Uso de plantas medicinais no tratamento do pé diabético em comunidades rurais

  • Beatriz de Castro Magalhães Universidade Regional do Cariri, Crato, Ceará, Brasil
  • Bruna Erilania Vieira de Sousa Universidade Regional do Cariri, Iguatu, Ceará, Brasil
  • Ingrid Mikaela Moreira de Oliveira Universidade Regional do Cariri, Crato, Ceará, Brasil
  • Izabel Cristina Santiago Lemos de Beltrão Universidade Regional do Cariri, Crato, Ceará, Brasil
  • José Gerfeson Alves Universidade Regional do Cariri, Iguatu, Ceará, Brasil
  • Jayana Castelo Branco Cavalcante de Meneses Faculdades Integradas do Ceará

Resumo

O objetivo do estudo foi identificar o uso de plantas medicinais associado a métodos terapêuticos tradicionais no tratamento do pé diabético em comunidades rurais. Trata-se de estudo descritivo, realizado em um município no interior cearense, com amostra de 21 participantes. Do total, 47,6% utilizaram plantas e 60% destes fizeram associação com métodos terapêuticos tradicionais. As plantas relatadas foram: Aroeira, Ameixeira, Goiabeira, Matruz e Corama, com destaque à predominância do uso da Aroeira, a qual possui atividade cicatrizante comprovada cientificamente. Os métodos terapêuticos tradicionais mais utilizados foram antibióticos tópicos. Observou-se uso indiscriminado das plantas no manejo do pé diabético. Aponta-se a necessidade de pesquisas que relatem os reais efeitos de tais espécies em úlceras do pé diabético, para respaldo científico do profissional de saúde durante orientações para o cuidado com os pés e com as lesões, preservando e incentivando os aspectos culturais ao passo e mantendo a segurança do paciente.

Biografia do Autor

Beatriz de Castro Magalhães, Universidade Regional do Cariri, Crato, Ceará, Brasil

1Graduada em Enfermagem pela Universidade Regional do Cariri, Campus Iguatu, Iguatu-Ceará, Brasil. E-mail: beatriz.castro022015@gmail.com;  

Bruna Erilania Vieira de Sousa, Universidade Regional do Cariri, Iguatu, Ceará, Brasil

Graduada em Enfermagem pela Universidade Regional do Cariri, Campus Iguatu, Iguatu-Ceará, Brasil. E-mail:erilaniabruna16@hotmail.com;

Ingrid Mikaela Moreira de Oliveira, Universidade Regional do Cariri, Crato, Ceará, Brasil

Graduada em Enfermagem pela Universidade Regional do Cariri, Campus Crato, Crato, Ceará; Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Bioprospecção Molecular da Universidade Regional do Cariri, Crato, Ceará, Brasil. E-mail: ingrid_lattes@hotmail.com;

Izabel Cristina Santiago Lemos de Beltrão, Universidade Regional do Cariri, Crato, Ceará, Brasil

Graduada em Enfermagem pela Universidade Regional do Cariri, Campus Crato, Crato, Ceará; Doutora em Etnobiologia e Conservação da Natureza pelo Programa de Pós-graduação em Etnobiologia e Conservação da Natureza da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil. E-mail: izabel.lemos@urca.br;

José Gerfeson Alves, Universidade Regional do Cariri, Iguatu, Ceará, Brasil

Enfermeiro graduado pela Universidade Regional do Cariri, Campus Iguatu, Iguatu, Ceará, Brasil. E-mail: gerfesondip@gmail.com.

Publicado
2022-03-26
Como Citar
Magalhães, B. de C., Sousa, B. E. V. de, Oliveira, I. M. M. de, Beltrão, I. C. S. L. de, Alves, J. G., & Meneses, J. C. B. C. de. (2022). Uso de plantas medicinais no tratamento do pé diabético em comunidades rurais. Revista Brasileira De Educação E Saúde, 12(1), 13-21. https://doi.org/10.18378/rebes.v12i1.9319
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)