ESTUDO DA CINÉTICA DE SECAGEM DO RESÍDUO BAGAÇO DE MALTE E DO RESÍDUO DE ABACAXI

  • Mariana de Oliveira Silva Unievrsidade Federal da Paraíba
  • Sílvio Jackson Félix Alves
  • Francisco Lucas Chaves Almeida
  • Cybelle de Oliveira Dantas
  • Arianne Dantas Viana
  • Kristerson Reinaldo de Luna Freire

Resumo

A industrialização dos alimentos no ramo da agroindústria gera uma quantidade de resíduos considerável. O bagaço do malte é o principal resíduo da indústria cervejeira e apresenta significativo potencial para aplicação de tecnologias. O abacaxi é uma planta de clima tropical que tem grande aceitação em todo o mundo tanto na sua forma natural quanto na forma industrializada. A secagem de alimentos tem por objetivo reduzir a umidade de um produto para sua conservação. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo comparar a cinética de secagem dos resíduos de bagaço de malte e de abacaxi e definir qual o modelo que apresenta o melhor ajuste aos dados experimentais obtidos. Para determinação das cinéticas de secagem as amostras foram pesadas e secas em secador com circulação de ar forçada na temperatura de 60ºC. O software utilizado para ajustar os dados experimentais foi o Statistica versão 7.0. Os critérios estatísticos utilizados para analisar os dados foram o R² (coeficiente de determinação>90%) e o desvio médio relativo (DMR<10%). Analisando esses critérios foi possível perceber que o modelo de WANG & SING apresentou os melhores resultados quanto ao R² e ao DMR para os dois experimentos. Se comparados os teores de umidade inicial, podemos notar que o resíduo do abacaxi possui uma umidade muito mais alta à umidade do resíduo de malte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXANDRE, H.V.; SILVA, F.L.H. da.; GOMES, J.P.; SILVA, O.S. da.; CARVALHO, J.P.D.; LIMA, E.E. de. Cinética de Secagem do Resíduo de Abacaxi enriquecido. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v. 17, n.6, p. 640-646, 2013.

BATISTA, E.A. Estudo do processo de secagem do resíduo de malte gerado na produção de cerveja. 50f. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Bacharel em Química) - Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

BOFFO, E.V.; SILVA, G.M.C. da.; KLAGENBOECH, R.; TONEL, J.J. Modelagem matemática para discrição da cinética de secagem da mistura do bagaço de malte e levedura. COBEQ- XX Congresso de Engenharia Química, Florianópolis, 2014.

BOURSCHEIDE, C.T.; OLIVEIRA, B.H.; GONÇALVES, G. da C.; SILVA, G.M.C. da. Estudo da secagem do bagaço do malte resíduo úmido obtido do processo industrial da cerveja. Agroindustrial Waste Management, Foz do Iguaçu, 2011.

CRESTANI, M., BARBIERI, R.L., HAWERROTHL, CARVALHO, F.I.F., OLIVEIRA, A.C. Das Américas para o Mundo - origem, domesticação e dispersão do abacaxizeiro. Ciência Rural, v.40, n.6, p. 1473-1483, 2010.

MATHIAS, T.R.S.; MELLO, P.P.; SERVULO, E.F.C. Caracterização de resíduos cervejeiros. XX Congresso Brasileiro de Engenharia Química – Florianópolis, 2014.

MELLO, L.R.P.F.; VERGÍLIO, R.M.; MALI, S. Caracterização química e funcional do resíduo fibroso da indústria cervejeira. II Simpósio de Bioquímica e Biotecnologia. Anais. v. 2, n.3, p.191-194, 2013.

OLIVEIRA, A.S.B. de. Estudo da secagem de casca de abacaxi visando desenvolvimento de chá a partir do produto seco. 100f. 2014. Dissertação. (Ciências e Tecnologias Agropecuárias)- Universidade Estadual do Norte Fluminense, Rio de Janeiro.

SANTOS, D. da. C.; QUEIROZ, A.J. da. M.; FIGUEIREDO, R.M.F.da.; OLIVEIRA, E. N.A. de. Cinética de secagem de farinha de grãos residuais de urucum. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. Campina Grande, v. 17, n.2, p.223-231, 2013.

SOUSA, K.A.; RESENDE, O.; CHAVES, T.H.; COSTA, L.M. Cinética de secagem do nabo forrageiro (Raphanus sativus L.) Revista ciência Agronômica. Fortaleza-CE, v. 42, n. 4, p.883-892, 2011.

Publicado
2018-12-31
Como Citar
Silva, M. de O., Alves, S. J. F., Almeida, F. L. C., Dantas, C. de O., Viana, A. D., & Freire, K. R. de L. (2018). ESTUDO DA CINÉTICA DE SECAGEM DO RESÍDUO BAGAÇO DE MALTE E DO RESÍDUO DE ABACAXI. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 8(3), 48-52. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/6455
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)