Irrigação com águas salinas e adubação nitrogenada na produção de mudas mamoeiro “Formosa”

Francisco Wesley Alves Pinheiro, Reginaldo Gomes Nobre, Leandro de Pádua Souza, Sabrina Gomes de Oliveira, Jonathan Estievns Soares Araújo, Luana Lucas de Sá Almeida Veloso

Resumo


A ocorrência de longos períodos de estiagem e a irregularidade anual das precipitações no Semiárido do Nordeste brasileiro torna a prática da irrigação imprescindível para garantir a produção agrícola com segurança, no entanto, as fontes hídricas disponíveis nem sempre são de boa qualidade. Desta forma, objetivou-se avaliar os efeitos da irrigação com águas de distintos níveis salinos associado a doses de nitrogênio sobre o crescimento de mudas de mamoeiro 'Formosa' em condições de semiárido nordestino. O experimento foi conduzido em sacolas plásticas sob condições de ambiente protegido no Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar da Universidade Federal da Campina Grande, campus Pombal- PB. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos casualizados, em esquema fatorial 5 x 4, com 4 repetições, sendo os tratamentos compostos de cinco níveis de condutividade elétrica da água – CEa (0,3; 1,1; 1,9; 2,7 e 3,5 dS m-1) e quatro doses de nitrogênio (70, 100, 130 e 160% de N recomendada). A condutividade elétrica da água de irrigação a partir de 0,3 dS m-1 afetou negativamente altura da planta e fitomassa seca de caule. Observa-se que a dose de 70% de N e de 100% proporcionou respectivamente, maior produção de fitomassa seca de raiz e número de folhas. Não foi verificado efeito significativo para as variáveis diâmetro do caule e fitomassa seca do caule submetida a distintas CEa e adubação nitrogenada; assim como, não houve interação entre os fatores (CEa x Adubação com N) sobre o crescimento das mudas, As variáveis NF, FFF, FSF, FSR apresentaram tolerância ao aumento da condutividade elétrica da água de irrigação.

Irrigation with saline water and nitrogen in seedlings papaya production "Formosa"

Abstract: The occurrence of long periods of drought and the annual irregularity of precipitation in the semi-arid region of the Brazilian Northeast make irrigation practice essential to ensure safe agricultural production, however, the available water sources are not always of good quality. In this way, the objective of this work was to evaluate the effects of irrigation with waters of different saline levels associated with nitrogen rates on the growth of 'Formosa' papaya seedlings under northeastern semiarid conditions. The experiment was carried out in plastic bags under protected environment conditions at the Center of Science and Technology Agrifood of the Federal University of Campina Grande, Pombal - PB campus. The experimental design was a randomized block design, in a 5 x 4 factorial scheme, with four replications, being the treatments composed of five levels of electrical conductivity of the water (EC, 0.3, 1.1, 1.9, 7 and 3.5 dS m-1) and four nitrogen doses (70, 100, 130 and 160% N recommended). The electrical conductivity of irrigation water from 0.3 dS m-1 negatively affected plant height and dry stem biomass. It is observed that the dose of 70% of N and of 100% provided, respectively, greater dry matter production of root and number of leaves. No significant effect was observed for the variables stem diameter and dry stem biomass submitted to different CEa and nitrogen fertilization; As well as, there was no interaction between the factors (CEa x Fertilization with N) on the growth of the seedlings. The variables NF, FFF, FSF, FSR presented tolerance to the increase of electrical conductivity of irrigation water.

Palavras-chave


Carica papaya; Condutividade elétrica; Salinidade; Nitrogênio

Texto completo:

PDF

Referências


AMADO, T. J. C.; MIELNICZUK, J.; AITA, C. Recomendação de adubação nitrogenada para o milho no RS e SC adaptada ao uso de culturas de cobertura do solo, sob sistema plantio direto. Revista Brasileira de Ciência Solo, v. 26, s.n., p. 241-248, 2002.

ANUÁRIO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA. Gazeta: Santa Cruz do Sul, RS. 2010, 129 p.

ASHRAF M.; HARRIS, P. J. C. Potential biochemical indicators of salinity tolerance in plants. Plant Science, v.166, n.1, p.3-16, 2004.

AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. Qualidade da água na agricultura. Campina Grande: Universidade Federal da Paraíba, 1999. 153p.

BRITO NETO, J.F.; PEREIRA, W.E.; CAVALCANTI, L.F.; ARAÚJO, R. da C.; LACERDA, J.S. Produtividade e qualidade de frutos de mamoeiro ‘Sunrise Solo’ em função de doses de nitrogênio e boro. Semina: Ciências Agrárias, v.32, p.69‑80, 2011.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. 2ª ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2009. 628 p.

EPSTEIN, E.; BLOOM, A. J. Nutrição mineral de plantas: Princípios e perspectivas. 2.ed. Londrina: Planta, 2006. 403p.

FERREIRA, D. F. Sisvar: A computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, v. 35, n. 06, p. 1039-1042, 2011.

FLORES, P.; CARVAJAL, M.; CERDA, A.; MARTINEZ, V. Salinity and ammonium/nitrate interactions on tomato plant development, nutrition, and metabolites. Journal of Plant Nutrition, v.24, p.1561-1573, 2001.

GALVÃO, O. R.; ARAÚJO NETO, S. E.; SANTOS, F. C. B.; SILVA, S. S. Desempenho de mudas de mamoeiro cv. sunrise solo sob diferentes substratos orgânicos. Revista Caatinga, Mossoró, v. 20, n. 3, p.144-151, 2007.

LIMA, G. S. DE; NOBRE, R. G.; GHEYI, H. R.; SOARES, L. A. DOS A.; SILVA, A. O. da. Crescimento e componentes de produção da mamoneira sob estresse salino e adubação nitrogenada. Revista Engenharia Agrícola e ambiental, v.34, p. 854-866, 2014.

MALAVOLTA, E. Elementos de nutrição mineral de plantas. São Paulo, Ceres, 1980. 251p

MARINHO, A. B.; MOREIRA, L. G.; VIANA, T. V. A.; ALBUQUERQUE, A. H. P.; OLIVEIRA, C. W.; AZEVEDO, B. M. DE. Influência da fertirrigação da nitrogenada na produtividade da cultura da mamoneira. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v.4, p.31- 42, 2010.

MEDEIROS, P. R. F.; DUARTE, S. N.; UYEDA, C. A.; SILVA, Ê. F. F.; MEDEIROS, J. F. DE V. Tolerância da cultura do tomate à salinidade do solo em ambiente protegido. Revista Brasileira Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 16, n. 01, p. 51-55, 2012.

OLIVEIRA, F. A.; MEDEIROS, J. F.; OLIVEIRA, M. K. T.; SOUZA, A. A. T.;

FERREIRA, J. A.; SOUZA, M. S. Interação entre salinidade e bioestimulante na cultura do feijão caupi. R. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.17, n.5, p.465–471, 2013.

RHOADES, J. D.; KANDIAH, A.; MASHALI, A. M. Uso de águas salinas para 204 produção agrícola. UFPB, 2000, 117p. Estudos da FAO, Irrigação e Drenagem, 48, 205 revisado.

RICHARDS, L. A. (ed.). Diagnosis and improvement of saline and alkali soils. Washington: United States Salinity Laboratory, 1954, 160p. USDA.Agriculture Handbook, 60.

SANTOS, B. DOS; FERREIRA, P. A.; OLIVEIRA, F. G. DE; BATISTA, R. O.; COSTA, A. C.; CANO, M. A. O. Produção e parâmetros fisiológicos do amendoim em função do estresse salino. Revista Idesia, v.30, p.69-74, 2012.

STEPPUHN, H. Pré-irrigation a severely-saline soil with in-situ water to establish dryland forages. Transaction sof the ASAE, St. Joseph, v.44, n.6, p.1543-1551, 2001.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2013. 954 p.

WILLADINO, L.; CAMARA, T. R. Origen y naturaleza de los ambientes salinos. In: Reigosa, M. J.; Sánchez, P. N. A. (1.ed.). La ecofisiología vegetal - Una ciencia de síntesis. Madrid: Thompson, 2004. p.303-330.




DOI: http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v12i1.4754

Direitos autorais 2017 Francisco Wesley Alves Pinheiro et al.