Precarização da política pública de saúde mental no âmbito educacional: desvendando a realidade

  • Hellita do Nascimento Fernandes Universidade Federal de Campina Grande
  • Mônica de Almeida Barbosa
  • Deyse Janiele Bernardo Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Auzenir de Oliveira Abrantes Monteiro Universidade Federal de Campina Grande
  • Francisca Daiana Estrela Silva Universidade Federal de Campina Grande
  • Hiran Mendes Castro Filho Universidad del Museo Social Argentino

Resumo

O presente estudo trata-se de uma análise das políticas de Saúde Mental no Brasil e sua efetivação no âmbito social assim como educacional. Para tanto é necessário entendermos que as políticas públicas em Saúde Mental e sua efetivação no contexto da Reforma Psiquiátrica de caráter antimanicomial, perpassaram por um caminho sócio histórico árduo. Para a realização deste trabalho, foi necessário compreender e analisar como se efetiva a referida política, no sentido de desmonte do modelo asilar de cunho repressivo e de combate as mais variadas formas de estereótipos direcionados aos nomeados “doentes mentais”, no contexto da reforma psiquiátrica, instituída pela lei 10.216/2001, como também, o estudo dos processos efetuados para a garantia dos direitos dos/as usuária/os do CAPS.

Publicado
2021-11-06
Como Citar
Fernandes, H. do N., Barbosa, M. de A., Oliveira, D. J. B., Monteiro, A. de O. A., Silva, F. D. E., & Filho, H. M. C. (2021). Precarização da política pública de saúde mental no âmbito educacional: desvendando a realidade. Revista Brasileira De Filosofia E História, 10(1), 84-87. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/RBFH/article/view/9204
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)