A importância dos jogos e brincadeiras na educação infantil

  • Cícera Gomes Bezerra
  • Everton Lucas Fernandes
  • José Isaul Pereira
  • Bianca Silva Araujo
  • Alcimar Tamir Vieira da Silva
  • Isabel Wanessa da Silva Carvalho

Resumo

Neste estudo, destaca-se a importância dos jogos e brincadeiras na Educação Infantil, trazendo como objetivo, conhecer o significado do brincar, bem como compreender o universo lúdico, onde a criança comunica-se consigo mesma e com o mundo, aceita a existência do outro, estabelece relações sociais, constrói conhecimentos, desenvolvendo-se integralmente, e ainda, os benefícios que o brincar proporciona no processo de ensino-aprendizagem infantil. O presente trabalho traz um breve estudo sobre a história e evolução da educação infantil em diversas épocas, assim como a importância para a formação do indivíduo, em seguida, procura-se apresentar os aspectos relacionados aos jogos e brincadeiras e qual a sua importância para evolução do indivíduo. Quanto à metodologia pressupõe-se de uma pesquisa bibliográfica, ou seja, o tema foi desenvolvido a partir da fundamentação teórica de alguns autores renomados que abordam a temática. Desta forma, este estudo proporcionará um olhar mais consciente acerca da importância do brincar na vida do ser humano, e, em especial na vida das crianças.

Biografia do Autor

Cícera Gomes Bezerra

 

Referências

ABRAMOVAY, Miriam e KRAMER, Sonia. O Rei está nu: um debate sobre as funções da pré-escola. Cadernos Cedes, São Paulo, v. 1, n. 9, p.27-38, 1984.

ANTUNES, Celso. Jogos Para Bem Ensinar. Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

_____. Jogos para a estimulação das múltiplas Inteligências. 8. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

ARCE, Alessandra. O jogo e o desenvolvimento na teoria da atividade e no pensamento educacional de Friedrich Froebel. Cad. CEDES, Campinas, v. 24, n. 62, 2004.

BASTOS, N. M. G. Introdução à Metodologia do Trabalho Acadêmico.Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental –. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

______. Resolução 196/96 de 10 de outubro de 1996. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Conselho Nacional de Saúde, Brasília, DF, 10 de out. de 1996.

______. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em 17 de agosto de 2012.

BETTELHEIM, B. Uma vida boa para seu filho. Rio de janeiro: Campus, 1988.

BROUGÈRE, G. A criança e a cultura lúdica. In: KISHIMOTO, T.M. O brincar e suas teorias. São Paulo: Pioneira, 1998.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

DELORME, Maria Inês. Nós da Escola. Nº 21, Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro/Multirio, 2004.

GOMES, Cleomar Ferreira. Pela porta ou pela janela? Notas etnográficas sobre aludicidade escolar. Cadernos de Educação. Cuiabá, Unic, v-1, p. 85-96, 1997GRAVINA, M. A; SANTAROSA, M. L.; A aprendizagem da matemática em ambientes informatizados. In: CONGRESSO RIBIE, 4., Brasília DF. 1998. Anais... Brasília: Ribie, 1998.

HUIZINGA, J. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1971.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. (org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 2006.

KRAMER, Sonia.A Política do Pré-Escolar no Brasil: A Arte do Disfarce. 3. ed. Rio de Janeiro: Dois Pontos, 1987.

MANARIN, Maeli Sorato. A avaliação na educação infantil: o que reflete esse processo. Dissertação de Mestrado. Universidade do Extremo SulCatarinense, UNESC. CRICIÚMA, DEZEMBRO DE 2009.

MARCONI, M; LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 6. ed. São Paulo-SP: Atlas, 2006.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2007.

MORAN, José. Informática na Educação: Teoria & Prática. Porto Alegre: UFRGS vol.3, n.1,set./2000

NICOLAU, Marieta Lúcia Machado. A Educação Pré-Escolar. Fundamentos e Didática. 9. ed. São Paulo: Ática, 1997.

OLIVER, Gabriella Chaves. A importância do brincar na Educação Infantil. Rio de Janeiro: UVA, 2012.

PIAGET, J. A Epistemologia Genética. São Paulo, Abril Cultural, Coleção Os Pensadores, 3 ed. 1984.

______. Equilibração das Estruturas Cognitivas. Trad. Marion M.S. Penna. Rio de Janeiro, Zahar, 1976.

ROCHA, Eloisa Acires. A Função Social das Instituições de Educação Infantil. Revista Conteúdo/Escola, 2012.

STRASSACAPA, Hélio. MEC propõe obrigatoriedade da pré-escola e ensino médio. Caderno Vida e Cidadania. Jornal Gazeta do Povo (Ed. online). Matéria publicada em 30/10/2008. Disponível em www.portal.rpc.com.br/gazetadopovo. Acessado em 12/ 05/2012.

STRICK, C. e SMITH, L. Dificuldades de aprendizagem de A a Z - Um guia completo para pais e educadores. Porto Alegre: ARTMED, 2001.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

______. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes. 1989.

Publicado
2021-01-19
Como Citar
Bezerra, C. G., Fernandes, E. L., Pereira, J. I., Araujo, B. S., Silva, A. T. V. da, & Carvalho, I. W. da S. (2021). A importância dos jogos e brincadeiras na educação infantil. Revista Brasileira De Filosofia E História, 10(1), 32-43. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/RBFH/article/view/8644
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)