Monitoria de ensino e relações interpessoais nas disciplinas parasitologia clínica e humana

Resumo

O processo de ensino-aprendizagem é potencializado pela autonomia e interação do estudante, uso de métodos e estratégias de ensino. Universidades são ambientes favoráveis às praticas inovadoras, a exemplo do Programa de Monitoria de Ensino, criado pela Lei nº 5.540/68 que para serem eficientes precisa conhecer como os estudantes enxergam a monitoria, professor e o monitor(a). A abordagem exploratória qualiquantitativa foi adotada para entender as concepções dos alunos sobre a monitoria de ensino, o papel do monitor, do professor e aprendizagem refletidas nas disciplinas de Parasitologia Humana e Clínica, ministrada aos cursos de Enfermagem, Farmácia e Nutrição, ofertadas em 2015.2 – 2018.1. Os alunos participaram voluntariamente da pesquisa. Na coleta de dados utilizou-se a ferramenta Google Forms para a criação e envio do questionário online. Procedeu-se análise do conteúdo dos depoimentos, elaboração de nuvens de palavras e análise estatística descritiva. Os estudantes delinearam o conceito de monitoria, características e função no monitor. A relação aluno-monitor-professor foi proveitosa,  o programa de monitoria de ensino foi bem avaliado e contribuiu com o aprendizado e formação dos estudantes. As motivações para buscar ajuda do monitor foram diversas, porém os estudantes-cursistas optatam pelo auxílio do professor para sanar duvidas, mas reconhecem que o(a) monitor(a) contribuiu com seu aprendizado. As relações entre estudantes e professor foi assertiva e com o monitor foi profícua. Ademais, diversos aspectos caracterizaram a atuação do monitor e do professor que foram associados a informações, mediação, colaboração, aprendizagem, docência, qualidade, ambiente confortável e compromisso.

Biografia do Autor

Rogenaldo de Brito Chagas, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), campus I Salvador/Bahia

Biólogo pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS-BA), Mestre em Ciências Animal pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB-BA), doutorando em Biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA-BA), professor Assistente da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), campus I Salvador/Bahia

 

Ana Carolina Soares Dias Chagas, Secretaria Municipal de Educação de Salvador, Bahia

Graduada em Pedagogia e Especialista em Planejamento e Gestão em Educação pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB-BA), campus I Salvador/Bahia

Suelen Guedes Souza, Universidade do Estado da Bahia (UNEB-BA), campus I Salvador/Bahia

Graduanda em Enfermagem, pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB-BA), campus I Salvador/Bahia

Referências

ALVES, E.S.A. Divisão sexual do trabalho: a separação da produção do espaço reprodutivo da família. Revista Trab. educ. saúde vol.11 no.2 Rio de Janeiro May/Aug. 2013 On-line version https://doi.org/10.1590/S1981-77462013000200002

BATISTA, J. B., & FRISON, L. M. B. F. Monitoria e aprendizagem colaborativa e autorregulada. In D. Voos, & J. B. Batista (Orgs.), Sphaera: sobre o ensino de matemática e de ciências (pp. 232-247). Porto Alegre: Premier, 2009.

CASATE, J. C. & CORRÊA, A. K. A humanização do cuidado na formação dos profissionais de saúde nos cursos de graduação* Rev. esc. enferm. USP vol.46, nº.1 São Paulo fev. 2012 https://doi.org/10.1590/S0080-62342012000100029X

CAMPOS, C. J.G. MÉTODO DE ANÁLISE DE CONTEÚDO: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde Rev Bras Enfermagem, Brasília (DF) set/out;57(5):611-4, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672004000500019.

CARVALHO, R.S. & SILVA, R. R. D. DA. Currículos socioemocionais, habilidades do século XXI e o investimento econômico na educação: as novas políticas curriculares em exame. Educ. rev. no.63 Curitiba Jan./Mar. 2017, https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40602017000100173&script=sci_arttext&tlng=pt

CHAGAS, R. B. & CHAGAS, A. S.D. O Estudante-monitor e suas percepções da Monitoria de Ensino na disciplina Parasitologia. Rev. Bra. Edu. Saúde, v. 8, n. 4, p. 30-40, 2018. DOI: 10.18378/rebes.v8i4.6247

DANTAS, O. M. Monitoria: fonte de saberes à docência superior. Rev. Bras. Estud. Pedagog. (online), Brasília, v. 95, n. 241, p. 567-589, set./dez. 2014. http://dx.doi.org/10.1590/S2176-6681/301611386.

FRISON, L. M. B.; MORAES, M. A. C. As práticas de monitoria como possibilitadoras dos processos de autorregulação das aprendizagens discentes. Revista Poíesis Pedagógica, Goiás, v. 8, n. 2, p. 126-146, ago./dez. 2010. https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/14064.

FRISON, L. M. B. Monitoria: uma modalidade de ensino que potencializa a aprendizagem colaborativa e autorregulada. Revista Pró-Posições, Pelotas, v. 27, n. 1 (79) p. 133-153, jan./abr. 2016. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-73072016000100133&script=sci_abstract&tlng=pt.

INEP, 2016, Censo da Educação Superior 2016 Notas Estatísticas. Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, p 17, Brasilia. http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/mec-e-inep-divulgam-dados-do-censo-da-educacao-superior-2016/21206

LEMOS, E. S. A Aprendizagem significativa: Estratégias Facilitadoras e Avaliação (Meaningful Learning: Facilitative Strategies And Evaluation) Aprendizagem Significativa em Revista/Meaningful Learning Review, V1(1), 25-35, 2011 https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/16653/2/evelyse2_lemos_IOC_2011.pdf

MATOSO, L. M. L. A importância da monitoria na formação acadêmica do monitor: um relato de experiência. Catussaba, Revista Científica da Escola da Saúde - Universidade Potiguar-UNP, Mossoró, Ano 3, n° 2, p.77-83, abr./set. 2014. https://repositorio.unp.br/index.php/catussaba/article/view/567.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas, In: SOUZA, Carlos Alberto d; MORALES, Ofelia Elisa Torres (Org.) Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Coleção Mídias Contemporâneas. Vol. II, PG: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. Disponível em: http://uepgfocafoto.wordpress.com/. Acesso em: 13.nov. 2020

NATÁRIO E. G, SANTOS A. A. A. Programa de monitores para o ensino superior. Revista Estud Psicologia, 27(3):355-64, jul–set./2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v27n3/07.pdf.

PACHANE. G.G Quem é seu melhor professor universitário e por quê? Características do bom professor universitário sob o olhar de licenciandos. REV. educação, v. 37, n. 2, pmaio/ago. 2012 https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/2926/3242

PANÚNCIO-PINTO M.P, TRONCON L.E.A, .Avaliação do estudante – aspectos gerais. Rev. Medicina (Ribeirão Preto) 2014;47(3):314-23 http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/86684/89705

RICOLDI, A. & ASRTES, A.. Mulheres no ensino superior brasileiro: espaço garantido e novos desafios. Ex aequo [online]. 2016, n.33, pp.149-161. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0874-55602016000100011

SGUISSARDI, V. Educação Superior no Brasil. Democratização ou massificação mercantil?. Educ. Soc. vol.36 no.133 Campinas Oct./Dec. 2015. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302015000400867&script=sci_arttext&tlng=pt

SILVA, R. N & BELO, M. L. M. Experiências e reflexões de monitoria: contribuição ao ensino-aprendizagem. Revista Scientia Plena, v. 8, n. 7, p.1-6, 2012. https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/download/822/553. Acesso em: 26. nov. 2018.

VEDOVE, C. E CAMARGO, A influência da empatia na relação tutor-aluno The empathy’s influence in the tutor-student relation. Revista Intersaberes, ano3 n. 6, p. 155 – 165, jul-dez 2008. https://uninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/135/108

VYGOTSKY, L.S. Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984. P.125

Publicado
2022-04-11
Como Citar
Chagas, R. de B., Chagas, A. C. S. D., & Souza, S. G. (2022). Monitoria de ensino e relações interpessoais nas disciplinas parasitologia clínica e humana. Revista Brasileira De Educação E Saúde, 12(1), 46-57. https://doi.org/10.18378/rebes.v12i1.8697
Seção
Artigos