PROCESSAMENTO E CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DA FARINHA DO RESÍDUO DE SEMENTES DE CAROLINA

  • Raphaela Maceió da Silva Universidade Federal de Campina Grande
  • Karoline Thays Andrade Araújo Universidade Federal de Campina Grande
  • Alexandre José de Melo Universidade Federal de Campina Grande
  • Rossana Maria Feitosa de Figueirêdo Universidade Federal de Campina Grande

Resumo

Os subprodutos ou resíduos de uma extração são gerados no processamento principal da matéria prima, podendo ser de origem animal ou vegetal e serem utilizados na alimentação animal ou humana com o intuito de melhorar o valor nutricional e comercial. Dessa forma, o trabalho  foi realizado com o objetivo de  se realizar a caracterização físico-química da farinha do resíduo de sementes de Carolina. Para a caracterização da farinha do resíduo as análises físico-químicas foram realizadas em triplicata, quanto aos seguintes parâmetros: pH, acidez total titulável, sólidos solúveis, atividade de água, cor, teor de água, proteínas, lipídios, cinzas, carboidratos e valor calórico. A farinha do resíduo das sementes de carolina, apresentam teores nutricionais convincentes como fonte alternativa de alimento, com valores  apreciáveis de lipídios, carboidratos e  de aporte calórico. Como resultado do processamento a farinha do resíduo apresentou  baixos valores de atividade de água e teor de água e  alta luminosidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphaela Maceió da Silva, Universidade Federal de Campina Grande
Engenharia Agrícola - Processamento e Armazenamento de Produtos Agrícolas
Karoline Thays Andrade Araújo, Universidade Federal de Campina Grande
Engenharia Agrícola - Processamento e Armazenamento de Produtos Agrícolas
Alexandre José de Melo, Universidade Federal de Campina Grande
Engenharia Agrícola - Processamento e Armazenamento de Produtos Agrícolas
Rossana Maria Feitosa de Figueirêdo, Universidade Federal de Campina Grande
Engenharia Agrícola - Processamento e Armazenamento de Produtos Agrícolas

Referências

AOAC. ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS. Official Methods of Analysis. Washington, 2000.

BAILEY, L. H. Manual of cultivated plants. 2 ed. Macmillan Publishing, p. 588-589, 1954.

BORGES; PEREIRA; LUCENA. Caracterização de farinha de banana verde. Ciências e tecnologia de alimentos, p.333, 2009.

BRAGA, R. S. Goma endospérmica de Caesalpinia pulcherrima utilização como matriz de afinidade no isolamento de lectinas galactose ligante. 2001. 89 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2001.

BRASIL. Lei Federal nº 12.305/2010 - Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Publicado no Diário Oficial da União - DOU de 03/08/2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº 263, de 22 de setembro de 2005. Dispõe sobre o regulamento técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil,

Brasília, DF, 22 set. 2005. Seção 1. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/b683960047457a8b8736d73fbc4c6735/RDC_273_2005.pdf?MOD=AJPERES> Acesso em 08 jul. 2017

CABRAL, L. C.; SERNA-SALDIVAR, S.; TINSLEY, A. M. Effects of dehuling and storage conditions on cooking requirements and chemical composition of soybeans. Erch. Latinoam. Nutritional, v. 45, p. 37-40, 1995.

CAVALCANTI, M. T.; SILVEIRA, D. C. da.; FLORÊNCIO, I. M.; FEITOSA, V. A.; ELLER, S. C. W. de S. Obtenção da farinha do fruto do juazeiro (Ziziphus joazeiro mart.) e caracterização físico-química. Revista Verde, v.6, n.1, p. 220 – 224, 2011.

FADEL, J.G. Quantitative analyses of selected plant by-product feedstuffs, a global perspective. Animal Feed Science and Technology, v. 79, p. 255-268, 1999.

FASOLIN, L. H. et al. Biscoitos produzidos com farinha de banana: avaliações química, física e sensorial. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.27 n.3, 2007.

GAVA, A. J.; SILVA, C. A. B; FRIAS, J. R.G. Tecnologia de alimentos: princípios e aplicações. São Paulo: Nobel, 2008.

GIAMI, S.; ACHINEWHU, S. C.; IBAAKEE, C. The quality and sensory atributes os cookies supplemented with fluted pumpkin (Telfairia occidentalis Hook) seed flour. International Journal of Food Science and Technology, v. 40, p. 613-620, 2005.

LUCYSZYN, N. Galactomananas: novas fontes do biopolímero e aplicações na indústria alimentícia. 150f. Dissertação (Mestrado em bioquímica) – Universidade Federal do Paraná Curitiba 1994.

TABELA BRASILEIRA DE COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS – TACO. Núcleo de estudos e pesquisas em alimentação – NEPA: Universidade estadual de campinas – UNICAMP. 4ª ed. p. 161, 2011.

OSBORNE, D. R.; VOOGT, P. The analysis of nutrient in foods. London: Academic, p. 47, 1978.

RIBEIRO, E. P.; SERAVALLI, E. A. G. Química de alimentos. 2º Ed. São Paulo: Blucher, 2007.

UBOLDI EIROA, M. N. Microbiologia de frutas e hortaliças desidratadas. In: AGUIRRE, J. M., GASPARINO FILHO, J. Desidratação de frutas e hortaliças. Campinas: Instituto de Tecnologia de Alimentos, v. 26, p 1-6, 1996.

W U.; SUN, D. W. Colour measurements by computer vision for food quality control- a review. Trends in Food Science & Technology, v.29, p. 5-20, 2013.

Publicado
2017-11-23
Como Citar
Silva, R. M. da, Araújo, K. T. A., Melo, A. J. de, & Figueirêdo, R. M. F. de. (2017). PROCESSAMENTO E CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DA FARINHA DO RESÍDUO DE SEMENTES DE CAROLINA. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 7(2), 22-26. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/5091
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)