EFEITO DA APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO PROTEICO E DO pH NA PRODUÇÃO DE CERVEJA

  • João Henrique Fernandes da Silva Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) http://orcid.org/0000-0002-8927-3966
  • Glêce Milene Santana Gomes Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Jorge Vinícius Fernandes Lima Cavalcanti Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Thibério Pinho Costa Souza Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Leandro Santos de Oliveira Indústria de Bebidas Garanhuns LTDA - Produtos Jatobá

Resumo

O desenvolvimento deste trabalho objetivou verificar o efeito da adição de extrato de levedura e do pH na fermentação alcóolica de cerveja Pilsen, tipo Lager, utilizando um planejamento fatorial 22 com ponto central. Conforme resultados encontrados, o pH influenciou positivamente o consumo de substrato, a produção de etanol e a produtividade. Para o fator de conversão YP/S, o pH teve efeito contrário, provocando um decréscimo significativo. A adição de extrato de levedura apresentou comportamento oposto ao apresentado pela variação do pH. Os tratamentos que obtiveram maiores valores, em média, para o consumo de substrato (68,76g/L), a produção de etanol (38,54g/L) e, consequentemente a produtividade (0,1605g/L.h), foram T4 e TC, que não diferiram estatisticamente (p<0,05). O tratamento T1 apresentou o maior valor para YP/S, (0,594g/g), contudo, obteve a menor produtividade (0,155g/g). Neste contexto, sugere-se estudos complementares, avaliando intervalos de pH mais amplo, visando a otimização do processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ESTEVINHO, L. M. Leveduras e fermentações: O caso da cerveja. Jornadas de lúpulo e cerveja: novas oportunidades de negócio, p. 53-62, 2015.

FREITAS, A. G. DE. RELEVÂNCIA DO MERCADO CERVEJEIRO BRASILEIRO: avaliação e perspectivas e a busca de uma Agenda de Regulação 1. Revista Pensamento e Realidade, v. 30, p. 22–33, 2015.

CERVBRASIL. 2015. Anuário 2015 da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja. http://www.cervbrasil.org.br/arquivos/ANUARIO_CB_2015_WEB.pdf. Acesso: 15 jun. 2016.

CERVIERI JÚNIOR, O. et al. O setor de bebidas no Brasil. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 40, 2014.

VIEGAS, M. C. Otimização de sistema de fermentação alcoólica contínua utilizando reatores tipo torre e leveduras com características floculantes. 150 p. Tese (Doutorado em Engenharia Química). Faculdade de Engenharia Química. Universidade Estadual de Campinas. 2003.

LIMA, L. R.; MARCONDES, A. A. Álcool Carburante: Uma Estratégia Brasileira. Curitiba: Editora UFPR, 248p., 2002.

HENSCHKE P. A.; JERANEK V. Yeasts – metabolismo of nitrogen compounds. Wine Microbiology and Biotechnology. Ed Suissa: Hardwood Academic Publishers, 510p. 1994.

PULZATTO, M. E. Fatores que Influem na Obtenção de Biomassa de Levedura Seca (Saccharomyces cerevisiae) da Fermentação alcoólica. 112p. Tese (Doutorado em Tecnologia de Alimentos) - Faculdade de Engenharia de Alimentos, UNICAMP, Campinas, 2000.

RIBEIRO, F. J.; LOPES, J. J.; FERRARI, S. E. Complementação de nitrogênio de forma contínua no processo de fermentação alcoólica. Brasil Açucareiro, v.1, n.105, p.26-30, 1987.

JERONIMO, E. M. O Nitrogênio Proteico na Fermentação Alcoólica e Sua Influência na Qualidade da Cachaça. 118 p. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas – SP, 2004.

ui

PEREIRA, A. F. et al. Adição de fontes de nitrogênio e duas linhagens de levedura na fermentação alcoólica para produção de cachaça. The Journal of Engineering and Exact Sciences, v. 1, n. 1, p. p. 45-59, 2015.

Publicado
2017-11-23
Como Citar
Fernandes da Silva, J. H., Santana Gomes, G. M., Fernandes Lima Cavalcanti, J. V., Costa Souza, T. P., & Santos de Oliveira, L. (2017). EFEITO DA APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO PROTEICO E DO pH NA PRODUÇÃO DE CERVEJA. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 7(2), 166-171. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/5150
Seção
Artigos