestal para a Amazônia. 1.ed. Rio de janeiro: REBRAF Editora, 1996. 228p.

DUTRA, E. D.; MENEZES, R. S. C.; PRIMO, D. C. Aproveitamento de biomassa residual agrícola para produção de compostos orgânicos. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v.7, n.3, p.465-472, 2012.

FARBER, S.C., COSTANZA, R., WILSON, M.A. Economic and ecological concepts for valuing ecosystem services. Ecological Economics, v.42, n.41, p.375-392, 2002.

FERNANDES, V. M. A. Manejo de árvores em sistemas agroflorestais cacaueiros: percepção dos agricultores do Sul da Bahia, Brasil. Florianópolis: UFSC, 2008. 105p.

FERREIRA, M. G. M.; CÂNDIDO, J. F.; CANO, M. A. O.; CONDE, A. R. Efeito do sombreamento na produção de mudas de quatro espécies florestais nativas. Revista Árvore, Viçosa, v.1 n.2, p.121-134, 1997.

FERREIRA, D. C. F.; POMPEU, G. S. S.; FONSECA, J. R. C. Sistemas agroflorestais comerciais em áreas de agricultores familiares no município de Altamira, Pará. Revista Brasileira de Agroecologia, Porto Alegre, v.9, n.3, p.104-116, 2014.

GONZÁLEZ, M. O. Conocimiento local y decisiones de los productores de Alto Beni, Bolivia, sobre el Ldiseño y manejo de la sombra en sus cacaotales. Turrialba: Centro agronómico tropical de investigación y enseñanza, 2006. 76p.

GÖTSCH, E. Break-thropugh in agriculture. Rio de Janeiro: AS-PTA editora, 1995. 22p.

HOMMA, A. K. O. Os avanços e os desafios da pesquisa agrícola. Parc. Estrat., Brasília, v.18, n.36, p.33-54, 2013.

JUNQUEIRA, A. da C.; SCHLINDWEIN, M. N.; CANUTO, J. C.; NOBRE, H. G.; SOUZA, T. de J. M. Sistemas agroflorestais e mudanças na qualidade do solo em assentamento de reforma agrária. Revista Brasileira de Agroecologia, Porto Alegre, v.8, n.1, p.102-115, 2013.

LOPES, C. S. D. Desenho de pequenos objetos de madeira com resíduo da indústria de processamento mecânico da madeira. Revista de gestão integrada em saúde do trabalho e meio ambiente, São Paulo, v.4, n.3, p.105-132, 2009.

LOPES, P. R.; LOPES, K, C, S, A. Sistemas de produção de base ecológica–a busca por um desenvolvimento rural sustentável. REDD–Revista Espaço de Diálogo e Desconexão, Araraquara, v.4, n.1, p.23, 2011.

MARTINS, T. P.; RANIERI, V. E. L. Sistemas agroflorestais como alternativa para as reservas legais. Ambiente & sociedade. São Paulo, v.17, n.3, p.79-96, 2014.

MOREIRA, R. A.; RAMOS, J. D.; ARAÚJO, N. A.; MARQUES, V. B. Produção e qualidade de frutos de pitaia vermelha com adubação orgânica e granulado bioclástico. Rev. Bras. Frutic., v.33, p.762-766, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452011000500106.

MOUCO, I. M. Design aplicado ao artesanato: uma ferramenta para a sustentabilidade: estudo de caso sobre a comunidade de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Acajatuba, município de Iranduba/AM. Manaus: UFAM, 2010. 154p.

NODA, S do N.; NODA, H.; MARTINS, A. UAgricultura familiar na várzea amazônica: espaço de conservação da diversidade cultural e ambiental. In: Políticas públicas e diversidade cultural. 1 ed. Rio de Janeiro: Garamond Editora Ltda, 2006. 233p.

PALUDO, R.; COSTABEBER, J. A. Sistemas agroflorestais como estratégia de desenvolvimento rural em diferentes biomas brasileiros. Revista Brasileira de Agroecologia, Porto Alegre, v.7, n.2, p.63-76, 2012.

POMPEU, G. S. S.; ROSA, L. dos S.; ARAÚJO, S. L. F.; ARAÚJO, A. B. B; SILVEIRA, E. de L. Influência das características sócio-econômicas de agricultores familiares na adoção de sistemas agroflorestais. Revista Ciências Agrárias, Belém, v.54, n.1, p.33-41, 2011.

POMPEU, G. S. S.; ROSA, L. S.; VIEIRA, T. A. Adoption of agroforestry systems by smallholders in brazilian amazon. Tropical and Subtropical Agroecosystems, Yucatán, v.15, n.1, p.165-172, 2012.

RIBASKI, J.; MONTOYA, L. J.; HONORINO, R. R.. Sistemas Agroflorestais: aspectos ambientais e socioeconômicos. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v.22, n.212, p.61-67, 2001.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. 2. ed. Rio de Janeiro: Garamond editora, 2002. 96p.

SANTOS, D. R. S. dos; SILVA, M. M. da. Agrobiodiversidade em áreas cultivadas com cacau em Altamira- Pará, Amazônia Oriental. Rev. Bras. de agroecologia, Porto Alegre, v.12 n.3, p.210-221, 2017.

SANGALLI, A. R.; RECALDE, K. M. G.; SILVA, L. F. da. PADOVAN, M. P. Aspectos ambientais e socioeconômicos em unidades de produção sob bases agroecológicas e convencionais no assentamento Pedro Ramalho, em Mato Grosso do Sul. Rev. Bras. de agroecologia, Porto Alegre, v.1, n.1, p.25-34, 2016.

SILVA, I. C.; CARVALHO, C. J. R. de. O sombreamento do cacaueiro (Theobroma cacau L.) na Amazônia brasileira. In: Simpósio do Trópico úmido, 1, 1984, Belém, Resumos... Belém: 1984. p.303.

SOUSA. M. J. S. Etnografia da produção de artefatos e artesanatos em comunidades da reserva de desenvolvimento sustentável Amanã-Médio Solimões. uakari, Tefé, v.5, n.1, p.21-37, 2009.

SOUZA, J. A.; DAVIDE, A. C. Deposição de serapilheira e nutrientes em uma mata não minerada e em plantações de bracatinga (Mimosa scabrella) e de eucalipto (Eucalyptus saligna) em áreas de mineração de bauxita. Cerne, Lavras, v.7, n.1, p.101-113, 2001.

STEENBOCK, W., DA SILVA, R. O., FROUFE, L. C. M. & SEOANE, C. E. S. Agroflorestas e sistemas agroflorestais no espaço e no tempo. In: STEENBOCK et al., (org.). Agrofloresta, ecologia e sociedade. Curitiba, Kairós, 2013. p.39-60.

SEITZ, R. A. Manual de Poda de Espécies Arbóreas Florestais. Curitiba: FUPEF editora, 1995. 55p.

TENÓRIO, F. G. Elaboração de projetos comunitários: abordagem prática. 4.ed. São Paulo: Loyola editora, 2013. 86p.

TORRESI, S. I. C. de.; PARDINI, V. L.; FERREIRA. V. F. O que é sustentabilidade? Quim. Nova, [online]. v.33, n.1, p.5, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422010000100001

VALERI, S. V.; POLITANO, W; SENO, K. C. A.; BARRETO, A. L. N. M. (Editores). Manejo e recuperação florestal. 1.ed. Jaboticabal: Funep. Editora, 2013. 180p.

VASCONCELOS, A. I. T.; GARCIA, E. A. da R.; FURTADO, C. F. C.; CABRAL, J. E. de O. As dimensões da sustentabilidade dos Sistemas Agroflorestais – SAFs: um estudo no Projeto de Reflorestamento Consorciado e Adensado – RECA, Ponta do Abunã – RO. Desenvolv. e Meio Ambiente. v.36, n.2, p.73-93, 2016. Disponível em: http:// dx.doi.org/10.5380/dma.v36i0.39164.

VIEIRA, T. A.; ROSA, L. dos S.; SANTOS, M. M. de L. S. Agrobiodiversidade de quintais agroflorestais no município de Bonito, estado do Pará. Rev. Cienc. Agrar., Belém, v.55, n.3, p.159-166, 2012.

VIEIRA, T. A.; ROSA, L. dos S.; SANTOS, M. M. de. L. S. Condições socioeconômicas para o manejo de quintais agroflorestais em Bonito, Pará. Rev. Bras. Ciênc. Agrár., Belém, v.8, n.3, p.458-463, 2013.

Published

01-04-2018

How to Cite

POMPEU, G. do S. dos S.; KATO, O. R.; MOURA, J. V. de O.; MACIEL, M. C. Manejo dos sistemas agroflorestais em Tomé-Açu, Pará: Utilização dos resíduos de poda. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 217–228, 2018. DOI: 10.18378/rvads.v13i2.5604. Disponível em: https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/RVADS/article/view/5604. Acesso em: 25 may. 2024.

Issue

Section

INTERDISCIPLINARY