Environmental perception of the use of agroforestry systems in recovering of forest reserves in Cametá, Pará, Brazil

Authors

DOI:

https://doi.org/10.18378/rvads.v14i2.6150

Keywords:

Agriculture, Deforestation, Regularization Environmental, Rural environmental registry

Abstract

This paper analyzes the environmental perception of the use of agroforestry systems in the recovery of legal reserve in Cametá-PA, proposing the discussion between the profile of properties, environmental perception of the main terms of the Forest Code, protectionist knowledge of agroforestry systems and environmental regularization. Semi-structured questionnaires were administered with interview assistance to 50 farmers in 10 localities of the municipality, in addition, a survey of the data of the Rural Environmental Cadastre of the interviewees and the total of the municipality was carried out. To know the environmental reality, the analysis of deforestation was carried out between 2006 and 2017. The results point out that the majority of farmers in Cametá have little knowledge about environmental law. Regarding Rural Environmental Cadastre, only 32.72% of the rural properties are registered until October 2018 and 80% of the registered properties need to recover their legal reserves. Despite the incipient knowledge about agroforestry systems, the lack of financial resources, the effectiveness of technical assistance, lack of knowledge about responsibilities and obligations, can generate a great economic and social crisis with the application of embargoes and fines for failure to comply with the provisions of the Regularization Program Environmental.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Bruno José Ferreira da Siva Martinez, Universidade Federal do Pará

Engenheiro agronomo formado na Universidade Federal Rural da Amazônia em 2012 e discente do curso de especialização em sistemas agroflorestais pela Universidade Federal do Pará.

José Gomes de Melo Júnior, Universidade Federal do Pará

Engenheiro florestal; Especialista em Educação do Campo, Agroecologia e Questão Agrária na Amazonia; Mestre em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável.

References

ALTIERI, M.; NICHOLLS, C. I. O potencial agroecológico dos sistemas agroflorestais na América Latina. Revista Agriculturas, v.8, n.2, p.31-34, 2011.

ALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Edição 3 a, São Paulo: Expressão Popular, 2012. 400p.

ARAÚJO, A. N.; CAIRES, D. O.; CASTRO, R. R. A.; HERRERA, J. A. Relação entre desmatamento e percepção ambiental dos produtores rurais no município de Pacajá – Pará. Revista Contribuciones a Las Ciencias Sociales, v.1, p.1-14, 2016.

BARRETO, J. M.; JAGER, C. M. Diagnóstico dos serviços prestados com base na escala Servqual: um estudo com os clientes de uma imobiliária de Erechim (RS). Revista de Administração e Comércio Exterior, v.1, n.1, p.2-21, 2015.

BHAGWAT, S. A.; WILLIS, K. J.; BIRKS, H. J. B.; WHITTAKER, R. J. Agroforestry: a refuge for tropical biodiversity. Trends in Ecology e Evolution, v.23, n.5, p.261-277, 2008. 10.1016/j.tree.2008.01.005.

BRASIL. Lei Federal 12.651, de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; (...) e dá outras providências. Diário Oficial da União; Poder Legislativo, Brasília, DF, 28 de maio de 2012. Seção 1., p.1.

CAMETÁ, Lei Municipal n. 086, 19 de junho de 2007. Dispõe sobre o Plano Diretor do Município de Cametá e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Pará; Poder Legislativo, Belém, PA, 19 de junho de 2007.

FAO, FOOD AND AGRICULTURAL ORGANIZATION. État des ressources en sols dans le monde - Résumé technique, Organisation des Nations Unies pour l’alimentation et l’agriculture et Groupe technique intergouvernemental sur les sols, Rome, Italie, p.79, 2015.

IBGE, INSTITUO BRASILEI|RO DE GEOGRÁFIA E ESTATÍSTICA. Censo agropecuário 2017. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/cameta/pesquisa/24/0.> Acesso em: 17/10/2018.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRÁFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 2010. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/cameta/panorama.> Acesso em: 17/10/2018.

INPE, INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISA ESPACIAL. Dados do Programa de Cálculo do Desflorestamento da Amazônia referentes ao município de Cametá. Disponível em: <http://www.dpi.inpe.br/prodesdigital/prodesmunicipal.php.> Acesso em: 17/10/2018.

JOSE, S. Agroforestry for conserving and enhancing biodiversity. Agroforestry Systems, v.85, n.1, p.1-8, 2012. 10.1007/s10457-012-9517-5.

KLINK, C. A.; MACHADO, R. B. A conservação do Cerrado Brasileiro. Megadiversidade, v.1, n.1, p.147-155, 2005.

LANDAU, H. C.; CRUZ, R. K. da; HIRSCH, A.; PIMENTA, F. M.; GUIMARÃES, D. P. Variação geográfica do tamanho dos módulos fiscais no Brasil. Embrapa milho e sorgo. Sete Lagoas – MG, p.199, 2012.

MARTINS, C. R.; HAY, J. du V.; WALTER, B. M. T.; PROENÇA, C. E. B.; VIVALDI, L. J. Impacto da invasão e do manejo do capim-gordura (Melinis minutiflora) sobre a riqueza e biomassa da flora nativa do Cerrado sentido restrito. Revista Brasil. Bot., v.34, n.1, p.73-90, 2011. 10.1590/S0100-84042011000100008.

MARTINS, T. P.; RANIERI, V. E. L. Sistemas agroflorestais como alternativa para as reservas legais. Revista Ambiente & sociedade, v.17, n.3, p.79-96, 2014. 10.1590/S1414-753X2014000300006.

NAIR, P. K. R. Agroforestry Systems and Environmental Quality: Introduction. Journal of Environmental Quality, v.40, n.3, p.784-790, 2011. 10.2134/jeq2011.0076.

PALUDO, R.; COSTABEBER, J. A. Sistema agroflorestais como estratégia de desenvolvimento rural em diferentes biomas brasileiros. Revista Brasileira de Agroecologia, v.7, n.2, p.63-76, 2012.

RODRIGUES, E. R.; CULLEN JÚNIOR, L.; MOSCOGLIATO, A. V.; BELTRAME, T. P. O uso do sistema agroflorestal Taungya na restauração de reservas legais: indicadores econômicos. Revista Floresta, v.38, n.3, p.517-525, 2008. 10.5380/rf.v38i3.12420.

SCHUTTER, O. Agroeocology, a tool for the realization of the right to food. In: LICHTFOUSE, E. Agroecology and Strategies for Climate Change. Spring, p.1-16, 2012. 10.1007/978-94-007-1905-7_1.

SEIDEL, R. V.; FOLETO, E. M. Propostas de ações em educação ambiental visando à efetivação da legislação ambiental em áreas rurais no município de Santa Maria – RS. Geografia Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Geociências, v.17, n.1, p.43-72, 2008. 10.5433/2447-1747.2008v17n1p43.

SOUZA, F. M. de. Avaliação da regeneração natural em pastagem abandonada. 2015. 60f. Dissertação (Mestrado em Silvicultura), Universidade Federal de Lavras, Lavras. 2015.

UDAWATTA, R. P.; GODSEY, L. D. Agroforestry comes of age: putting science into practice. Agroforestry Systems, v.79, n.1, p.1-4, 2010. 10.1007/s10457-010-9296-9.

VIEIRA, T. A.; DOS SANTOS, R. L.; SANTOS, M. M. D. L. S. Agrobiodiversidade de quintais agroflorestais no município de Bonito, Estado do Pará. Revista de Ciências Agrárias. v.55, n.3, p.159-166, 2012. 10.4322/rca.2012.054.

YARED, J. A. G.; BRIENZA JUNIOR, S.; MARQUES, L. C. T. Agrossilvicultura: conceitos, classificação e oportunidades para aplicação na Amazônia brasileira. Belém: EMBRAPA-CPATU, p.38, 1998.

Percepção ambiental do uso de sistemas agroflorestais na recuperação de reservas legais em Cametá, Pará

Published

01-04-2019

How to Cite

MARTINEZ, B. J. F. da S.; MELO JÚNIOR, J. G. de. Environmental perception of the use of agroforestry systems in recovering of forest reserves in Cametá, Pará, Brazil. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 281–288, 2019. DOI: 10.18378/rvads.v14i2.6150. Disponível em: https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/RVADS/article/view/6150. Acesso em: 23 jul. 2024.

Issue

Section

INTERDISCIPLINARY