Rastreio de câncer de colo de útero: Brasil, Estados Unidos e Reino Unido

Um comparativo nos critérios de indicações

Resumo

O câncer de colo uterino apresenta alta incidência entre mulheres, tendo como principal causa a infecção persistente pelo Papilomavírus Humano (HPV). Diferentes fatores podem influir nas taxas de incidência e mortalidade dessa patologia, sendo que o câncer de colo beneficiado pelo diagnóstico precoce, refletindo no prognóstico. O presente estudo constitui-se de uma revisão bibliográfica com método comparativo utilizando diretrizes de rastreio para câncer de colo uterino atualizadas e dados epidemiológicos publicados entre os anos de 2009 e 2019 obtidos através do Atlas da Mortalidade do Instituto Nacional de Câncer (INCA) para o Brasil, do relatório de 2019 da Sociedade Americana do Câncer para os Estados Unidos e do “Global Cancer Observatory” da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o Reino Unido. Objetiva-se comparar protocolos de rastreio utilizados no Brasil, Estados Unidos e Reino Unido, apontando as divergências e concordâncias dos critérios abarcados. Estes incluem: padrão predominante de rastreio, idade de início e idade de término, frequência e tipos de exame executados. Como resultados, as principais divergências encontradas estão no padrão predominante de rastreio (oportunístico e busca ativa), nos tipos de exame incluídos em cada programa e nas especificidades das frequências indicadas. As diferentes realidades socioeconômicas e de serviços de saúde dos países analisados podem justificar a construção e aplicabilidade dicotômicas das diretrizes para suas respectivas realidades. Os achados desse trabalho afirmam a importância dos programas de rastreio oncológico na identificação precoce dessa doença, apesar de não se constituírem como único fator responsável pela alteração dos padrões de incidência e mortalidade.

Biografia do Autor

Brenda Cástia Cardoso Malheiro, Universidade Federal da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia- Brasil

Discente do curso de Medicina da Universidade Federal da Bahia - Instituto Multidisciplinar em Saúde/Campus Anísio Teixeira. 

Leticia Passos e Souza, Universidade Federal da Bahia, Instituto Multidisciplinar em Saúde, Campus Anísio Teixeira, Vitória da Conquista, Bahia- Brasil

Discente do curso de Medicina da Universidade Federal da Bahia - Instituto Multiidisciplinar em Saúde/Campus Anísio Teixeira (UFBA-IMS/CAT) – Vitória da Conquista, Bahia- Brasil

Mauricio de Oliveira Grijó Júnior, Universidade Federal da Bahia

Professor assistente do curso de medicina da Universidade Federal da Bahia, Instituto Multidisciplinar em Saúde, Campus Anísio Teixeira (UFBA- IMS/CAT) - Vitória da Conquista – Bahia – Brasil.

Monique Dutra Fonseca Grijó , Universidade Federal da Bahia

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia, Instituto Multidisciplinar em Saúde, Campus Anísio Teixeira (UFBA- IMS/CAT), Vitória da Conquista – Bahia – Brasil

Publicado
2022-01-13
Como Citar
Malheiro, B. C. C., Souza, L. P. e, Grijó Júnior, M. de O., & Grijó , M. D. F. (2022). Rastreio de câncer de colo de útero: Brasil, Estados Unidos e Reino Unido: Um comparativo nos critérios de indicações. Revista Brasileira De Educação E Saúde, 11(4), 428-432. https://doi.org/10.18378/rebes.v11i4.9143
Seção
Artigos