Leishmaniose visceral canina no município de Parnaíba, PI

  • Helane Rodrigues Melo Dentista da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí, Especialista em Parasitologia, Universidade Federal do Piauí
  • Francisco Vitor Gomes Dourado Diretor da Vigilância Ambiental, Secretaria de Saúde do município de Parnaíba, Piauí
  • Francisco das Chagas Fredson Ferreira Médico Veterinário, Centro de Controle de Zoonoses do município de Parnaíba, Piauí
  • Luanna Soares de Melo Evangelista Profª Drª Departamento de Parasitologia e Microbiologia, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Piauí http://orcid.org/0000-0003-1954-2662
Palavras-chave: Calazar, Casuística, Cães, Piauí

Resumo

O objetivo deste trabalho foi realizar um levantamento soroepidemiológico da casuística de cães diagnosticados com Leishmaniose Visceral (LV) no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município de Parnaíba, Piauí. Os dados foram investigados junto às fichas dos animais diagnosticados com a doença no CCZ, durante o período de 2015 a 2018. Foram obtidos dados quanto ao sexo, idade, raça e sobre a presença ou ausência de sinais clínicos sugestivos da doença nos cães avaliados. Durante o período do estudo, 743 cães foram sorologicamente positivos para LV, sendo os machos mais acometidos que as fêmeas (52,22%). Não foi possível identificar a idade da maioria dos animais (46,57%), em virtude da falha no preenchimento de dados nas fichas pesquisadas; cães sem raça definida (SRD) foram os mais frequentemente diagnosticados com a doença (80,21%), seguidos da raça poodle (5,79%). A maioria dos animais capturados ou entregues ao CCZ apresentaram pelo menos um sinal clínico sugestivo de LV (60,16%), tendo a eutanásia como a principal medida de controle da doença. Conclui-se que cães diagnosticados com LV no CCZ de Parnaíba, durante o período do estudo, foram, em sua maioria, machos, SRD e sintomáticos, porém nota-se a necessidade de mais orientações junto aos tutores de cães sobre as medidas de prevenção e controle da doença no município.

Biografia do Autor

Helane Rodrigues Melo, Dentista da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí, Especialista em Parasitologia, Universidade Federal do Piauí
Dentista da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí, Especialista em Parasitologia, Universidade Federal do Piauí
Francisco Vitor Gomes Dourado, Diretor da Vigilância Ambiental, Secretaria de Saúde do município de Parnaíba, Piauí
Diretor da Vigilância Ambiental, Secretaria de Saúde do município de Parnaíba, Piauí
Francisco das Chagas Fredson Ferreira, Médico Veterinário, Centro de Controle de Zoonoses do município de Parnaíba, Piauí
Médico Veterinário, Centro de Controle de Zoonoses do município de Parnaíba, Piauí
Luanna Soares de Melo Evangelista, Profª Drª Departamento de Parasitologia e Microbiologia, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Piauí
Profª Drª Departamento de Parasitologia e Microbiologia, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Piauí

Referências

ALMEIDA, A.B.P.F.; MENDONÇA, A.J.; SOUSA, V.R.F. Prevalência e epidemiologia da leishmaniose visceral em cães e humanos, na cidade de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Ciência Rural, v.40, n.7, p.1610-1615, 2010.

AMÓRA, S.S.A.; SANTOS, M.J.P.; ALVES, N.D.; COSTA, S.C.G.; CALABRESE, K.S.; MONTEIRO, A.J. et al. Fatores relacionados com a positividade de cães para leishmaniose visceral em área endêmica do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Ciência Rural, v.36, n.6, p.1854-1859, 2006.

AZEVEDO, J.S. Estudo retrospectivo de casos de leishmaniose visceral canina atendidos em um hospital veterinário de uma área endêmica para a doença. 2019. 70f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP, Araçatuba. 2019.

BELO, V.S.; STRUCHINER, C.J.; WERNECK, G.L.; BARBOSA, D.S.; OLIVEIRA, R.B.; TEIXEIRA NETO, R.G.T. et al. A systematic review and meta-analysis of the factors associated with Leishmania infantum infection in dogs in Brazil. Veterinary Parasitology, v.195, n.1-2, 1-13, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de Vigilância e Controle da Leishmaniose Visceral. 5ª reimpressão, Brasília: Ministério da Saúde; 2014. 120 p.

CIARAMELLA, P.; CORONA, M. Canine leishmaniasis: therapeutic aspects. Compendium, v.25, n.5, p.370-375, 2003.

CONTRERAS, I.K.; MACHADO, M.A.; ROCHA, C.O.J.M.; OLIVEIRA, G.R.; CARVALHO, F.C.G. Sinais clínicos apresentados por cães positivos para leishmaniose visceral no município de Vassouras, Rio de Janeiro. PUBVET, v.13, n.4, p.1-6, 2019.

COSTA, E.A.; SILVA, M.M.; COSTA, T.G.A. Levantamento e avaliação dos casos de leishmaniose visceral (calazar) no município de Formosa do Rio Preto, Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v.5, n.9, p.349-359, 2018a.

COSTA, D.N.C.C.; BLANGIARDO, M.; RODAS, L.A.C.; NUNES, C.M.; HIRAMOTO, R.M.; TOLEZANO, J.E. et al. Canine visceral leishmaniasis in Araçatuba, state of São Paulo, Brazil, and its relationship with characteristics of dogs and their owners: a cross-sectional and spatial analysis using a geostatistical approach. BMC Veterinary Research, v.14, n.229, p.1-13, 2018b.

COURA-VITAL, W.; KER, H.G.; ROATT, B.M.; AGUIAR-SOARES, R.D.O.; LEAL, G.G.A.; MOREIRA, N.D. et al. Evaluation of change in canine diagnosis protocol adopted by the visceral leishmaniasis control program in Brazil and a new proprosal for diagnosis. PLosONE, v.9, n.3, p.1-6, 2014.

DRUMOND, K.O.; COSTA, F.A.L. Forty years of visceral leishmaniasis in the state of Piauí: A review. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, v.53, n.1, p.3-11, 2011.

FREITAS, M.V.M.; BRUN, C.F.L.; RODRIGUES, M.C.; ALVES, G.B.B.; LEAL, A.F.; SILVA, E.M.C. et al. Ocular diseases in dogs naturally affected by visceral leishmaniasis in Teresina, Piauí, Brazil. Ciência Rural, v.47, n.10, p.1-8, 2017.

GOÉS, M.A.O.; MELO, C.M.; JERALDO, V.L.S. Série temporal da leishmaniose visceral em Aracaju, estado de Sergipe, Brasil (1999 a 2008): aspectos humanos e caninos. Revista Brasileira de Epidemiologia, v.15, n.2, p.298-307, 2012.

GONÇALVES, M.B. Prevalência, distribuição e identificação de prováveis fatores de risco para leishmaniose visceral canina em Camaçari-BA. 2014. 113f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa) – Fundação Oswaldo Cruz, Salvador. 2014.

GOUVÊA, M.V.; MENDONÇA, I.L.; CRUZ, M.S.P.; COSTA, C.H.N.; BRAGA, J.U.; WERNECK, G.L. Predictive factors for Leishmania infantum infection in dogs examined at a veterinary teaching hospital in Teresina, State of Piauí, Brazil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.49, n.1, p.107-111, 2016.

GUSMÃO, J.D.; BRITO, P.A.; LEITE, M.T.S. Perfil epidemiológico da leishmaniose visceral no norte de Minas Gerais, Brasil, no período de 2007 a 20011. Revista Baiana de Saúde Pública, v.38, n.3, p.615-624, 2014.

MENDES, J.R.; LOPES, A.S.; SOUSA, M.S.C.; SILVA, M.J.M.; SOUSA, P.B. O Piauí como coadjuvante da leishmaniose visceral brasileira. Brazilian Journal of Development, v.6, n.3, p.11210-11219, 2020.

PALTRINIERI, S.; SOLANO-GALLEGO, L.; FONDATI, A.; LUBAS, G.; GRADONI, L.; CASTAGNARO, M. et al. Guidelines for diagnosis and clinical classification of leishmaniasis in dogs. Journal of the American Veterinary Medical Association, v.236, n.11, p.1184-1191, 2010.

READY, P.D. Epidemiology of Visceral Leishmaniasis. Dovepress. Clinical Epidemiology, v.3, n.6, p.147-154, 2014.

ROCHA, A.T.F.; ESPINDOLA, G.M.; SOARES, M.R.A.; ROCHA, J.R.S.; COSTA, C.H.N. Visceral leishmaniasis and vulnerability conditions in an endemic urban area of Northeastern Brazil. Transactions of the Royal Society of Tropical Medicine and Hygiene, v.112, p.317-325, 2018.

SALES, D.P.; CHAVES, D.P.; MARTINS, N.S.; SILVA, M.I.S. Aspectos epidemiológicos da Leishmaniose Visceral Canina e Humana no estado do Maranhão, Brasil (2009-2012). Revista Brasileira de Ciência Veterinária, v.24, n.3, p.144-150, 2017.

SALES, R.S.P.B. Leishmaniose visceral canina em Maceió: Um estudo retrospectivo. 2019. 39f. Monografia (Graduação em Medicina Veterinária) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Garanhuns. 2019.

SANTOS GM, BARRETO MTS, MONTEIRO MJSD, SILVA RVS, JESUS RLR, SILVA HJN. Aspectos epidemiológicos e clínicos da leishmaniose visceral no estado do Piauí, Brasil. C&D Revista Eletrônica da FAINOR, v.10, n.2, p.142-153, 2017.

SEIXAS, M.M.; MAGALHÃES JÚNIOR, J.T.; FRANKE, C.R.; BARROUIN-MELO, S.M. Positividade para leishmaniose visceral canina: existem fatores caninos que contribuem? Revista Baiana de Saúde Pública, v.36, n.2, p.358-367, 2012.

SILVA, R.B.S.; MENDES, R.S.; SANTANA, V.L.; SOUZA, H.C.; RAMOS, C.P.S.; SOUZA, A.R. et al. Aspectos epidemiológicos da leishmaniose visceral canina na zona rural do semiárido paraibano e análise de técnicas de diagnóstico. Pesquisa Veterinária Brasileira, v.36, n.7, p.625-629, 2016.

SILVA, C.M.H.S.; WINCK, C.A. Leishmaniose Visceral Canina: Revisão de Literatura. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v.16, n.1, p.1-12, 2018.

SOLANO-GALLEGO, L.; MIRÓ, G.; KOUTINA, A.; CARDOSO, L.; PENNISI, M.G.; FERRER, L. et al. LeishVet guidelines for the practical management of canine leishmaniosis. Parasite Vectors, v.4, n.86, p.1-16, 2011.

UCHÔA, K.A.L.; SILVA, B.A.K.; ANDRADE, A.R.O.; DRUMOND, K.O. Vigilância epidemiológica da leishmaniose visceral: análise de indicadores e fatores ambientais associados. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v.1, n.45, p.1-9, 2020.

WILSON, T.M.; MAGALHÃES, L.F.; MEDEIROS, A.A.; FURQUIM, E.C. Alterações macroscópicas em cães sororreagentes para Leishmania chagasi e sua correlação com teste parasitológico. Vet Not, v.18, n.2, p.20-25, 2012.

Publicado
2021-10-17
Como Citar
Melo, H. R., Dourado, F. V. G., Ferreira, F. das C. F., & Evangelista, L. S. de M. (2021). Leishmaniose visceral canina no município de Parnaíba, PI. Revista Brasileira De Educação E Saúde, 11(3), 344-349. https://doi.org/10.18378/rebes.v11i3.8669
Seção
Artigos