ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS EM SUCOS DE UVA: INTEGRAL, REPROCESSADO, CONCENTRADO E DESIDRATADO COMERCIALIZADOS EM GARANHUNS-PE

  • Iara Alves Lopes Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
  • José Renato da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
  • Larissa Tenorio de Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
  • Vinícius Luis Vilela dos Santos Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
  • Suzana Pedroza da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE

Resumo

O Brasil é um grande produtor de uvas e parte desta produção é destinada a produção de sucos. Destaca-se a produção do Vale do São Francisco em Pernambuco, sendo bastante comercializado em várias formas, tendo em vista seu grande potencial de efeito benéfico para a saúde. Neste trabalho avaliamos as características físico-químicas de suco de uva integral(SI), reprocessado(SRP), concentrado(SC) e desidratado(SD) e comparamos aos padrões requeridos pela legislação vigente. As amostras de suco de uva foram adquiridas na rede varejista de supermercados do município de Garanhuns/PE. Foram determinados nas amostras o pH, acidez total titulável, sólidos solúveis totais, relação °Brix/acidez, cinzas e densidade à 20°C. Observou-se que nenhum dos tipos de suco de uva estudado se enquadrou completamente nos limites da legislação vigente, entretanto, o SI chegou mais próximo destes. Porém, a relação °Brix/acidez de SRP e SC indicou melhor equilíbrio entre doce/ácido a ser confirmado posteriormente usando testes específicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Alves Lopes, Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
Graduanda em Engenharia de Alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE.
José Renato da Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
Graduando em engenharia de alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE.
Larissa Tenorio de Lima, Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
Graduanda em Engenharia de Alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE.
Vinícius Luis Vilela dos Santos, Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
Graduando em engenharia de alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE.
Suzana Pedroza da Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco- UFRPE
Doutora em Engenharia Química, Professora de Química Analítica e Análises de Alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE.

Referências

ABE, L. T.; MOTA, R. V.; LAJOLO, F. M.; GENOVESE, M. I. Compostos fenólicos e capacidade antioxidante de cultivares de uvas Vitis labrusca L. e Vitis vinifera L. Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, p. 394-400, abr.-jun. 2007. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/cta/v27n2/31.pdf>. Acesso em: 03 Ago. 2017.

AMORIM, A. G.; SOUSA, T. A.; SOUZA, A. O. Determinação do pH e acidez titulável da farinha de semente de abóbora (cucurbita máxima). VIICONNEPI - PALMAS 2012.

BRASIL, 2010. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Portaria Nº 259, de 31 de maio de 2010. Disponível em: < http://www.inmetro.gov.br/barreirastecnicas/pontofocal/..%5Cpontofocal%5Ctextos%5Cregulamentos%5CBRA_378.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2017.

BRASIL, 2004. Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Portaria nº 55, de 27 de julho de 2004. Normas referentes à complementação dos padrões de identidade e qualidade do vinho e dos derivados da uva e do vinho. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2017.

CHAUHAN, Ved; CHAUHAN Abha. Oxidative stress in alzheimer’s disease. Pathophysiology. 2003; 13:195-208.

CHAVES, M.C. V. et al. Caracterização físico-química do suco da acerola. Revista de Biologia e Ciência da Terra, v.4, n.2, 2º Semestre 2004.

GURAK, P. D.; SILVA, M. C.; MATTA V. M.; ROCHA-LEÃO M. H.; CABRAL, L. M. Correia. Avaliação de parâmetros físico-químicos de sucos de uva integral, néctares de uva e néctares de uva light. Ciências exatas: Seropédia- RJ, v.27, n.1-2, p.01-02, 2008.

HEIDEN, T.; GONÇALVES, L.; KOWACIC, J.; DALLA ROSA, A.; DORS, G. C.; FELTES, M. M. C. Determinação de cinzas em diversos alimentos. Instituto Federal Catarinense, Araquari – SC, Nov. 2014.

LEITE, B.F.; Suco de uva: propriedades organolépticas, produção e legislação; Projeto de Monografia. 27 p. Trabalho de Graduação em Engenharia Bioquímica. Escola de Engenharia de Lorena, Universidade de São Paulo, Lorena, 2013.

MELLO, L.M.R. Desempenho da vitivinicultura brasileira em 2015. Agroindústria Estudos socioeconômicos e ambientais Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação. EMBRAPA. 2016.

PEYNAUD, E. Connaissance et travail du vin. 2. ed. Paris: Dunod, 1997. 341 p

RIZZON, L. A.; LINK, M. Composição do suco de uva caseiro de diferentes cultivares. Ciência Rural, Santa Maria, v.36, n.2, p.689-692, mar-abr, 2006.

RIZZON, L. A.; MANFROI, V.; MENEGUZZO, J. Elaboração de suco de uva na propriedade vitícola. Embrapa Uva e Vinho-Documentos (INFOTECA-E), 1998.

SANTANA, M. T. A.; SIQUEIRA, H. H. de; REIS, K. C.; LIMA, L. C. de O.; SILVA, R. J. L. Caracterização de diferentes marcas de sucos de uva comercializados em duas regiões do Brasil. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 32, n. 3, p. 882-886, maio/junho, 2008.

SONNEN, Joshua A.; BREITNER, John C.; LOVELL, Mark A.; MARKESBERY, William R.; QUINN, Joseph F.; MONTINE, Thomas J. Free radical-mediated damage to brain in Alzheimer’s disease and its transgenic mouse models. Free Radic Biol Med 2008; 45:219-30.

Publicado
2017-11-23
Como Citar
Lopes, I. A., da Silva, J. R., de Lima, L. T., dos Santos, V. L. V., & da Silva, S. P. (2017). ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS EM SUCOS DE UVA: INTEGRAL, REPROCESSADO, CONCENTRADO E DESIDRATADO COMERCIALIZADOS EM GARANHUNS-PE. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 7(2), 45-48. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/5101
Seção
Artigos