Percepção ambiental sobre o descarte de fármacos no bairro Célio Miranda, Paragominas-PA

Palavras-chave: Drogarias. Fármacos. Logística reversa. Medicamentos vencidos.

Resumo

O uso de fármacos para automedicação e a facilidade de aquisição destes, gera um incremento em unidades vencidas ou não utilizadas totalmente em locais inadequados e causam impactos ambientais. O objetivo dessa pesquisa foi verificar a percepção ambiental quanto ao descarte de fármacos vencidos ou não totalmente utilizados e os impactos ambientais que essa ação causa ao meio ambiente, e a prática ou não, da logística reversa, em cinco drogarias e uma farmácia de manipulação localizadas no bairro Célio Miranda, Paragominas-PA. O método empregado foi o indutivo, a amostragem foi probabilística simples (noventa indivíduos amostrados = 10%). Os dados coletados, durante sete dias do mês de setembro de 2017, com aplicação de noventa e seis formulários de caráter misto, para obtenção de dados acerca da percepção ambiental quanto a esse tipo de impacto. A análise dos dados obtidos indicaram que a percepção ambiental dos individuos amostrados, é baixa, devido ao descarte inadequado (72,2%) dos fármacos, ou seja, no lixo comum (90%), mas sabem da ocorrência de impacto ambiental (74,4%) dessa ação, e justificaram que a ausência de informações (62,2%) é o principal fator para que isso ocorra, além da falta de pontos de coleta (19%), pois, na área pesquisada, não há pratica da logística reversa (100%). Logo, a baixa percepção ambiental dos indivíduos amostrados, está relacionado com a ausência da logística reversa, a falta de informações e um número maior de pontos de coletas dos fármacos vencidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana da Silva Pereira, Universidade do Estado do Pará
Engenheira Ambiental.
Antonio Pereira Junior, Universidade do Estado do Pará

Departamento de Engenharia Ambiental.

Áreas de atuação: Ciência ambiental aplicada a Engenharia Ambiental; microbiologia ambiental; ecossistemas aquáticos; biologia ambiental; recuperação de áreas degradadas e fontes e controle de poluição mineral.

Publicado
2017-06-01

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)