Estilo de vida de graduandos de universidade pública de São Paulo: Antes e durante pandemia

  • Mateus Fernandes Barbosa Universidade Federal de São Paulo
  • Bianca de Almeida Pititto Universidade Federal de São Paulo
  • Gabriela Arantes Wagner Universidade Federal de São Paulo
  • Mariana Cabral Schveitzer Universidade Federal de São Paulo
  • Luciana Yuki Tomita Universidade Federal de São Paulo
Palavras-chave: comportamento sedentário, saúde do estudante, consumo de alimentos

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar o estilo de vida, estado nutricional e bem-estar dos estudantes de graduação dos cursos de saúde da Universidade Federal de São Paulo, Campus São Paulo. Foi distribuído por e-mail um questionário online para todos os estudantes do campus, investigando marcadores de consumo alimentar, estado nutricional, tabagismo, consumo de álcool e medicamentos psicotrópicos, atividade física, bem-estar e experiência individual de preconceito sofrido, comparando-se os resultados obtidos antes e depois do início do período de isolamento social devido à pandemia da COVID-19. Responderam ao questionário 527 alunos, sendo 67% antes da pandemia. A prevalência de sobrepeso foi 22% e 8% de obesidade. 24% reportaram consumo de álcool de risco moderado a severo e 4% reportaram tabagismo. Observou-se alta prevalência de hábitos pouco saudáveis, como realizar refeições em frente a telas (85%), consumir doces e guloseimas (47%) e bebidas adoçadas (56%). No entanto, mais da metade reportou consumo de feijão (60%), frutas, verduras e legumes no dia anterior (54%). Apenas 44% atingiu a pontuação média do índice de bem-estar e 32% referiu história prévia de preconceito sofrido. 41% foram considerados fisicamente ativos pelos critérios da Organização Mundial de Saúde. Com o isolamento social, observou-se aumento no consumo de bebidas alcoólicas e inatividade física, além de piora no bem-estar e diminuição no consumo de verduras e legumes estatisticamente significantes. Conclui-se a necessidade de reforço de políticas universitárias com vistas a melhorar os hábitos de saúde dos estudantes, especialmente no contexto da pandemia.

Biografia do Autor

Bianca de Almeida Pititto, Universidade Federal de São Paulo
Departamento de Medicina Preventiva
Gabriela Arantes Wagner, Universidade Federal de São Paulo
Departamento de Medicina Preventiva
Mariana Cabral Schveitzer, Universidade Federal de São Paulo
Departamento de Medicina Preventiva
Luciana Yuki Tomita, Universidade Federal de São Paulo
Departamento de Medicina Preventiva

Referências

BABOR, T. F. et al. AUDIT: The Alcohol Use Disorders Identification Test - Guidelines for Use in Primary Care. 2. ed. Geneva: World Health Organization, 2001.

BRACALE, R.; VACCARO, C. M. Changes in food choice following restrictive measures due to Covid-19. Nutrition, Metabolism and Cardiovascular Diseases, v. 30, n. 9, p. 1423–1426, 2020.

BRASIL. I levantamento nacional sobre o uso de álcool, tabaco e outras drogas entre universitários das 27 capitais brasileiras. Presidência da República, Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, p. 282, 2010.

BRASIL. Orientações para Avaliação de Marcadores de Consumo Alimentar na Atenção Básica. 1. ed. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2015.

BRASIL. Vigitel Brasil 2019 : vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico : estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados . 1. ed. Brasília-DF: Ministério da Saúde, 2020.

DALLMAN, M. F. et al. Chronic stress and obesity: A new view of “Comfort food”. Proc Natl Acad Sci USA, v. 100, p. 11696, 2003.

DALLMAN, M. F.; PECORARO, N. C.; LA FLEUR, S. E. Chronic stress and comfort foods: Self-medication and abdominal obesity. Brain, Behavior, and Immunity, v. 19, n. 4, p. 275–280, 2005.

FEITOSA, E. P. S. et al. Hábitos Alimentares De Estudantes De Uma Universidade Pública No Nordeste , Brasil. Alim Nutri, v. 21, n. 2, p. 225–230, 2010.

FOXCROFT, D. R. et al. Social norms information for alcohol misuse in university and college students. Cochrane Database of Systematic Reviews, v. 2015, n. 12, 2015.

IBGE. Censo 2010. Disponível em: <https://censo2010.ibge.gov.br/>. Acesso em: 18 jan. 2021.

IBGE. PNAD Contínua 2019: rendimento do 1% que ganha mais equivale a 33,7 vezes o da metade da população que ganha menos. Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/27594-pnad-continua-2019-rendimento-do-1-que-ganha-mais-equivale-a-33-7-vezes-o-da-metade-da-populacao-que-ganha-menos#:~:text=O rendimento médio mensal real>. Acesso em: 12 jan. 2020.

IBRAHIM, A. K. et al. A systematic review of studies of depression prevalence in university students. Journal of Psychiatric Research, v. 47, n. 3, p. 391–400, 2013.

KRETSCHMER, A. C. et al. Estado Nutricional E Hábitos Alimentares De Acadêmicos De Uma Universidade Do Norte Do Rio Grande Do Sul. Saúde (Santa Maria), v. 41, n. 2, p. 121–128, 2015.

LESSA, S. S.; MONTENEGRO, A. C. Avaliação da prevalência de sobrepeso, do perfil nutricional e do nível de atividade física nos estudantes de medicina da Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas - UNCISAL. Rev. Soc. Bras. Clín. Méd, v. 6, n. 3, p. 90–93, 2008.

MALTA, D. C. et al. A pandemia da COVID-19 e as mudanças no estilo de vida dos brasileiros adultos: um estudo transversal, 2020. Epidemiologia e servicos de saude : revista do Sistema Unico de Saude do Brasil, v. 29, n. 4, p. e2020407, 2020.

MATTIOLI, A. V. et al. Quarantine during COVID-19 outbreak: Changes in diet and physical activity increase the risk of cardiovascular disease. Nutrition, Metabolism and Cardiovascular Diseases, v. 30, n. 9, p. 1409–1417, 2020.

MOREIRA, D. P.; FUREGATO, A. R. F. Estresse e depressão entre alunos do último período de dois cursos de enfermagem. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 21, n. SPL, p. 155–162, 2013.

MUSCOGIURI, G. et al. Nutritional recommendations for CoVID-19 quarantine. European Journal of Clinical Nutrition, v. 74, n. 6, p. 850–851, 2020.

OECD. Education at a glance. Disponível em: <https://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/eag/documentos/2020/EAG_2020_V2.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2021.

PEDRELLI, P. et al. College students: Mental health problems and treatment considerations. Academic Psychiatry, v. 39, n. 5, p. 503–511, 2015.

PEDROSA, A. A. DA S. et al. Consumo de álcool entre estudantes universitários. Cadernos de Saude Publica, v. 27, n. 8, p. 1611–1621, 2011.

PELICIOLI, M. et al. Alcohol consumption and episodic heavy drinking among undergraduate students from the health area of a Brazilian university. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 66, n. 3, p. 150–156, 2017.

RAMIS, T. R. et al. Tabagismo e consumo de álcool em estudantes universitários: Prevalência e fatores associados. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 15, n. 2, p. 376–385, 2012.

ROMERO-BLANCO, C. et al. Physical activity and sedentary lifestyle in university students: Changes during confinement due to the covid-19 pandemic. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 17, n. 18, p. 1–13, 2020.

SAHU, P. Closure of Universities Due to Coronavirus Disease 2019 (COVID-19): Impact on Education and Mental Health of Students and Academic Staff. Cureus, v. 2019, n. 4, p. 4–9, 2020.

SANTOS, A. K. G. V. et al. Qualidade de vida e alimentação de estudantes universitários que moram na região central de São Paulo sem a presença dos pais ou responsáveis. Rev. Simbio-Logias, v. 7, n. 10, p. 76–99, 2014.

SANTOS, R. et al. Classification of alcohol use disorders among nightclub patrons: Associations between high-risk groups, sociodemographic factors and illicit drug use. American Journal of Drug and Alcohol Abuse, v. 41, n. 5, p. 433–441, 2015.

SOUZA, D. P. Avaliação do estado nutricional e consumo alimentar de acadêmicos do Curso de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas. Clinical & Biomedical Research, v. 32, n. 3, p. 275–282, 2012.

TATARANNI, P. A. et al. Effects of glucocorticoids on energy metabolism and food intake in humans. American Journal of Physiology - Endocrinology and Metabolism, v. 271, n. 2 34-2, 1996.

TEMPEL, D. L.; MCEWEN, B. S.; LEIBOWITZ, S. F. Effects of adrenal steroid agonists on food intake and macronutrient selection. Physiology and Behavior, v. 52, n. 6, p. 1161–1166, 1992.

TEMPSKI, P. et al. Relationship among medical student resilience, educational environment and quality of life. PLoS ONE, v. 10, n. 6, p. 1–13, 2015.

TOPP, C. W. et al. The WHO-5 well-being index: A systematic review of the literature. Psychotherapy and Psychosomatics, v. 84, n. 3, p. 167–176, 2015.

WHO. Female health workers drive global health. Disponível em: <https://www.who.int/news-room/commentaries/detail/female-health-workers-drive-global-health>. Acesso em: 18 jan. 2021.

WHO. Preventing noncommunicable diseases. Disponível em: <https://www.who.int/activities/preventing-noncommunicable-diseases/>. Acesso em: 1 fev. 2021a.

WHO. Coronavirus disease (COVID-19) pandemic. Disponível em: <http://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019>. Acesso em: 4 maio. 2020b.

WOLFSON, J. A.; LEUNG, C. W. Food insecurity and COVID-19: Disparities in early effects for us adults. Nutrients, v. 12, n. 6, p. 1–12, 2020.

Publicado
2021-10-17
Como Citar
Barbosa, M. F., Pititto, B. de A., Wagner, G. A., Schveitzer, M. C., & Tomita, L. Y. (2021). Estilo de vida de graduandos de universidade pública de São Paulo: Antes e durante pandemia. Revista Brasileira De Educação E Saúde, 11(3), 361-369. https://doi.org/10.18378/rebes.v11i3.8690
Seção
Artigos