CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DE AGUARDENTE COMPOSTA DE CASCA DE ZIZIPHUS JOAZEIRO

  • Cinara Vanessa de Muniz Almeida Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
  • Suellen Arlany Silva Gomes Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
  • Thayná Torres da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
  • Yuri Matheus Silva Amaral Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
  • Suzana Pedroza da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE

Resumo

Aguardente composta é uma bebida com teor alcoólico entre 38 e 54% em volume, com adição de substância de origem vegetal ou animal. O Juazeiro (Ziziphus joazeiro Mart.-Rhamnaceae) é uma planta de pequeno a médio porte presente na caatinga brasileira, sendo utilizada desde a medicina popular ou mesmo em shampoo e creme dentais, principalmente por causa de sua ação saponificante. Este trabalho teve como objetivo caracterizar físico-quimicamente amostras de aguardente composta de casca de Z. joazeiro produzidas na cidade de Ibirajuba-PE. Foram realizadas as análises de densidade relativa, grau alcoólico, acidez total, acidez fixa, acidez volátil, pH, extrato seco, cinzas, sólidos solúveis totais e análise visual das amostras de aguardente, todas seguindo metodologia do Instituto Adolfo Lutz. De acordo com os resultados, foi verificada a boa qualidade da bebida. Entretanto, sugere-se para futuros trabalhos, realizar análises de ésteres, aldeídos, somatório de furfural, açúcares, alcoóis superiores, análises microbiológicas e sensoriais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cinara Vanessa de Muniz Almeida, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
Graduanda em engenharia de alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE
Suellen Arlany Silva Gomes, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
Graduanda em engenharia de alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE
Thayná Torres da Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
Graduanda em engenharia de alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE
Yuri Matheus Silva Amaral, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
Graduando em engenharia de alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE
Suzana Pedroza da Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS-PE
Doutora em Engenharia Química, Professora de Química Analítica e Análises de Alimentos, UFRPE, Garanhuns-PE

Referências

BEZERRA L. À Mesa: ainda há botecos que aromatizam cachaça com ervas e raízes. Correio. 2014. Disponível em: < http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/a-mesa-ainda-ha-botecos-que-aromatizam-cachaca-com-ervas-e-raizes/>. Acessado em: 27/08/2017.

BRASIL. IN Nº 35, de 16 de novembro de 2010. Disponível em: < http://www.agricultura.gov.br/assuntos/vigilancia-agropecuaria/ivegetal/bebidas-arquivos/in-no-35-de-16-de-novembro-de-2010.pdf/view> Acessado em: 30 de agosto de 2017.

CANTÃO, F. O. Análises físico-químicas e avaliação da presença do cobre em aguardente de cana por aluminossilicatos. Lavras: UFLA, 2006. 62 p.

CARDOSO, M.G. (Ed.). Produção de aguardente de cana-de-açúcar. Lavras: UFLA, 2001. 264p.

CARVALHO, P. E. R. 2007. Juazeiro - Ziziphus joazeiro. Disponível em: <http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/handle/doc/313897 >Acessado em: 02 de agosto de 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DA CACHAÇA – IBRAC. Mercado de Cachaça. Março/2009. Disponível em: < http://www.ibraccachacas.org/index.php/noticias/noticias-do-ibrac/130-mercado-de-cachaca>. Acessado em: 26/08/2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DA CACHAÇA – IBRAC. IBRAC celebra crescimento das exportações de Cachaça em 2016. Fevereiro/2017. Disponível em: < http://www.ibraccachacas.org/index.php/noticias/cachaca-na-midia/509-ibrac-celebra-crescimento-das-exportacoes-de-cachaca-em-2016>. Acessado em: 26/08/2017.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 4a. ed. 1a edição digital. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 2008. 1020p.

MIRANDA M. B., MARTINS N.G.S., BELLUCO A.E.S., HORII J., ALCARDE A.R. Qualidade química de cachaças e de aguardentes brasileiras. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 27, n.4, p.897-901, out.-dez. 2007.

SCHMIDT, L.; MARMITT, S.; OLIVEIRA, E. C.; SOUZA, C. F. V. Características físico-químicas de aguardentes produzidas artesanalmente na região do Vale do Taquari no Rio Grande do Sul. Alimentos e Nutrição 2009, 20, 539. Disponível em < http://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/alimentos/article/viewFile/1205/859> Acessado em 11 de Agosto de 2017.

SCHENKEL,E.P.; GOSMANN,G.; ATHAYDE,M.L. Saponinas. In: SIMÕES, C.M.; SCHENKEL, E. P.;GOSMANN, G.; MELLO, J. C.P.; MENTZ, L.A.; PETROVICK, P. R. Farmacognosia: da planta ao medicamento. 3 ed. Porto Alegre: Ed. UFGRS/Ed. UFSC, 2011. cap.27, p.597-619.

SCHWAN, R.F.; CASTRO, H.A. Fermentação alcoólica. In: CARDOSO, M.G. (Ed.). Produção de aguardente de cana-de-açúcar. Lavras: UFLA, 2001. p.45-57.

SEBRAE, Cachaça Artesanal. Série Estudos Mercadológicos. Relatório completo. 2012.

SOUSA, M. P.; MATOS, M. E. O. ; MATOS, F. J. A. Constituintes químicos de plantas medicinais brasileiras. Fortaleza: empresa Universitária / UFC. 1991. 416 p.

VENTURINI FILHO, G., A. M. P. NOGUEIRA, AGUARDENTE E CACHAÇA. Botucatu Faculdades de Ciências agronômicas, 2013. 72 Pág. Disponível em Acessado em 04 de agosto de 2017.

Publicado
2017-11-23
Como Citar
Almeida, C. V. de M., Gomes, S. A. S., da Silva, T. T., Amaral, Y. M. S., & da Silva, S. P. (2017). CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DE AGUARDENTE COMPOSTA DE CASCA DE ZIZIPHUS JOAZEIRO. Revista Brasileira De Agrotecnologia, 7(2), 58-62. Recuperado de https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBAGRO/article/view/5109
Seção
Artigos