MODELAGEM CINÉTICA DA FERMENTAÇÃO DA CERVEJA

  • Isabelle Cristine Prohmann Tschoeke Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • João Henrique Fernandes da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns
  • Jorge Vinícius Fernandes Lima Cavalcanti
  • Glêce Milene Santana Gomes
  • Thibério Pinho Costa Souza Universidade Federal de Pernambuco Universidade Federal Rural de Pernambuco - Unidade Acadêmica de Garanhuns

Resumo

O consumo da cerveja está enraizado aos hábitos de consumo alimentar há séculos, entretanto apenas nos últimos 150 anos sua produção e consumo tornaram-se expressivos entre as bebidas alcoólicas. O desenvolvimento deste trabalho teve como objetivo verificar o efeito da adição de nitrogênio proteico e do pH na fermentação alcóolica da cerveja avaliando o seu comportamento fermentativo em termos de produção de etanol. Foi realizado um planejamento fatorial 22, com ponto central, para avaliar o efeito do nitrogênio proteico e do pH na fermentação. A produção de etanol alcançou o ponto máximo do processo fermentativo com valor final de 38,6 g/L. O modelo cinético proposto se ajustou bem aos resultados experimentais podendo ser usado para cervejas do tipo lager.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Padronização, classificação, registro, inspeção, produção e fiscalização de bebidas, 2009.

BRUNELLI, L. T. Produção de Cerveja com Mel: Características Físico-Químicas, Energéticas e Sensorial. 2012. 103 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia – Energia na Agricultura). Faculdade Ciências Agronômicas da Unesp. Botucatu-SP, 2012;

CARNEIRO, D. D. Estudo Computacional da Etapa Fermentativa da Produção de Cerveja e Proposta de uma Estratégia de Controle para o Processo. 2010. 145 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos). Universidade Federal do Rio Janeiro, Seropédica-RJ, março de 2010;

CERVBRASIL. 2015. Anuário 2015 da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja. Disponível em: <http://www.cervbrasil. org.br/arquivos/ ANUARIO_CB_2015_WEB. pdf>. Acesso em: 05 de ago. de 2017.

ESTEVINHO, L. M. Jornadas de lúpulo e cerveja: novas oportunidades de negócio. p. 13–14, 2015.

ESTEVINHO, L. M. Leveduras e fermentações: O caso da cerveja. Jornadas de lúpulo e cerveja: novas oportunidades de negócio, p. 53-62, 2015.

FREITAS, A. G. DE. RELEVÂNCIA DO MERCADO CERVEJEIRO BRASILEIRO: avaliação e perspectivas e a busca de uma Agenda de Regulação 1. Revista Pensamento e Realidade, v. 30, p. 22–33, 2015.

LIMA, L. R.; MARCONDES, A. A. Álcool Carburante: Uma Estratégia Brasileira. Curitiba: Editora UFPR, 248p., 2002.

MATOS, R. A. G.Cerveja: Panorama do Mercado, produção Artesanal e Avaliação de Aceitação e Preferência. 2011. 90 f. Monografia (Trabalho de Graduação em Engenharia Agronoma). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianopolis-SC, 2011

RODRIGUES, T. Transformações Bioquímicas- Guia de Normas e Experimentos. 2012. Universidade Federal do ABC, 2012

VIEGAS, M. C. Otimização de sistema de fermentação alcoólica contínua utilizando reatores tipo torre e leveduras com características floculantes. 150 p. Tese (Doutorado em Engenharia Química). Faculdade de Engenharia Química. Universidade Estadual de Campinas. 2003.

Publicado
2017-11-23
Como Citar
Prohmann Tschoeke, I. C., Fernandes da Silva, J. H., Cavalcanti, J. V. F. L., Gomes, G. M. S., & Costa Souza, T. P. (2017). MODELAGEM CINÉTICA DA FERMENTAÇÃO DA CERVEJA. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 7(2), 223-227. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/5173
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)