Análise microbiológica do leite bovino não industrializado comercializado na cidade de Cajazeiras, Paraíba

Palavras-chave: Infecção, Ordenha, Microrganismos.

Resumo

Entende-se por leite o produto proveniente da ordenha completa e ininterrupta, em condições de higiene, de vacas sadias, bem alimentadas e descansadas. É o mais nobre dos produtos de origem animal, caracterizado como sendo um líquido branco e opaco, mais viscoso que a água, de sabor ligeiramente adocicado e odor pouco acentuado. Pelo fato de possuir um alto valor nutritivo, é um alimento largamente consumido pelo homem, principalmente na dieta das crianças. Por ser tão rico em termos nutricionais, torna-se também um excelente meio de crescimento e proliferação de microrganismos. O presente estudo objetivou identificar a presença de bactérias que podem ser encontradas no leite bovino comercializado na cidade de Cajazeiras, Paraíba. Foram analisadas 10 amostras de leite bovino in natura. Alçadas das amostras foram inoculadas em Caldo de Infusão Cérebro-Coração e incubadas em estufa bacteriológica a 37ºC por 24 horas. Em seguida foram semeadas em meio de cultura cromogênico, novamente incubadas durante 24 horas. As bactérias crescidas foram identificadas pela aparência das colônias através das colorações e confirmadas através da identificação bioquímica. Identificou-se a presença de Klebsiella spp. e Escherichia coli. Concluiu-se, que o leite in natura comercializado na cidade de Cajazeiras, Paraíba apresenta elevada carga bacteriana.

Entende-se por leite o produto proveniente da ordenha completa e ininterrupta, em condições de higiene, de vacas sadias, bem alimentadas e descansadas. É o mais nobre dos produtos de origem animal, caracterizado como sendo um líquido branco e opaco, mais viscoso que a água, de sabor ligeiramente adocicado e odor pouco acentuado. Pelo fato de possuir um alto valor nutritivo, é um alimento largamente consumido pelo homem, principalmente na dieta das crianças. Por ser tão rico em termos nutricionais, torna-se também um excelente meio de crescimento e proliferação de microrganismos. O presente estudo objetivou identificar a presença de bactérias que podem ser encontradas no leite bovino comercializado na cidade de Cajazeiras, Paraíba. Foram analisadas 10 amostras de leite bovino in natura. Alçadas das amostras foram inoculadas em Caldo de Infusão Cérebro-Coração (caldo BHI) e incubadas em estufa bacteriológica a 37ºC por 24 horas. Em seguida foram semeadas em meio de cultura cromogênico, novamente incubadas durante 24 horas. As bactérias crescidas foram identificadas pela aparência das colônias através das colorações e confirmadas através da identificação bioquímica. Identificou-se a presença de Klebsiella spp. e Escherichia coli. Concluiu-se, portanto que o leite in natura comercializado na cidade de Cajazeiras, Paraíba apresenta elevada carga bacteriana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dandara Dias Cavalcante Abreu, Faculdade Santa Maria
Biomédica, Faculdade Santa Maria, Cajazeiras, Paraíba
Renelita da Rocha Moésia, Faculdade Santa Maria
Enfermeira, Faculdade Santa Maria, Cajazeiras, Paraíba

Referências

AAKU, E. N.; COLLISON, E. K.; GASHE, B. A.; MPUCHANE, S. Microbiologycal quality of milk from two processing plants in Gaborone Botswana. Food Control, Guildford, v. 15, 2004.

ARCURI, E. F; SILVA, P. D. L.; BRITO, M. A. V. P; Brito, J. R. F.; LangeI, C. C.; Magalhães, M. M. A. Contagem, isolamento e caracterização de bactérias psicrotróficas contaminantes de leite cru refrigerado. Ciência Rural, v.38, n.8, nov, 2008.

BANDOCH, M.; MELO, L. S. Prevalência de mastite bovina por Staphylococcus aureus: uma revisão bibliográfica. Biol. Health Sci., Ponta Grossa, v.17, n.1, p. 47-51, jan./jun. 2011.

BARBALHO, T. C. F.; MOTA, R. A. Isolamento de agentes bacterianos envolvidos em mastite subclinica bovina no Estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 2, n. 2, 2005.

BARRETO, N. S. E.; SANTOS, G. C. F.; CREPALDI, A. L.; SANTOS, R. A. R. Qualidade microbiológica e suscetibilidade antimicrobiana do leite in natura comercializado em Cruz das Almas, Bahia. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, n. 6, 2012.

BEGOTTI I. L.; MORAES F. F.; MARA FERNANDES DA CUNHA M. F.; LUIZ SÉRGIO MERLINI L. S. Avaliação microbiológica em leite pasteurizado comercializado na região noroeste do estado do Paraná – Brasil. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.9, n.16, 2013.

BRASIL. Ministério de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução normativa 51, 18 de setembro de 2002, Revoga Portaria n.146, de 7 de março de 1996. Regulamentos técnicos de identidade e qualidade de produtos lácteos. Diário Oficial da União, Brasília, 2002.

BRICIO, S. M. L.; SILVA, C. G.; FINGER, R. M.; Qualidade bacteriológica do leite pasteurizado tipo C produzido no estado do Rio de Janeiro. Revista brasileira de Ciências Veterinárias, v. 12, n. 1/3, p. 124-126, 2005.

BYARUGABA, D. K. Mecanismos de resistência aos antimicrobianos. Departamento de Microbiologia Veterinária e Parasitologia, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Makerere, Kampala, Uganda, 2009.

COSENTINO, S.; MULARGIA, A. F.; PISANO, B.; TUVERI, P.; PALMAS, F. Incidence and biochemical characteristics of Bacillus flora in Sardinian dairy products. International Journal of Food Microbiology, v.38, 1997.

FERRAZ, M. A. Monitoramento de Enterobacteriaceae e Staphylococcus spp. na linha de produção de leite em pó de uma indústria de laticínios de Minas Gerais utilizando metodologias tradicional e rápida. [Dissertação]. Belo Horizonte, MG: Universidade Federal de Minas Gerais; 2009.

LACERDA, L. M.; MOTA, R. A.; SENA, M. J. Qualidade microbiológica da água utilizada em fazendas leiteiras para limpeza das tetas de vacas e equipamentos leiteiros em três municípios do Estado do Maranhão. Arquivo do Instituto Biológico, São Paulo, v. 76, n. 4, 2009.

LUZ, D. F.; BICALHO, F. A.; OLIVEIRA, M. V. M.; SIMÕES, A. R. P.; Avaliação microbiológica em leite pasteurizado e cru refrigerado de produtores da região do Alto Pantanal Sul-Mato-Grossense. Revista Agrarian. v.4, n.14, p.367-374, 2011.

MATTOS, M. R. D.; BELOTI, V.; TAMANINI, R.; MAGNANI, D. F.; NERO, L. A.; BARROS, M. de A. F.; PIRES, E. M. F.; PAQUEREAU, B. Qualidade do leite cru produzido na região Agreste de Pernambuco. Semina: Ciências Agrárias. v. 81, 2010.

MENDES, C. F. C. Análise bacteriológica do leite bovino comercializado na cidade de Juazeiro do Norte, Ceará. 2014. 16f. Monografia – Faculdade Leão Sampaio, 2014.

OLIVAL, A. A.; SPEXOTO, A. A. Leite informal no Brasil: aspectos sanitários e educativos. Higiene Alimentar. v. 18, n. 119, 2004.

ORDÓÑEZ, J. A. Tecnologia de alimentos: alimentos de origem animal. Porto Alegre: Artimed, 2005.

PINTO, C. L. O.; MARTINS, M. L.; VANETTI, M. C. D. Qualidade microbiológica de leite cru refrigerado e solamento de bactérias psicrotróficas proteolíticas. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 26, n. 3, 2006.

SHIRAI, M. A. Conservação do leite cru pela aplicação de dióxido de carbono. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Paraná, Setor de Tecnologia, Programa de Pós- graduação em Tecnologia de Alimentos, 2010.

SILVA, J. G. Análises físico-químicas do leite bovino cru e do leite pasteurizado integral beneficiado em um laticínio no município de Angicos-RN. 2013. 53 f. Monografia – Universidade Federal Rural do Semi-Árido, 2013.

TEBALDI, V. M. R.; OLIVEIRA, T. L. C. D.; BOARI, C. A.; PICCOLI, R. H. Isolamento de coliformes, estafilococos e enterococos de leite cru provenientes de tanques de refrigeração por expansão comunitários: identificação, ação lipolítica e proteolítica. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 28, n. 3, 2008.

Publicado
2017-07-01
Seção
NOTA CIENTÍFICA