Eficiência de soluções antimicrobiana na desinfecção de alface tipo crespa comercializada em feira livre

  • Inácia dos Santos Moreira UFCG
  • Francinalva Cordeiro de Souza UFCG
  • Francinalva Moreira dos Santos UFCG
  • Maria Karine de Sá Barreto Feitosa UFCG
  • Luciana Façanha Marques UFCG

Abstract

O consumo de hortaliças cruas constitui um importante veiculo de transmissão de doenças de origem alimentar (DTA). Essa contaminação pode ocorrer antes e após a colheita, através do contato com o solo, irrigação com água contaminada, transporte e pelas mãos dos manipuladores. A alface (Lactuca sativa) é a hortaliça folhosa mais comercializada no Brasil.  O objetivo deste trabalho foi verificar a eficiência de sanificantes a base de cloro e vinagre na desinfecção de amostras de alfaces. As amostras foram coletadas no mercado Pirajá da cidade de Juazeiro do Norte - CE e transportado até os laboratórios: Processamento vegetal para sanitização, físico-químico para realização da análise de acidez titulável e microbiologia de alimentos, onde foram realizadas análises de coliformes a 35ºC e a 45ºC, Staphylococcus aureus e Salmonella spp, segundo as normas da APHA (American Public Health Association). O resultado das análises de acidez da alface higienizada com água, água + vinagre e água + hipoclorito foram em média: 0,1% para todas as amostras. Os resultados obtidos para coliformes 35ºC e a 45ºC mostraram que apenas a amostra que foi lavada apenas com água estava fora dos padrões estabelecidos pela legislação, para Staphylococcus aureus e Salmonella spp revelaram que todas as amostras (100%) encontravam-se de acordo com o padrão federal vigente.

 Palavras - Chaves: contaminação microbiológica, sanitizantes, higiene alimentar.

 

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2013-09-23
How to Cite
MOREIRA, I. DOS S.; DE SOUZA, F. C.; DOS SANTOS, F. M.; FEITOSA, M. K. DE S. B.; MARQUES, L. F. Eficiência de soluções antimicrobiana na desinfecção de alface tipo crespa comercializada em feira livre. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 8, n. 2, p. 171 - 177, 23 Sep. 2013.
Section
ARTICLES