Estudo das condições de conforto térmico em escolas públicas municipais de tempo integral na cidade de João Pessoa – PB

  • Gabrielle Diniz dos Santos
  • Joel Silva dos Santos
  • Ingrid Almeida da Silva
  • Gil Dutra Furtado
  • Bruno Sousa Gonzaga

Resumo

A alteração dos constituintes de recobrimento do solo por materiais impermeáveis, o alto crescimento urbano e a consequente supressão da vegetação urbana, vem modificando ainda mais o microclima urbano e tornando críticas as condições de conforto térmico nos centros urbanos e áreas habitacionais. Atualmente boa parte das escolas públicas de tempo integral na cidade de João Pessoa/PB sofre as consequências das alterações no campo térmico urbano da cidade. Dessa forma, o estudo do conforto térmico em escolas públicas de tempo integral na cidade de João Pessoa\PB é de suma importância para a compreensão do desenvolvimento das atividades educativas e rendimento escolar dos alunos. Sendo assim, o objetivo principal deste trabalho é verificar o Índice de Conforto Térmico (IDT) em três escolas de tempo integral da cidade de João Pessoa/PB. Para a realização da pesquisa, foi feito o reconhecimento e caracterização das três amostras experimentais: Escola Municipal de Ensino Fundamental Cônego João de Deus, Escola Municipal de Ensino Fundamental Radegundis Feitosa e Escola Municipal de Ensino Fundamental Ana Cristina Rolin Machado. Para a obtenção dos dados de temperatura e umidade relativa do ar foram utilizados aparelhos do tipo termohigrometro HOBO U-10. Para avaliação das condições de conforto térmico foi utilizado o Índice de Thom e as faixas de sensações térmicas ajustadas por Santos para regiões tropicais. Com os resultados da pesquisa foi possível observar que as escolas permaneceram com altos índices de desconforto térmico na maior parte do período diurno. As faixas de conforto térmico predominantes nas escolas vão de parcialmente confortável a confortável, de acordo com o índice de desconforto de Thom. Dessa forma, pode-se concluir que os ambientes públicos escolares avaliados necessitam ser repensados para uma maior eficiência térmica, objetivando assim, o melhor desempenho escolar dos alunos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOURBIA, F.; BOUCHERIBA, F. Impact of street design on urban microclimate for semi arid climate (Constantine) Renewable Energy, .35, p. 343-347, 2012.

BURGOS, E. G.; DE CAMPOS GRIGOLETTI, G.; DA PAIXÃO, D. X. Otimização do conforto ambiental no espaço escolar: uma visão sustentável. Cinergis, v. 16, n. 1, 2015.

DUARTE, D.H.S.; SERRA, G.G. Padrões de ocupação do solo e microclimas urbanos na região de clima tropical continental brasileira: correlações e propostas de um indicador. Revista Ambiente Construído, v.3, n.2, p.07-20. 2003

FRANCO, F. M.; NOGUEIRA, M. C. J. A. Análise microclimática em função do uso e ocupação do solo em Cuiabá-MT. Mercator, Fortaleza, v.11, n.26, p.157-170. 2012.

GOMES, M. A. S.; AMORIM, M. C. C. T. Arborização e conforto térmico no espaço urbano: estudo de caso nas praças públicas de Presidente Prudente (SP). Caminhos de Geografia. 7(10)94-106, 2003.

LAMBERTS, R.; XAVIER, A. A.; GOULART, S. Conforto e stress térmico. LabEEE, UFSC, 2011.

MILLS, G.; CLEUGH, H.; EMMANUEL, R.; ENDLICHER, W.; ERELLE, E.; MCGRANAHAN, G. NG. E.; NICKSON, A.; ROSENTHAL, J.; AND STEEMER, K. Climate Information for Improved Planning and Management of Mega Cities (Needs Perspective). Procedia Environmental Sciences, v.1, n.1, p.228-246. 2010.

PAULA, R. Z. R. de. A influência da vegetação no conforto térmico do ambiente construído. 2005. 111 p. Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Campinas, 2005.

PEREIRA, M. D. B. As chuvas na cidade de João Pessoa: uma abordagem genética. 94p Monografia. Departamento de Geociências, UFPB, João Pessoa, Paraíba.. 2014.

PIZARRO, P. R. Estudo das variáveis do conforto térmico e luminoso em ambientes escolares. 2005. 178p. Dissertação (mestrado) – UEP, Bauru:, 2005.

SANTOS, E. C. A. Clima urbano e a sua relação com o uso e cobertura do solo na cidade de Bayeux - Paraíba: subsídio ao planejamento e a gestão ambiental. 2017. 133p. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA) – UFPB, João Pessoa, 2017.

SANTOS, J. S. Campo térmico urbano e a sua relação com o uso e cobertura do solo em uma cidade tropical úmida. 2011. 108p. Tese (Doutorado) – UFCG,. Campina Grande: 2011.

SHAMS, J. C. A.; GIACOMELI, D. C.; SUCOMINE, N. M. Emprego da arborização na melhoria do conforto térmico nos espaços livres públicos. REVSBAU, Piracicaba–SP, v. 4, n. 4, p. 1-16, 2009.

STEWART, I. D.; OKE, T. R. Local climate zones for urban temperature studies. Bulletin of the American Meteorological Society, v. 93, n. 12, p. 1879-1900, 2012.

TALAIA, M.; SILVA, M. Risco da construção do conhecimento de alunos num ambiente térmico quente. Revista Territorium, n.º 22, 2015

VIANA, S. S. M.; AMORIM, M. C. de C. T. Variações de conforto e/ou desconforto térmico nas escolas estaduais de Presidente Prudente/SP. Geografia em questão, v. 5, n. 1, 2012.

XAVIER, A. A. P. Condições de conforto térmico para estudantes de 2º grau na região de Florianópolis. 1999. 210p. Tese (Doutorado), Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 1999.

Publicado
2017-12-29
Como Citar
Diniz dos Santos, G., Silva dos Santos, J., Almeida da Silva, I., Dutra Furtado, G., & Sousa Gonzaga, B. (2017). Estudo das condições de conforto térmico em escolas públicas municipais de tempo integral na cidade de João Pessoa – PB. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 7(3), 001-010. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/5555
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)